.



UM PADRE SEM SENSIBILIDADE CRISTÃ

Ganha cada vez mais acuidade a luta contra a pedófilia, o crime organizado e o rapto de crianças. O escândalo Casa Pia, o desaparecimento de Madeleine McCann e o caso Rui Pedro agora, mais recentemente reavivado com a criação da APCD-Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas, têm trazido a lume uma verdade que, durante muitos anos, foi silenciada. A dimensão do problema e a sua natureza vêm a ser mostradas, em toda a sua plenitude, por famílias e organizações que pretendem unir em torno desta causa todos os que têm consciência e não estão implicados no processo. A igreja católica, enquanto instituição privilegiada do ideário cristão da maior parte das famílias portuguesas, deveria estar ao lado de quem luta pela justiça e pela defesa das nossas crianças, contra energúmenos e tubarões que escondem, atrás das mais diferentes fachadas, os seus instintos e actos tenebrosos.
Nesta perspectiva não se compreende, nem se aceita, que um padre de Lousada tenha recusado aos pais de Rui Pedro que integrassem a procissão do Sr.dos Aflitos, realizada no passado domingo, dia 29 de Julho de 2007, integrada nas festas do concelho. Menos ainda se entende se pensarmos que a Comissão das Festas e os Escuteiros concordaram que o casal, pais de Rui Pedro, integrassem a dita procissão com um cartaz. O padre que recusou a presença destes pais aflitos, integrados na procissão, teve no entanto suficiente abertura para autorizar aos motoqueiros o que a estes foi negado. E isto apesar de Filomena Teixeira, na sua luta incansável por encontrar o filho, ter recebido todo o apoio e incentivos no Santuário de Fátima, aonde se deslocou no passado fim de semana, juntando a sua voz à de cerca de 200 organizações internacionais na luta contra a pedófilia e crianças desaparecidas.

8 comentários:

C.Coelho disse...

É importante que exista um sítio onde se façam estas denúncias. Este blogue está muito bem conseguido. Continue, amigo, porque faz falta. Quanto ao padre.... será que a chave para o desaparecimento do Rui Pedro não estará aqui? Este comportamento é, no mínimo. muito estranho.

M.M.MENDONÇA disse...

Não sei como é possível este homem ser padre.É que para além de não ser cristão não tem um pingo de bom senso.Ainda bem que há um sítio para estas pessoas serem desmascaradas.

sol poente disse...

É preciso não esquecer que na igreja se encontram, por vezes, comportamentos sexuais inapropriados e propiciados pela vida de reclusão. Isto sem fazer juízos temerários devíamos ficar de olho nesse padre.

ALEX disse...

Apesar de tudo o que se está a passar em relação aos McCann eu acredito nesta mãe. Mas um padre, um homem de Deus, tem que ser misericordioso e se não gosta dos pais de Rui Pedro por alguma razão, a criança (hoje homem) em si está acima de tudo.
É bom que estas coisas se saibam.

NINHO DE CUCO disse...

Esse padre não é padre nem é gente. Com uma alma tão pouco caritativa deveria ir para capelão de uma penitenciária.

NÓMADA disse...

Há padres e padres. Não podemos generalizar. Agora o que é importante é criar condições para uma maior aceitação e divulgação da APCD. Quando a Associação for grande e forte os obstáculos vão sendo mais transponíveis.

Nitassa disse...

Meu Deus!
Que injustiça!
Eu entrei recentemente em contacto com a mãe de Rui Pedro..
Apenas lhe deixei algumas palavras para a apoiar.
Não sou rica, não tenho posses, mas adoraria poder ajudar esta famlia, sempre acompanhei o caso, talvez pk eu tenho praticamente a mesma idade do que ele.
Eu tenho coração!
Esse padre repugana-me com essa atitude!!

Pascoalita disse...

Não conheço a fundo a estória nem em que se baseou a recusa do Padre, talvez pelo receio de tumultos que geralmente este tipo de manifestão atrai, ou por considerar que uma procissão não tem função de "manifestação" e eu talvez compreenda ... cada coisa no seu lugar próprio.

Lamento, mas é minha convicção que o mistério que envolveu o caso "Rui Pedro" diverge daquilo em que a maioria parece crer. Claro que posso estar errada.