.



AS MARGENS OPRIMEM

Do rio que tudo arrasta se diz que é violento mas ninguém diz violentas as margens que o oprimem.


Bertolt Brecht

21 comentários:

Rui Caetano disse...

A imagem é fantástica e o texto sobejamente conhecido, mas sempre bonito a cada leitura. As margens acompanham-nos em tudo o que temos na vida.

sniqper © disse...

Grande verdade, quantas são as corridas que interompidas ficam pelo poder da opressão...

Crítica&denúncia disse...

Nossa meu amigo, custei a entender o que o caro colega havia feito, que ma-ra-vi-lha ! E eu lá mereço esta honraria toda? Aleluia 8 Muito obrigada, você é demais, queria saber a história do bonequinho, é único, passamso o seu ou criamos um nosso? Estou embalada por esta fado do silêncio, você está no meu coração como melhor amigo blogueiro. Vamos por em prática, grande abraço, brigadão, Alda

migvic disse...

Esse Bertolt Brecht, devia ser um tipo mesmo oprimido e à margem
de todos.

Quint disse...

Mal por mal, prefiro a violência do rio...

Sophiamar disse...

As margens não o deixem voar. E há com cada uma! Tomar as asas da liberdade não é fácil..

Beijinhos

Sol da meia noite disse...

É das frases mais fortes que já li!
Para tudo há um motivo...

Obrigada pelo prémio que atribuíste ao meu espacinho.
Até hoje, tenho-me limitado a agradecer os prémios que me são atribuídos. Mas talvez faça uma excepção... embora me seja difícil nomear blogs...
Obrigada mesmo pelo reconhecimento.

Beijinhos!

J.G. disse...

Uma metáfora da vida, tão brechtiana como verdadeira.

um abraço.

O Chaparro disse...

passei p desejar bom resto d semana

Pascoalita disse...

De facto é verdade. Para além das adversidades naturais, junta-se-lhe a violência a que o homem o sujeita.

Confesso que raramente penso nisso.

Dalaila disse...

Essa frase é poderosa!
Muito bem partilhada.

Mas nem as margens travam o rio quando este resolve crescer!!!

sombra e luz disse...

Os rios correm para o mar...

...na violência da corrida inadiável rasgam as margens e elas defendem-se oprimindo-o...só que de tanto o apertarem empurram-no com mais força e velocidade, ainda, para o seu eterno destino

O devir está imóvel dentro da foto...

Beijinho e parabens pelo blog...

Vieira Calado disse...

Venho para agradecer a sua distinção.
Mas infelizmente não posso, dar seguimento imediato.
Só depois do próximo dia 6.
Já tenho preparadas postagens que visam a minha próxima edição "Merdock", que também tem um blog.
Um abraço.

SIMPLESMENTE.... C disse...

Obrigada por acha q sou merecedora do premio de visitante.ahahahahaa
Espero continua c/ a campanha..
Linda mensagem.
Abracinhos..

David Alves disse...

Por vezes é necessário abrir os olhos para ver o quadro todo...

Zé Povinho disse...

Uma frase típica de Brecht, que nos remete para outras áreas.
A imagem dá o devido realce à frase, e foi uma óptima escolha.
Abraço do Zé

avelaneiraflorida disse...

Silêncio Culpado,

Brecht deixa-nos uma mensagem de FOrça que o ser humano tem , decididamente, ignorado!!!!

Mas a mãe-natureza, de quando em vez, lembra-lhes essa realidade...de forma bem eloquente!!!!
Infelizmente, nem assim conseguem perceber!!!!

BJKS

JOY disse...

Quanto mais as margens oprimirem o rio mais violento se tornará.


JOY

CORCUNDA disse...

Ah! Brecht, cabaret, rock'n'roll, whisky, Alabama...
Abraço do Corcunda.

Quint disse...

Não foi distração... antes um prazer... o prémio foi recebido, mas é retribuído... quem merece, merece.

Um Momento disse...

As margens ás vezes são mais perigosas que o próprio rio
Texto lindo , imagem bela :o)
Dia lindo desejo
(*)