.



RECORDANDO ANTÓNIO ALEIXO

Nem amor nem heroísmo
tinha a nossa vida atroz,
se o nosso grande cinismo
«cá dentro tivesse voz».

25 comentários:

Fernanda e Poemas disse...

Querido amigo, comentar António Aleixo, para mim é um momento de satisfação.
Ainda um dia destes comprei o livro dele " este livro que nos deixo ".
Parabéns.

Beijinhos com sabor a mar.

Fernandinha

Rui Caetano disse...

António Aleixo transmite as vozes daquelas formas de pensar e dizer dos nossos antepassados. A quadra popular trás consigo a voz das memórias e as tradições.

multiolhares disse...

Aí se assim fosse era um murmurar constante
Beijos
luna

avelaneiraflorida disse...

Todos os dias penso nas Quadras deste MESTRE...
e andava a pensar postar algo no meu cantinho!!!!
Ainda bem que ele aqui está!

"BRIGADOS"
Bjks

ana maria costa disse...

Obrigada pelas palavras amigas largadas no meu cantinho.

A cultura está num conjunto de blogs espalhados pela blogsfera como este, o teu.

jinhos

Teresa Durães disse...

como concordo....

MiguelGomes disse...

Há pessoas que sabem o que escrevem, não há?

Fica bem,
Miguel

Pascoalita disse...

Eu não sei porque razão
certos homens, a meu ver,
quanto mais pequenos são
maiores querem parecer.


Embora os meus olhos sejam,
os mais pequenos do Mundo
O que importa é que eles vejam
O que os homens são no fundo.

Boa escolha! Sou fã de António Aleixo.
óptima semana
1 beijo

NÓMADA disse...

Então deixem-me acrescentar:

Dizem que pareço um ladrão
Mas há muitos que eu conheço
Que não parecendo o que são
São aquilo que eu pareço.

Dalaila disse...

"Pra que vejam que sou pintor
E meu pincel nunca deixo;
Pra que saibam que o Aleixo
Não é somente cantor...
Também pinto qualquer flor
E faço qualquer bordado;
Mas aqui o ano passado,
Perdi, de pintar, o tino...
Fui pintar, fiz um menino,
Pintei e fiquei pintado."

E assim me pinto nestas letras, e assim me bordo neste canto, assim me perco em letras,

Obrigada!

sveronica disse...

Conhecimento e cultura... gosto imenso!

Lindas palavras me deixastes em meu cantinho, obrigada!

beijinho

Fátima disse...

Amigo,

Tradição e sabedoria...que bela escolha!

:-) beijinhos

Sol da meia noite disse...

Gostei da frase.
Dá que pensar...

Beijinho!

O Árabe disse...

Grande poder de síntese, sim... a quadra sempre será a voz do povo, em todos os idiomas!

.:.Joaninha.:. (percy) disse...

kem fala assim sabe o k diz =)
gostei*

beijinhos

Boris disse...

Também quero deixar "a minha quadra" de António Aleixo:
Tu que tens saber profundo
És engenheiro e vês bem
Faz uma ponte onde o mundo
Passe sem esmagar ninguém.
Bjs

JOY disse...

Simples , verdadeiro,e certeiro.

JOY

MIMO-TE disse...

Poeta bem conhecido até dos que não foram à escola. Quadras que passam de boca em boca e de geração em geração. Quem não conhece?

Deixo mimos

sol poente disse...

Também não dispenso deixar aqui a minha quadra:
Uma mosca sem valor
Poisa com a mesma alegria
Na careca de um doutor
Como em qualquer porcaria.
Eheheheheehe

SILÊNCIO CULPADO disse...

Estou simplesmente de boca aberta. Sabia que António Aleixo é muito conhecido mas que tantos visitantes o soubessem na pontinha da língua (ou do teclado) nunca me passou pela cabeça. Mas ainda bem que assim é. Força!

Carreira disse...

Um artista intemporal que nos legou um património de qualidade suprema.

Quint disse...

Muito bem. Um poeta sempre actual.

J.G. disse...

O repentismo e a inteligência deste homem sempre me fascinaram!

Abraço.

Jorge G.

J.G. disse...

O repentismo e a inteligência deste homem sempre me fascinaram!

Abraço.

Jorge G.

Girassol disse...

A grande função dos poetas: dar voz a quem tem tanto para dizer, mas não sabe como...

Beijo.