.



O QUE VALE A VIDA HUMANA? MESES PARA CONFIRMAR UM CANCRO COLORRETAL

Um doente suspeito de ter cancro colorrectal pode esperar vários meses para confirmar o diagnóstico. Os estrangulamentos são vários e diferem em todo o País. Em Lisboa, por exemplo, um doente espera até mês e meio para fazer uma colonoscopia em clínicas com convenção estatal. Chegando ao hospital, pode ainda esperar "dois a três meses até ter uma consulta de gastrenterologia", disse ao DN Pilar Vicente, médica do Hospital de São José.Estas dificuldades sentem-se em todo o País, com excepção da região centro, onde também já se iniciou um programa de rastreio. A ausência de uma política de rastreio é, aliás, mais uma das razões que tornam o cancro colorrectal no mais fatal em Portugal - em contraciclo com a Europa. "Todos os dias morrem nove pessoas por dia devido a este tipo de cancro", explica ao DN José Manuel Romãozinho, o presidente da Sociedade Portuguesa de Endoscopia Digestiva.
Fonte: DN 07-10-07

16 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

Chegamos ao ponto onde quem não tem seguros de saude privados, espera e morre, o estado continua a ausentar-se das suas responsabilidades, quem não tiver dinheiro espera, infelizmente muito não pela consulta mas por algo incurável, a morte.
O povo pobre povo, que aplaude e ri.

Grande aquisição do Tarantino sim senhor.

Quintarantino disse...

1 cêntimo?

migvic disse...

Não é só a justiça que é difere conforme o extracto social.

O dinheiro afinal, compra felicidade.

NINHO DE CUCO disse...

A vida humana não vale nada neste país quer seja a vida d eum doente, quer seja de um estudante, quer seja de um professor, quer seja d eum funcionário público, quer seja.....QUALQUER UM DESDE QUE NÃO FAÇA PARTE DA ELITE ECONÓMICA E POLÍTCA.

Dalaila disse...

Fico triste, triste com estas realidades, e assim se sobrevive, ou nã????

NÓMADA disse...

Até quando vamos aguentar tudo isto?

ALEX disse...

É uma realidade que custa a engolir e que se passa todos os dias debaixo dos nossos olhos.

Fernanda e Poemas disse...

Olá,Silêncio Culpado eu minha amiga, luto sempre por aquilo que desejo. Tenho por hábito dizer;
Os meus desejos são o infinito do limite.
E na prática do dia a dia é essa a minha luta.
Lutar sempre por aquilo que eu desejo e nunca baixo os braços.
Dou-te aqui um exemplo;
Tenho 4 blogues e todos são tratados com o mesmo carinho como se de filhos se trata-se.
Deixo-te muitos beijinhos e um bom começo de semana.
Fernandinha

O Profano disse...

Isto é triste mas é a nossa realidade.

O tempo que demora a ter uma consulta é o suficiente para o cancro crescer e desenvolver-se o suficiente para se metastisar e espalhar pelo resto do corpo.
Assim quando se vai á consulta, já o cancro vai tão avançado que depois só com medicamentação extrema é que se consegue o combater.

E mesmo assim, muitas vezes somos derrotados pela cie^ncia,; pois o cancro acaba por vencer sempre. ( nem sempre logo, mas mais tarde...)


bjs

Keops disse...

Ao ler o teu apontamento, senti-me bem. Afinal os detentores de indignação somos muitos!Sabes, creio que enquanto não houver connsciencia colectiva de que as pessoas são o mais importante, as políticas não mudam, não se "priorizam" Entretanto temos ESTÁDIOS, megalomanias como TGV etc. etc.- não vamos desistir, pois não?

J.G. disse...

Quando as verbas destinadas à prevenção e rastreio de doenças são, em Portugal, uma causa menor do ministério da tutela, nada admira esse lugar no ranking europeu.

Um abraço.

Joshua disse...

A minha avó morreu de este problema quando ainda não se tinha plena consciência do peso que tem em Portugal, e ainda não há muito tempo. Também li a notícia, mas a notícia é mais lenta que a minha própria constatação da realidade e por contactar quem nela mergulha todos os dias.

Tenho pena das pessoas que assim são condenadas a um tempo de angústia acrescido e que só o muito dinheiro poderia abreviar.

Mais uma vez, agora a propósito da saúde, o dinheiro está no cerne da democracia, desdemocratizando-a.

Obrigado pelas tuas palavras companheiras de grande encorajamento para mim.

Bjs

avelaneiraflorida disse...

Nem respeito pela dignidade do ser humano,nem respeito pelas condições dignas de um final de vida...

Que seres humanos são estes que gerem as vidas dos restantes apenas pensando nos cifrões??????

António de Almeida disse...

-Também escrevi sobre este assunto, não concordando com o SNS como já referi por diversas ocasiões, a realidade é que ele existe, e se existe têm de se definir prioridades, esta parece-me que deveria estar no topo da lista, não obrigatoriamente em primeiro lugar, mas sem dúvida no top ten das prioridades respeitantes à saúde.

David Alves disse...

Não deixando de reconhecer todo o mérito ao texto e a pertinência que o mesmo tem...a verdade é que todos nós somos culpados pela situação em que as coisas se encontram. A sociedade civil portuguesa (se é que existe)é muito virada para o próprio umbigo e raramente vê além do seu nariz.

RB disse...

É uma vergonha