.



A VERSÃO DO SILÊNCIO











Dois temas que marcam a actualidade: José Rodrigues dos Santos e Juan Carlos versus Hugo Chavez.

José Rodrigues dos Santos
Parece que tem que ser despedido "custe o que custar" e, portanto, tudo vale para arranjar justificações. Lembro-me da célebre frase de Napoleão, quando foi derrotado na Rússia: "Hão-de-me atirar-me à cara esta falta para justificarem o terem-me voltado as costas". Ou seja, procuram-se os argumentos para o que se pretende fazer. Argumentos que valem para aquela situação e que podem não valer para outras.
Porém, José Rodrigues dos Santos será, provavelmente, aquilo que era há uma dúzia de anos atrás quando foi meu professor numas aulas de pós-graduação: alguém que não se inibe de dizer o que pensa e que procura demarcar-se dos ambientes e das pressões que confinam as mensagens.

Mas é preciso ter presente que todos os partidos, em toda a parte do mundo, procuram dominar os meios de comunicação e as mensagens produzidas. Em Portugal isso aconteceu na altura do PREC, da AD/, PSD e do PS. A Administração da RTP ao abrir esta guerra a José Rodrigues dos Santos está a dar um tiro no pé porque:

1) O jornalista sai com a popularidade reforçada e, noutra estação concorrente, terá espectadores desviados da RTP1.

2) O governo PS aparece como promovendo uma perseguição maior do que os antecessores atrás citados.

O que, em minha opinião, é uma burrice de todo o tamanho.

Juan Carlos versus Hugo Chávez
Juan Carlos perdeu uma óptima oportunidade para estar calado e se portar como um verdadeiro rei. Hugo Chávez tem aquela linguagem que, geralmente, não se gosta mas teve toda a razão em dizer o que disse sobre Aznar. Pura e simplesmente porque o que ele tem contra Aznar não é o facto de Aznar ser, eventualmente, mais conservador que Zapatero. O que ele tem contra Aznar é o facto deste ter incentivado, através da embaixada de Espanha na Venezuela, o golpe de Estado contra Chavez após este ter sido democraticamente eleito.

Apesar de não simpatizar com Chávez tenho que reconhecer-lhe o trabalho de reconstrução, e apoio aos mais desfavorecidos, e a legitimidade que lhe confere o facto de ter chegado ao poder, e ter sido reeleito, em eleições democráticas.

Não é pois mandando-o calar que Juan Carlos lhe dá lições de democracia.

38 comentários:

Keops disse...

José R dos Santos ousou falar do que sabia, tornou-se incómodo. Não sei até que ponto ele tem conhecimento. Mas certamente muito mais do que muitos que só veêm os ecrans da TV. Um tiro no pé, tb creio. Mas, consegue a soberba ver isso?
Chavez, tb não gosto de exercícios de força. Mas é tb incómodo pois ousa falar do que muitos pensam e politicamente correcto não proferem. No meio disto tudo,os senhores do Governo não se podem esquecer da imensa comunidade que há na Venezuela, não cair em leviandades bacocas!

Pata Negra disse...

José Rodrigues dos Santos é homem para eu não estar preocupado com o futuro dele. É hora de tirar da televisão tudo o que é bom, já a vejo muito pouco, aqui em casa estamos quase a chegar a acordo, o canário precisa de alojamento.
O Aznar chamou muita coisa ao Chavez, não vi a televisão fazer opinião nem o rei da Espanha, não imperial, mandar calar o seu súbdito. E depois, seguindo a argumentação de Zapatero, se Aznar foi eleito pelos espanhóis, D.Carlos não o foi.

António de Almeida disse...

-Vou apenas comentar a última parte, pois sobre a primeira já disse o que penso no post de ontem, não quero fazer de forma alguma a defesa de Aznar, até porque representa algo em que não acredito, o centralismo de Madrid, mas não estava presente, de qualquer forma Chavez até lhe poderia ter enviado uma indirecta, se o preferisse até á Espanha enquanto país soberano, agora o que Chavez não pode, ou não deveria se tivesse educação, era exceder largamente o tempo de que dispunha, para ser o macaco da cimeira, algo que alguns populistas da região aturam, ou até invejam, mas que para outros foi uma seca. O rei disse uma frase que lhe saiu espontânea, mas que foi sentida, porque razão não se haveria de calar aquele imbecil! Para os que afirmam que o rei não tem legitimidade, aqui vai uma informação, a constituição espanhola, prevê a monarquia constitucional, foi submetida a referendo em 1978, e aprovada com 80%. Já agora uma pergunta, a constituição portuguesa, que consagra a república, foi referendada quando? Por favor não me considerem monárquico, sou adepto dum regime presidencialista, e parlamento com representação eleita por circulos directos!

O Árabe disse...

A tentativa de domínio dos meios de comunicação, amiga, já é em si mesma uma bobagem. Até porque as idéias não podem ser dominadas...

Carreira disse...

Olá.
Vi a tua mensagem.
Qual é o blogue da Laurentina?
Obrigado.

Carreira

7 Pecados Mortais disse...

Em relação ao J.R. Santos, como já disse anteriormente, a concorrência espera-o. Só mais uma nota: um dos possíveis motivos de despedimento, segundo li, é um eventual atraso na sua apresentação nos estúdios da RTP. Penso que é exagerado e falta de bom senso no que respeita a arranjar desculpas para o despedimento. Quanto à segunda parte, penso que o Rei não esteve mal, pois se Chavez se pode pronunciar sobre Aznar que não se encontrava para se defender, o Rei democraticamente respondeu à democracia de Chavez. Quanto a este que foi democraticamente eleito, usa actualmente no seu País uma política de Ditadura. Tenho um colega meu residente na Venezuela que me vai dando notícias sobre o País. Ele refere como prática dessa Ditadura um exemplo entre vários, como o facto de Chavez ter dito aos estudantes que eles têm que estudar as necessidades do País e não as que eles querem ao que possuem como vocação. Portanto a meu ver, democraticamente eleito ou não, este não possui uma filosofia de democracia. Portanto, se ele fala livremente sobre Aznar, não acho mal nenhum que o Rei de Espanha o tenha mandado calar...ambos usaram a liberdade de expressão com fins diferentes.

Carreira disse...

Obrigado pela dica.

Peter disse...

No que respeita ao JRS, também penso que "o jornalista sai com a popularidade reforçada e, noutra estação concorrente, terá espectadores desviados da RTP1."

Claro que eu, quando vejo TV e praticamente só vejo os noticiários, já sei que a RTP1 é "His master voice".

Quanto ao Hugo Chavez é preciso não esquecer a grande colónia portuguesa que ali existe e deixarmo-nos de anti-comunismos primários".

avelaneiraflorida disse...

Silêncio culpado,


O que me preocupa é quando começa aser criada a necessidade de justificações!!!!!

Se tudo fôr claro, transparente, não é preciso esgrimir argumentos...
O que diria disto António Aleixo???????

UM BOM FIM DE SEMANA!!!!!
BJKS

Alexandre disse...

Com os seus best-sellers Rodrigues dos Santos provoca muita inveja a muito boa gente que ainda grassa pela RTPública, por isso havia que acabar com ele - ninguém teve coragem até agora por causa da popularidade do jornalista e acho que escolheram a pior altura de todas. Mas eles lá sabem - entretanto José Rodrigues dos Santos já não tem que provar nada, é um dos portugueses mais cultos e mais conscientes da actualidade.

Sobre Juan Carlos direi que um verdadeiro Rei nunca reage, ignora!

Abraços!!!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Avelaneiraflorida
Talvez António Aleixo escolhesse esta para aqui:

Co´o mundo pouco te importas
porque julgas ver direito.
Como há-de ver coisas tortas
quem só vê em seu proveito?

ALEX disse...

O JRS é um locutor brilhante, é um catedrático brilhante e é um escritor brilhante. As pessoas que se destacam sofrem muita inveja e muita vontade de deitar abaixo. Agora pegam-lhe por tudo porque querem implicar. Se calhar há outros que chegam atrasados e ninguém diz nada.
Quanto ao Chávez o homem é inconveniente na forma como se exprime mas concordo que foi eleito democraticamente mesmo que instaure uma ditadura foi eleito pelo povo sabendo o povo que ele é comunista.

Peter disse...

Os membros eleitos de Conselho de Redacção da RTP, com o apoio de mais de cem jornalistas da estação reunidos em plenário, exigem que a administração da empresa retire de imediato o processo disciplinar movido contra o jornalista José Rodrigues dos Santos.

Fernanda e Poemas disse...

Querida amiga, li e reli o teu texto.
Os dois temas em apreciação, são golpes baixos de quem não tem moral, ou se tem, deixam-na muitas vezes em casa.
Minha querida, muitos beijinhos e um bom fim de semana.
Fernandinha

C Valente disse...

Isto está lindo, não haja duvida,as trapalhadas são um mimo, e nós pagamos.
Neste país não serve de exemplo, veja-se o sr A Jardim, que tudo diz e ninguem o manda calar,
Bom fim de semana
saudações amigas

Belzebu disse...

O processo disciplinar movido contra o jornalista José Eduardo dos Santos faz algum sentido em 2007? É claro que não, até porque o delito de opinião já foi chão que deu uvas!

Quanto ao projecto pimba de socialismo revolucionário, provoca-me náuseas, pois no terreno é a total negação dos valores que defende! Aliás isso nem me devia surpreender!

Aquele abraço infernal!

quintarantino disse...

O que é espantoso nisto tudo é que quando o rei mandou calar o palhaço, quem falava era Zapatero... a história do fascista já passara... mas alguns, selectivamente, conseguiram fazer de Juano Carlos um paladino e esconder o papel de Zapatero...

Rafeiro Perfumado disse...

Nesta situação, acho que os dois foram umas bestinhas. Em todo o caso, não se podia esperar que o rei de um país ouvisse serenamente dizer mal do seu primeiro ministro e ficar calado.

São disse...

Juan Carlos decepcionou-me neste desatino de se dirigir por "TU" - mandando-o calar!!!- a Chávez(por quem não morro de amores), que tem a legitimidade de ser eleito enquanto o rei é tão só o "sucessor" do ditador Franco!!
Bom fim de semana!

J. P.G. disse...

Concordo relativamente ao jornalista da RTP.

Discordo totalmente no que diz respeito ao ditador Chavez.
Habituado a mandar calar tudo e todos que lhe não prestem vassalagem no país que domina com máo-de-ferro, suprimindo toda e qualquer liberdade democrática, preparando-se para ser o "Grande Chefe da América do Sul", este ditadorzeco, agora, afirma que não ouviu Juan Carlos dizer-lhe para se calar.
É preciso ter descaramento!

Sem me importar nada sobre Aznar, não era lugar para vingançazinhas pessoais.
Juan Carlos fez o que eu, provavelmente, faria, e tem toda a legitimidade para agir como agiu.

É a minha opinião.

Saudações.

Joshua disse...

Mas muitas vezes não são as posições e as responsabilidades a falar. São os homens mesmo e a partir das próprias tripas.

DS disse...

Todas essas pessoas que lutam pelo poder teriam uma visão mais correcta da missão que lhes cabe, se trocassem a palavra poder por serviço. Estar ao serviço do povo é um termo bem mais justo para um governante do que qualquer forma de sobreposição.

Klatuu o embuçado disse...

Juan Carlos é um dos monarcas mais importantes da Europa e um grande homem, o ditadordezo da Venezuela nada é... apenas uma espécie de clone avariado de Fidel. Aznar foi 1º Ministro legitimamente eleito de Espanha e, como tal, não pode nem deve ser insultado numa cerimónia oficial.
O ditadorzeco tem direito às suas opiniões... que as vá expressar no talk show de 6 horas com que estraga o prazer televisivo aos venezuelanos!

Dedica-te a outra coisa qualquer... O comentário político está para além das possibilidades do teu espírito crítico.

Klatuu o embuçado disse...

P. S. O ditadorzeco foi reeleito em «eleições democráticas»???????????????????

Continua a ler a «Maria»...

bluegift disse...

Tenho pena que a RTP perca o RdS, a concorrência é demasiado bacoca, mas paciência.
Não gosto do Chavez e não me parece que seja verdade que tenha diminuido a pobreza. Criou outros grupos protegidos que arrancou à pobreza, isso talvez sim. É mais um ditadorzinho de extrema esquerda, infelizmente eleito pelo povo que nele acredita já que não existe melhor opção. Mais um cancro da América Latina. O Juan Carlos limitou-se a mandar calar o "súbdito"... é o que dá ser monarca e ainda pensar que a Espanha detém um Império...

Tiago R Cardoso disse...

Nisto tudo quem sai por cima é o JRS.

Para mim o Rei fez muito bem, da mesma forma que Zapatero também lhe respondeu à medida, podem ter dado mais importância ao rei mas neste caso toda a delegação espanhola esteve bem.

O Sr. Aznar pode ter ou não feito algo contra o Chavez mas insultos gratuitos de alguém que procura protagonismo, ainda por cima um representante da "democracia", merecem resposta, pena que todos continuem a baixar a cabeça ao Chavez.

Parece que agora vai ter direito a a um almoço por cá, será que o sr. Sócrates não tem vergonha ?

Muito bem o Sr. presidente Cavaco Silva em não se encontrar com tal figura, presumo que como está a chegar o natal, para ver palhaços, sem desprimor pela nobre arte, Cavaco prefira ir ao circo.

A Lei da Rolha disse...

Estão a tentar usar a lei da rolha no josé, o que eu discordo absolutamente.
Quanto ao rei marca tijela, não censuro o ele ter mandado calar o hugo, porque estava a falar do aznar, que não estava lá, até tive pena do zapatero, he,he...
bfs

Laurentina disse...

Ora bem , quanto ao José R.dos Santos ele até pode ser despedido...melhor para ele, para a estação onde fôr trabalhar no dia seguinte bem como para o publico em geral que ganha um Comunicador mais forte e todavia sem fitas de velcro...

Quanto ao Hugo Chaves, que vá dar banho ao cão!
...que fique claro que não gosto mesmo nada do Aznar, mas quanto ao Rei tb foi eleito pela constituição espanhola.
Mais, o tratamento intimista por"tu"em Espanha é regra.

Tenho pena se magoei alguém,mas comentário é comentário.E eu abomino ditadores.

Beijão grande

JOY disse...

Minha querida amiga,

Só para anunciar que tem prémio .
Mais do que merecido

Cumprimentos
Joy

Silvia Madureira disse...

Tenho que dizer que deve ser um privilégio ter tido José Rodrigo dos Santos como professor...quem me dera. É uma figura simpática para todo o povo português não só como jornalista mas também como escritor: muito talento!


beijo

O Puma disse...

TODOS OS REIS SÃO NOMEADOS PELA

HIERARQUIA DO SANGUE

martelo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
martelo disse...

tal como referi num post, o caso JRS representa a afirmação de quem pode e manda... e no segundo caso, do Chavez, embora exagerado no gesto e na palavra, o Juan bem podia estar caladinho pela inconveniência do cargo simbólico

Dalaila disse...

Todos os que incomodam.... acabam por ser mandados calar.... até por reis!

bluegift disse...

Por acaso há uma omissão grave na ordem dada pelo rei de Espanha a Chavez. Um espanhol de gema nunca, mas nunca esqueceria:

¿por que non te callas, coño?

imperdoável esquecimento...

Cati disse...

Quanto ao JR dos Santos, não deve estar preocupado... O seu futuro estará sempre garantido, seja ou não despedido. A verdade é que vivemos num país em que a liberdade de expressão está cada vez mais em vias de extinção.

Quanto ao rei e Hugo Chávez... eu estou de acordo com algumas ideias de Chávez, embora não concorde minimamente nem com os seus maus modos nem muito menos com a sua tendência para a ditadura "à Fidel". O rei de Espanha não se portou "à rei"... mas teve um belo par de cojones, eu gostei de ouvir!!! Com certeza ninguém esperava... não ensina nenhuma lição de democracia, mas também mostra que o rei não serve só para enfeitar.

Um big kiss, boa semana!

PiresF disse...

Minha cara amiga, com pena o digo, mas não estou minimamente de acordo com esta tua opinião.

Embora Chávez tenha sido eleito, é um ditadorzeco que envergonha com as suas atitudes a esquerda internacional. Exceptuando dois ou três amigos que tem, por sinal, tudo gente pouco recomendável, ninguém escapa às invectivas deste burlesco virulento.

Susete Evaristo disse...

Não me importo que seja despedido terá mais tempo para escrever.
Fã incondicional da escrita do José