.



ESCOLA VERSUS IGUALDADE DE OPORTUNIDADES

Xana (mãe) e Alex, aluno do 9º. ano, duma escola do agrupamento Ferreira de Castro em Mem Martins (*)



Alex nasceu para ser feliz, amar e ser amado. Toda a gente gosta do Alex e o Alex gosta de toda a gente. Foram raras as vezes em que Alex mostrou não aceitar alguém, porém quando o faz é irredutível.
pppppp

Acompanhei-o nos estudos durante os primeiros 7 anos de escolaridade em que frequentou, durante um ano a pré-primária e, durante 6 anos, o ensino básico. Estudou num colégio particular e eu acompanhava-o nos estudos procurando incutir-lhe o gosto de aprender sem sacrifício. Alex era cumpridor e amado pelos professores e pelos colegas. Sempre prestativo, alegre e camarada todos o adoravam. Era também muito traquinas no seu gosto pelo futebol e só uns ténis de muito boa marca resistiriam um mês. Caso contrário, ao fim de 15 dias já tinha que lhe comprar outros. As calças estavam também sempre a romper-se-lhe nos joelhos.
ppppppp

Os professores acompanharam com ternura o seu desenvolvimento conhecedores que eram da sua situação de filho de pais separados e toxicodependentes. No último ano de colégio uma professora propôs-se pagar, do bolso dela, a viagem do Alex à Eurodisney. Só que, como depois foi esclarecido, Alex foi privado da viagem não pelo custo da mesma mas pela questão da tutela que estava a decorrer no Tribunal de Menores.
ppppp

No 7º ano Alex passa a viver com a mãe e a frequentar o ensino oficial. Sempre receei que a transição lhe trouxesse dificuldades de adaptação e que os estudos se ressentissem mas tal não aconteceu. Sempre bom aluno, adaptou-se com extrema facilidade a outros ambientes.
ppppppp

Nesta altura, espigado e com a penugem a sombrear-lhe a cara, Alex está um pouco mais respondão. Mas mesmo assim adorável. Pratica futebol e vai também à catequese. Nós não somos crentes mas a mãe entendeu que era bom para o Alex ter uma orientação religiosa. No entanto desconfio que o Alex não tem uma fé por aqui além.
pppp

Da minha conversa com ele resultou este arranjo do que ele me disse.
ppp
"Sim, eu gostava de andar do colégio. Também nessa altura era mais pequeno e precisava de maior protecção. Era complicado andar sozinho nas estradas com movimento e outras coisas assim. Gostei de andar no Colégio Rainha Santa Isabel porque já eramos uma família. Depois começou cada um a ir para seu lado e isso foi chato. Mas agora já tenho novos amigos e já está tudo na boa.
ppppppp

Gostei do colégio mas também gosto da escola onde ando.
ppp

Se os professores me dão mais atenção no colégio que na escola onde ando? Nã, esta escola é boa. Quem chumba duas vezes tem que sair. Não há casos difíceis. Os professores são todos bons. Só um velhote, que tem quase 40 anos e que dá fisico-química, e que ninguém gosta o resto é tudo bom. Não, não discriminam ninguém nem mostram preferências. Sim, se tivermos dificuldades explicam outra vez e se pedirmos ficam horas connosco a ensinar-nos. Os professores são todos bons. Mas eu gosto mais dos mais novos. Aquele "velhote" é uma chatice.
oooooo
Os alunos uns em relação aos outros? Tudo bem. Não, não há discriminações é tudo igual. Sim, mesmo de outras etnias e isso tudo. Já disse os professores são todos bons e têm muita paciência. É uma escola com bom aproveitamento. Este agrupamento tem 4.000 a 5.000 alunos.

ppppppppppp
Não, ali não há violência dos alunos para os professores os pais dos alunos é que são chatos para os professores nas reuniões de pais."
ppppp
A mãe de Alex intervém para dizer:
ppppp
"Só tenho bem a dizer daquela escola. Como sabes quando o Alex esteve doente durante 3 meses, com uma virose, os professores vieram a casa dar-lhe os tópicos das aulas e fizeram testes só para ele para que não perdesse o ano. Nunca vou esquecer isso. E também para o processo de custódia que está a decorrer no Tribunal de Menores os professores se prontificaram a prestar declarações por escrito. Só tenho a dizer bem. E fico triste quando vou a reuniões de pais e vejo os pais a serem desagradáveis para com os professores. Mas não penses que tem a ver com o estudo. Não! Querem saber se há viagem de finalistas, o que é que os filhos devem vestir no baile de finalistas e outras coisas do género.
ppppp
Falam, falam, falam nas reuniões mas no essencial não tocam".
pppppppp
Sobre o ensino e o que se diz sobre o ensino Alex pensa que tudo poderia ser melhor se as pessoas fossem mais compreensivas. Segundo ele, a escola fez-se porque todos precisam de aprender e os professores precisam de ensinar, porque é a profissão deles e eles devem gostar do que fazem para ganhar a vida.
pppp
Não é tudo tão ruim como as pessoas querem fazer crer. Se a gente tiver uma atitude positiva perante as coisas os caminhos estão lá para serem percorridos. Alex diz não temer o futuro porque acredita que haverá, em qualquer sítio, um lugar para ele. E ele aceita o lugar que houver seja onde for.
ppppp
(*) Mais informações sobre o percurso do Alex em http://moendocafe.blogspot.com
ppppppppppppppppp

42 comentários:

amigona avó e a neta princesa disse...

Minha querida Lídia hoje estou particularmente sensível...talvez por isso sinta um nó na garganta e dificuldade em continuar...sério que o primeiro impulso foi fugir! Depois o Alex obrigou-me a rir com o "velhote" de 40 anos (nem o quero conhecer, porque para ele devo ser uma múmia!!!!)...e aqui estou...queria, se ele me deixar mesmo à custa de me chamar múmia dar-lhe um grande abraço nesta sua coragem de incursão no mundo aqui duns adultos que estão a falar sobre educação...MUITOS PARABÉNS miúdo! Muitos parabéns a ti e á tua mãe pela doçura das palavras...muitos parabéns pela verticalidade que se sente nos olhos que não vemos!
Sinto um orgulho muito grande por poder estar aqui convosco...por terem partilhado (também) comigo este bocadinho da vossa vida...e é bom ler a experiência do Alex...que nos fala de um mundo onde é possível manter a esperança, a coragem, a felicidade...sabemos que têm a vosso lado a querida Lídia...sabemos que, por isso, se sentem mais felizes...pelo vosso testemunho de Vida - obrigada!

zé lérias disse...

Se bem entendi, aqui é relatado um caso em que a sabedoria dos professores e amigos é posta ao serviço do ensino e da educação.
Assim fosse sempre em todos os casos e sobretudo em casos como o do Alex.

É sempre um prazer aqui vir espreitar.

Desejo um óptimo fim-de-semana

A Lei da Rolha disse...

Desejo ao Alex tudo de bom neste mundo...tem boas pessoas à sua volta!
bfs

Silvia Madureira disse...

Onde está o Alex?
A minha primeira vontade ao ler este texto foi falar com o Alex...é verdade.

Grande homem...parece-me daquelas crianças que nasceram para ensinar os adultos e para receber de prontidão o melhor que estes lhes têm para dar.

Grande lição Alex!

Quanto aos agradecimentos que fazes aos professores por tudo o que fizeram por ti...eu penso que eles é que te agradecem por te terem conhecido.

Eu pelo menos...pensaria assim.

Trabalhar contigo deve ser uma aprendizagem de optimismo, confiança ...

Tu consegues ver a vida de um ângulo realista mas sem uma atitude pessimista....

Realmente, tens razão...

A vida dos professores e das pessoas não está nada má...

Nós adultos temos tendência para a lamentação...

Eu gosto de falar com os alunos, embora os meus sejam de 7ºano este ano...mas contigo seria um prazer.

beijo enorme

Silvia Madureira disse...

"Alex diz não temer o futuro porque acredita que haverá, em qualquer sítio, um lugar para ele. E ele aceita o lugar que houver seja onde for." PALAVRAS DE ALEX



GRANDE HOMEM! já tinha dito?

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Lídia, venho desejar-te um bom fim de semana.
Muitos beijinhos de carinho.
Fernandinha

Mocho-Real disse...

Aqui está um testemunho de que "as bestas negras" do ensino não são SEGURAMENTE os professores.

Em mais de 90% os professores são pessoas sensíveis, instruídas, pais e mães também e deicados à profissão e aos alunos.
Só de vez em quando aparece assim um "velhote" chato de quase 40 anos... ahahahahah!....
COMO É BOM TER 15 !

Um abraço.
Jorge G.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona
O Alex gosta de idosos.Um vizinho com 84 anos teve um AVC. Esse vizinho gosta de ter rolas no quintal mas, com a doença, não pode cuidar delas. O Alex arranja sempre um bocadinho para tratar das aves. E comprou uma gaiola para pôr em casa uma rolinha doente que requer cuidados especiais.
Agora na escola o problema já é outro.Quando lhe perguntei se com quase 40 era velhote como é que ele me via ele riu e disse que para ele, que ainda não tem 15, quem tem mais de 30 já é cota.
A mãe está a fazer um esforço enorme mas tenho muitas reservas sobre a sua reablitação total. Porém, o que é importante, em meu entender, é puxar por aquilo que cada um tem de bom e procurar sempre dar mais uma oportunidade. Ela é uma boa mãe e o Alex ama-a muito.
Bejinhos

SILÊNCIO CULPADO disse...

Zé Lérias
Este caso que acompanho de perto é uma realidade. Fiquei muito sensibilizada e surpreendida, pela positiva, com a qualidade dos professores. Professores a sério que não se limitam a dar matéria. Por isso quis evidenciar esta situação que se contrapõe às análises pessimistas que tendencialmente são feitas.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Lei da Rolha
Obrigada em nome do Alex.
Um abraço.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sílvia Madureira
Não sei onde vives. Eu vivo em Sintra. Podemos encontrar-nos e podes conhecer o Alex. É uma questão de se combinar.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fernanda
Beijinhos, amiga.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mocho-Real
É isso mesmo. Em 9 anos de escolaridade a avaliação feita pelo Alex, e agora pela mãe, sobre os professores é extremamente positiva.
Salvo aquelas excepções que confirmam a regra.
Um abraço

Mary disse...

Um garoto extraordinário este Alex mas os professores (e foram muitos porque 9 anos de escolaridade é muita fruta), estiveram à altura e de que maneira de situações que eram complexas e que exigiam muito da capacidade pedagógica e educativa.
Que sirva para meditar.

avelaneiraflorida disse...

ALEX!!!! EM FRENTE ...Apesar de ser um fóssil, eu percebo-te muito bem!!!!!
Acredita em ti!!!! Continua a olhar para o futuro!!!!
Assim todos os jovens cuja vida se vê subitamente desmembrada por questões dificeis...tivessem essa tua VONTADE!!!!
DESEJO-TE TUDO DE BOM!!!!

"Brigados" Querida Lídia, por este testemunho!!!!
Bjkas, amiga!!!

René disse...

ALEX
Grande lição nos dás. Porque será que para uns todos os professores são bons e, para outros, todos os professores são maus?

Silvia Madureira disse...

Lídia:

Eu vivo no Norte do país...Marco de Canaveses, uma pequena cidade pertencente ao Porto.

Já imaginaste o quanto seria difícil?

Mas...ficou registada a tua boa vontade que demonstra o teu carinho por mim e eu fiquei feliz por saber que o Alex existe assim como muitos outros que poderão existir e que eu terei o prazer de conhecer ao longo da vida.

beijo

P.S. só uma questão...o Alex não gosta de escrever no computador?

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sílvia
Ele tem computador ligado à net mas é mais dado às matemáticas que à escrita. Agora anda louco com todos os tempos livres porque as miúdas não o deixam e está a praticar futebol a sério. É sportinguista ferrenho. Um dia ponho-o em contacto contigo e mando-te uma foto dele.
Beijinhos

António de Almeida disse...

-O Alex aprecia os seus professores, provavelmente porque estes são competentes no desempenho das suas funções. O retrato que ele pinta da escola pública não difere da privada. Resta saber que aluno é o Alex, que notas obtém, vou procurar noutro espaço.

Brancamar disse...

Querida Lídia,
Bonito testemunho de vida deste aqui.
Parabéns ao Alex por ter uma visão tão sábia da vida e dos seus professores, por saber dignificar uma profissão fundamental para todo e qualquer país e que merece bem a gratidão e o carinho de muitos Alex e dos seus pais.

Obrigada pelo pensamento lindo que deixaste há pouco no meu sítio. O perfume que fica na minha mão é o perfume da vossa amizade.
Vou tentar fazer um post novo hoje. O tempo é-me tão escasso, mas acho que sabes que não te esqueço.
Beijinho

SILÊNCIO CULPADO disse...

António Almeida
O Alex só teve dois 3 em português e audio-visuais. O resto tudo 4 e 5.

PiresF disse...

Um relato excelente que prova muita e muita coisa e contradiz tantas outras que nos querem fazer acreditar.

Excelente!

Abraço.

Pata Negra disse...

Estou à espera que a educação acabe para poder poder falar.
Um abraço dum mal educado

Rafeiro Perfumado disse...

Portugal está cheio de "Alex", infelizmente a maior parte não tem tanta sorte, perdendo-se nas ruelas da vida.

São disse...

Um testemunho que deveria ser conhecido por gente com responsabilidades decisórias na educação portuguesa.

Exemplar na forma e riquissimo no conteúdo.
Parabéns a todos os seres humanos envolvidos e que Alex consiga continuar trilhando um caminho de realização pessoal ao lado de quem o ama!

Que Deus vos abençõe!!

ABEL MARQUES disse...

O que aqui é relatado deveria ser do conhecimento da sinistra, e de todos aqueles que acham que professor é artigo de qualidade rasca, que deve ser perseguido e diminuído aos olhos de todos.

Boris disse...

Silêncio, minha Silência
grande alma e coração
que mostra nestas postagens
que afinal a instrução

pode ser de qualquer um
desde que bem amparado
e que muitos são melhores
que um betinho educado.

Por tudo o que aqui se diz
percebe-se que a razão
não está do lado daqueles
que mandam na educação.

Tanto professor sofrido
que trabalha até mais não
p´ra depois ser preterido
por esta nova avaliação.

Que tomemos consciência
de toda esta indecência
que manda na educação
e nos ergamos unidos

no nosso grito do não!

Alice Matos disse...

Um dos lados positivos da questão. Fiquei feliz por ler este testemunho real...

Lembro aqui o meu aluno F... que necessitaria de terapia da fala e de uma avaliação psicológica... que espero há dois anos... Apois... segundo parece deixaram de ser necessários... e regresso angustiada diariamente para casa pois o F... que nem consegue pronunciar o L já devia estar a ler como todos os outros colegas da turma...
A última semana deu-me a grande alegria de um clic... percebeu como se lê... agora é deixar correr o tempo... o seu ritmo próprio...
Mas nunca uma só professora, numa turma com duas classes e vários níveis de ensino, o vai poder ajudar como um apoio individualizado que necessitava... E o F conseguia!!!!

É frustrante!!!!

Beijos para ti...

amigona avó e a neta princesa disse...

Passei para ler o Alex e ficar um ser humano melhor! Beijos...

Silvia Madureira disse...

Acabei de ler atentamente o percurso do Alex que se encontra no "Moendo Café". O Alex na minha opinião é uma criança especial. Todas as crianças especiais são diferentes e invulgares...o caso dele foi bem sucedido infelizmente nem sempre acontece.

O Alex conseguiu não ficar traumatizado com o que viveu e mais...conseguiu enriquecer a sua alma e o seu espírito...crescendo e aprendendo com todas as situações difíceis que lhe foram atravessando a infância.

Penso que uma criança que se apercebe de toda a situação e reage a ela de uma forma adulta, ponderada e equilibrada...é especial ...

O facto de ter umas excelentes acompanhantes ajudou de certeza a equilibrar o que já se encontrava quase equilibrado pela sua própria estrutura interna.

O Alex tem uma estrutura interna excelente na medida em que reage de uma forma excepcional a todas as dificuldades da vida.

Um filho assim chama uma mãe para a vida...e foi o que aconteceu...ele ensina os adultos e apreende com eles o melhor.

Tenho a certeza que irá ser um excelente homem seja em que área for...porque toda a sua estrutura interna o ajudará a superar seja o que for.

beijo

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mary
Concordo que 9 anos de experiência escolar é muita fruta e que não foi coincidência encontrar tanto professor bom.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sílvia
O Alex é especial mas não é sobredotado. O Alex foi muito acompanhado e muito amado provavelmente mais do que outras crianças que, não passando pelos problemas que ele passou, também não tiveram quem lhes desse tanta atenção. E este será um bom ponto de reflexão especialmente na época actual em que são, cada vez mais, os casos de famílias destruturadas.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Brancamar e

Avelaneiraflorida

Dada a situação dos pais e para não lhe criar rupturas afectivas houve a preocupação de ensinar o Alex a desculpar e a ser tolerante. E ele aplica a mesma bitola na avaliação que faz dos professores. Por sua vez os professores gostam dele porque ele é cordato e afável.

walter disse...

Por aqui se vê que os professores não são os malandros que apregoam.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Alice Matos
Tenho tido conhecimento de verdadeiros milagres quando há empenho em que eles aconteçam.
Li um caso, de pais portugueses, que deram um acompanhamento sistemático e competente a uma filha mongolóide de forma a que ela pudesse frequentar uma escola normal de ensino básico.
Ela fez os 4 anos de ensino básico numa escola normal e o QI subiu. Acho que chegou a ultrapassar os 90%.
Agora os professores têm que ter condições para acorrer a situações como a que relatas ou, eventualmente, como esta que te falei.

zé lérias disse...

Boa semana, amiga!

Templo do Giraldo disse...

http://templodogiraldo.blogspot.com/


Passem por aqui e comentem! SAUDAÇÕES.

GIL disse...

A hiatória do Alex é a história da importância de se apoiar a criança e de lhe transmitir valores e afectos.
E é neste aconchego familiar que o Alex encontra a sua integração na escola porque se o Alex tivesse sido deixado ao deus dará provavelmente seria outra pessoa.

JOY disse...

Olá Lidia ,

O alex e os outros Alex que por ai existem são a prova de que quando se tem profissionalismo ,brio e se gosta daquilo que faz aliado a um desejar ser util ao próximo as coisas resultam e as situações a priori de dificil resolução conseguem ter um fim feliz.

JOY

J. ROBERTO BALESTRA disse...

Olá. Conheci seu blog hj. Adorei a história do tal Alex. A propósito, meu último post (ontem)- "A CASINHA" - fala sobre o universo escolar d'antigamente. Quando quiser (e puder) passe por lá e deixe seu comentário. Tenho lá muitos "CRONTOS" (explico:crônicas em forma de contos)js. UMA ÓTIMA SEMANA, CHEIA DE LUZ!!! bjs

Louise disse...

Interessante a história do Alex e interessante também ver o brio profissional de professores disponíveis para explicar a alunos com dificuldade, alargando horários sem qualquer compensação financeira, e o apoio que deram ao Alex quando esteve doente.
É bom que estes casos sirvam de referência.

7 Pecados Mortais disse...

Grande Alex...O que ele mostra é que nem tudo é mau...um rapaz forte e com objectivos traçados. Adulto para a idade que tem, tendo os problemas que foram aqui resumidos. Referiu que ainda há professore interessados, mas também tocou num assunto importante, a má formação de alguns Pais na própria educação dos filhos. Bem hajas Alex...