.



A DROGA E O MUNDO


A toxicodependência e o tráfico de drogas são, sem dúvida, dos problemas fundos e incontroláveis do mundo contemporâneo.

Serão, segundo estatísticas, mais de 200 milhões, em todo o mundo, os que consomem drogas ilegais tendo o seu tráfico experimentado um crescimento ímpar nas três últimas décadas do século XX, sobretudo o da cocaína com particular enfoque na América Latina onde a baixa dos preços das matérias-primas nos anos-70, nomeadamente do café, cacau e algodão, empurrou milhões de camponeses para uma produção intensiva de folha de coca que pretendia contrabalançar os deficits de produção indispensável à sua sobrevivência.

Na Bolívia, os mineiros que só na COMIBOL-minérios viram o desemprego atingir os 75% tornaram-se nómadas forçados passando a deslocar-se com as suas barracas à procura de emprego e acabando por juntar-se aos camponeses que já sobreviviam da plantação ilegal de coca. Actualmente a coca representa qualquer coisa como 75% do PIB da Bolívia. É assustador pensar na sua produção a tão grande escala e igualmente assustador pensar o que sucederia a esta população se de repente a plantação da coca deixasse pura e simplesmente de existir.

O narcotráfico é, no mundo presente, um dos negócios mais lucrativos. A sua rentabilidade é da ordem dos 3.000%. Os custos de produção representam 0,5% e os de transporte gastos com a distribuição cerca de 3% em relação ao preço final de venda. Este negócio expande-se à sombra da livre circulação de capitais, dos paraísos fiscais, na progressiva eliminação das fronteiras, da impunidade com que as organizações criminosas actuam, do sigilo bancário, do contínuo branqueamento de capitais onde os valores provenientes do tráfico de droga são convertidos em importantes activos pelos mais insuspeitos grupos económicos.

Estima-se que existam, em Portugal, mais de 100.000 toxicodependentes com uma larga percentagem ligados à cocaína contrariando a tendência generalizada para outro tipo de drogas sintéticas, e que se explica em parte pela posição geográfica de Portugal que, tal como o sul de Espanha, é um corredor de passagem das drogas vindas por mar de Cabo Verde e da América Latina.

Apesar do combate e das apreensões a nível local das drogas ilícitas a sua expressão a nível global é nulo ou por demais insignificante. Tendo em conta os milhões que geram e os interesses que encobrem todas as operações desencadeadas pecam por ingénuas quando todo o polvo se estende e alimenta num quadro de deterioração das condições de vida que ora fomenta ora se demarca mascarando de humanismo a desumanidade que o leva a alimentar-se do sangue e da pobreza.

Os mesmos que injectam a morte e a destruição são também os que defendem o negócio privado do tratamento e da reinserção social quais lucros paralelos e complementares duma realidade indigna e por demais cruel.


24 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA LÍDIA, MAGNIFÍCO TEXTO FUCANDO UM TEMA INFELIZMENTE SEMPRE ACTUAL... A FUGA MENTAL DAS PESSOAS QUE PASSAM CADA VEZ MAIS POR SITUAÇÕES DE CARÊNCIA A NÍVEL ECONÓMICO, LEVA-AS A CONSUMIR E SER PRESAS FÁCEIS PARA OS BARÕES DA DROGA... NO NOSSO PAÍS CADA VEZ SÃO MAIS FREQUENTES A MISÉRIA E A DESGRAÇA DAQUELES, QUE NÃO TEM UM PEDAÇO DE PÃO PARA DAR AOS FILHOS, MAS PARA GANHEREM ALGUM DINHEIRO ACABAM POR CONSUMIR CADA VEZ MAIS, ESSE FLAGÊLO DA HUMANIDADE...
UMA BOA NOITE E UM GRANDE ABRAÇO DE CARINHO,
FERNANDINHA

tagarelas-miamendes disse...

Ola Lidia- E realmente um flagelo. Quantas familias desgracadas? Destrocadas? Eu cresci numa geracao em que fumar axixe e maruana eram moda, muitos dos amigos com quem saia faziam-no a minha frente, ja nesse tempo eu respeitava as decisoes individuais, mesmo as suicidas, mas sempre tive forca de vontade para dizer nao e embora nessa altura para aqueles que o faziam, a classificacao atribuida, era de "careta", a verdade e' que acho que sempre me admiraram por saber dizer nao. Muitos deles, seguiram em frente a vida deles, sem consequencias e suprimiram essas rebeldias de juventude. Mas outros nao tiveram essa sorte e afogaram-se em drogas maiores.Uns ja ca nao estao, outros arrastam-se ainda por uma vida miseravel, que ja nem eles apreciam. Nos os que continuamos a gostar deles, sofremos por os ver assim e por ter lembrancas de como tudo comecou e como nao os pudemos ajudar a fastarem-se.
Mas tal como diz no texto, outros vivem vidas de sonho, com luxos holiodescos, a' custa destes infelizes.

Valsa Lenta disse...

Lídia

Li o post que deixou no meu cantinho. Fiquei sensibilizada. Obrigada pelo cuidado.
Amanhã estarei com algum tempo disponível e voltarei.

Felicidades

JOY disse...

Olá Lidia

Um texto bastante actual, infelizmente apesar de todas as campanhas de prevenção e esclarecimento o consumo de drogas ilegais, continua a aumentar. Penso que apesar de tudo se deve continuara apostar na divulgação dos maleficios da droga especialmente nas escolas e se deve mover uma guerra intensa aos traficantes.

Abraço forte
Joy

Teresa Durães disse...

enquanto a droga financiar guerrilhas e outras coisas, não há meio de a travar

Aura Sacra Fames disse...

A situação da sociedade de consumo do mundo capitalista leva muitos às drogas e à depressão, talvez uma solução seria a legalização, mas não haveria aumento no consumo? Em parte sim, mas redução no tráfico. A pedra angular dessa questão reside na educação.


Abraços
aurasacrafames.blogspot.com

Claudia Madureira disse...

Olá,
Tudo bem com você?

A dogra é a pior coisa que existe, e não h+a como acabar com ela.
Passei para deixar um beijinho.

Nilson Barcelli disse...

Para acabar, ou para pelo menos minimizar significativamente o problema da droga, é necessário cortar as auto-estradas do dinheiro sujo.
Para isso devem ser eliminados os paraísos fiscas, as offshores.
Mas o poder político dos maiores países a nível mundial não se têm interessado por isso.
Excelente post cara amiga.
Beijos.

Jorge P.G disse...

Uma engrenagem maquiavélica de parasitas assassinos.
Tal como os traficantes de armas,
SUGAM A VÍTIMA POR TODOS OS POROS E AINDA VÃO ÀS FAMÍLIAS.

UM ABRAÇO revoltado.

Fatyly disse...

Um "polvo gigante" coo dizes e bem neste magnífico texto que subscrevo.
É um flagelo a todos os níveis que se entrelaçam por muitos interesses políticos e não só.

Pelo muito que já li, por experiências vividas com filhos de vizinhos e amigos, na minha modesta opinião, no dia em que houver um governo que numa campanha eficaz sobre os malefícios da mesma e a sua legalização versus despenalização, acho que muita coisa mudaria. Não acredito que não surgissem mais consumidores, mas diminuiria bastante pelo menos evita-se um mundo de criminalidade para obterem o pó. Há quem consuma 500 euros por dia...e senão trabalham como conseguem? Está à vista de todos.
Gasta-se tanto dinheiro em estádios de futebol, em "centros de recuperação" que são uma treta e que cria riqueza para quem os gere, não seria mais viável, os que não querem tratar-se, haver um plano de fundo de dar a cada a dose diária, para que não fossem buscá-la onde não devem e a troco de muita coisa?
As salas de chuto julgo que são apenas para se injectarem en condições mais humanas, mas não dão a droga.

Tal como quem ande há anos a tratar-se com metadona, não trabalham e por vezes são apanhados no tráfico dantesco.

Não sei se me fiz entender!

Uma beijoca

António de Almeida disse...

Julguei que o consumo estaria a diminuir, mas não, mantém-se estável, esta semana li que a Cocaína teve uma brutal redução de preços, como não se praticam saldos nesse produto, só poderá ter acontecido por via do aumento da oferta, uma vez que a procura está igual. Existe sim transferência de hábitos, mas alguma população a experimentar cada vez mais cedo. Nesta matéria não acredito em políticas sociais, eventualmente algumas poderão resultar em toxicodependentes, mas a estratégia deve ser reduzir o consumo, evitar antes que se comece, pelo que a única aposta será a prevenção, reforçada com mais prevenção. Provavelmente para começar na escola primária, as políticas repressivas, que devem existir sobretudo no combate ao narcotráfico, nunca resultam na totalidade, apenas a diminuição do consumo poderá evitar o flagelo. O alcoolismo não foi erradicado, mas os números hoje nada têm que ver com a década de 70. Será que a forma como a Droga está a ser combatida, é a maneira mais eficaz? Não me parece que esteja a passar a mensagem!

mfc disse...

É o chamado planeamento vertical do negócio... tomando conta de todas as vertentes proporcionadas pelo negócio mãe!

O Guardião disse...

Uma boa reflexão sobre o tráfico, consumo e dinheiro no que é um dos mais lucrativos negócios do mundo - que leva ao vício, à degradação e à doença e morte muitos milhões por esse mundo fora.
Cumps

Pata Negra disse...

O proibido, o veneno, o abismo, estarão sempre ao nosso alcance. Erradicar a droga não está no não à sua produção mas sim a seu consumo. Compreendo os que a produzem para sobreviver, num mundo rendido ao lucro condeno os que a traficam para enriquecer, não estou com os governos que não a sabem combater, quero estar por dentro dos motivos daqueles que a ousam consumir!
Conheço esse mundo de muito perto e tenho certezas: o discurso dos governantes - incentiva; os colares das senhoras das instituições de apoio a não sei quê - provoca; a coregrafia dos ídolos - apoia; a degradação das estruturas sociais - convida.
É preciso ensinar que o fogo queima! É urgente salvar o sistema educativo português!
Um abraço com um vidro cravado no braço

Vieira Calado disse...

Olá, caríssima!

A coca também faz parte do jogo.

Quanto à cicuta... os Sócrates de hoje... bebem uisq

Desejo-lhe bom fim de semana

Bjssss

amigona avó e a neta princesa disse...

Voltarei para ler...agora é para saberes que te deixei-te um prémio, amiga...é teu...beijos...

Rafeiro Perfumado disse...

Quando uma das preocupações do Governo é a implementação de um programa de troca de seringas nas prisões, está tudo dito. Choca-me a autoridade máxima admitir que num local de reclusão, controlado por si, a lei circula livremente.

E choca-me ver todos os dias sinais exteriores de riqueza de muita gente que reconhecidamente não têm meios de criação legal de riqueza.

Pensando bem, choca-me tanta coisa...

Beijo.

Agulheta disse...

Lídia! Gostei deste texto que escreves,pois além de alertar para este problema que afecta a sociadades actuais,nos jovens e nas escolas se devia fazer mais campanhas de prevenção para alertar,mas os barões continuam a solta??? uma desgraça.
beijinho e bfs

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Lídia, querida, nada mais a acrescentar, seu texto enfocou com maestria essa chaga social que se espraia a olhos vistos pelo planeta afora. Quem poderá detê-la? Quem quererá detê-la? Há vontade política dos poderosos para fazê-lo?
Tantas famílias destruídas e chorando, sem consolo...só um outro detalhe: e as drogas ditas "lícitas" (bebidas e cigarros) que também infelicitam os lares e engordam as indústrias da morte, há controle sobre a mesmas?
Vamos continuar falando, quem sabe, um Anjo nos ouvirá???
Que tenhas um excelente final de semana!!!Bjs

Mário Relvas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Odele Souza disse...

Lidia, fiquei impressionada com este teu artigo. 3.000% de lucro em cima da desgraça alheia?! E o número de toxicodependentes é também assutador. Isto tudo é uma tragédia que se abate sobre tantas pessoas.

Um beijo.

Cátia disse...

Sem duvida assustador ! Desconhecia est realidade, basicamente o mundo gira a volta da droga ! tudo bem, normalissimo, até entenderia se alguem me explicasse o porque desta substancia ter tanto poder sobre o ser humano ! Tenho amigos que estão metidos nisto, alias, hoje em dia quem não ta ? "quem e má onda , e nunca experimentou, só um charro, nao faz mal, nao vicia , nao nada, faz melhor que o tabaco" . Eu nunca experimentei, nunca senti necessidade de me afirmar desta maneira ! Há algum tempo passei uma hora de almoço com esse amigo meu e mais amigos dele, fiquei incredula, eles pagam 20e pou uma barrinha fininha, que parece madeira, e derretem tudo de uma vez, fiquei assustada e jurei para nunca mais passar uma hora de almoço assim, todos fumaram , e mais do que um, quando fui para a aula, o cheiro a erva nao me saia do nariz !
Não entendo o porque de começar, o porque de continuar, o porque de por a vida em risco por causa dela !
Questiono-me diversas vezes , quem se droga só pensa em si? no seu prazer pessoal ? nao pensa na familia ? na mae, no pai, nos avos ? NO DESGOSTO ?
Enfim, pode ser que um dia entenda !

Grandes textos Lidia! beijinho
feicidades !

gaohui disse...

If ordering from an online ed hardy Clothing store, she should either have tried ed hardy sale the garment on in a store somewhere ed hardy or she had better be buying ed hardy UK from a vendor with a great return ed hardy cheap policy. Buying from an ed hardy Clothes online vendor has its risks and ed hardy store they should be understood. The edhardy.com upside is that online stores christian audigier sale tend to have a large selection ed hardy dresses of clothing to choose from. The ed hardy Polos bad news is they can be more ed hardy sandals expensive, or the cost of shipping and handling ed hardy Jackets can offset any cost savings she might have enjoyed

jumpitup74 disse...

Por que os consumidores fogem da culpa das drogas, sem consumo nao ha lucro e nem mortes!!!! Voce consumidor e tao culpado quanto os traficantes, talvez ate mais!

Otimo texto!!!!