.



O ESTADO SOCIAL E OS NÚMEROS DA NOSSA VERGONHA


Não é possível a liberdade e a vida quando somos cortados ao meio na nossa dignidade. Somos cortados quando somos humilhados e somos cortados quando deixamos humilhar os outros exibindo a nossa indiferença como um troféu.

Estamos a empobrecer por dentro porque não nos indignamos o suficiente perante um Mundo injusto e desigual. Um Mundo em que os 500 mais ricos consomem recursos equivalentes a 46 milhões dos mais pobres e onde a pobreza extrema não pára de aumentar a um ritmo de 3 milhões/ano nos últimos 10 anos.

Falar de políticas humanitárias para encobrir uma realidade que lateja e dói a quem ainda sente, é pactuar com a morte do ser humano pela perda das suas referências e da sua capacidade de se condoer.

Portugal é o País da UE com maior fosso entre ricos e pobres. Está mesmo na lista negra dos países onde a miséria grassa em situação de imoralidade extrema.

E assim enquanto os cem mais ricos em Portugal viram, no último ano, a sua fortuna acrescida de um terço do seu valor (+33,3%), dois milhões de portugueses vivem com menos de 360 euros/mês e mais de 4 milhões de portugueses estariam em risco de pobreza sem as pensões de reforma e as transferências sociais do Estado.

Um número assustador vem-nos também dos beneficiários do RSI (Rendimento Social de Inserção). Em Dezembro de 2008, segundo dados da Segurança Social, eram 334.621 os beneficiários deste Rendimento. Actualmente, e segundo a mesma fonte, são perto de 2 milhões (1.936.903) os que recebem o RSI.

Porém, se nos situarmos nos valores que estes beneficiários recebem para sua sobrevivência, deparamos com qualquer coisa como 180 euros/mês em média, para fazerem face a todas as necessidades.

Dolorosamente desenvolve-se uma caridade de elites que pretende acobertar o crime desta desigualdade extrema. Uma caridade que é chaga pela indignidade em que a população está colocada num País em que, no último ano, em média, 11 empresas/dia foram à falência produzindo, ao mesmo ritmo, cerca de 322 desempregados dia.

Apesar da extrema injustiça que nos estrangula como um garrote, o futebol, as tolonovelas e as entrevistas e programas televisivos ao serviço do poder, vão anestesiando um povo que sabia lutar.

Um povo com orgulho e dignidade silenciados.

O CHÃO E A VIDA é um projecto que pretende intervir e construir. É um projecto colectivo de união de vontades, o único modelo possível que garante a liberdade e a diversidade de experiências e de olhares. É um projecto que pretende falar das injustiças mas também de afectos, de solidariedades e de quotidianos simples de vivências.

É um projecto que falará de cultura e de valores. Um projecto que pretende que caiam os muros entre as pessoas e que todas tenham direito ao seu próprio rosto.


Ajude-nos a crescer. É por todos nós que estamos aqui.

Lídia Soares

7 comentários:

São disse...

Mas sabes o que aimda me é mais doloroso? É a atitude masoquista do povo português , que continua votando sempre nas mesmas criaturas!

Um abraço, linda

Nilson Barcelli disse...

O povo, ao fim e ao cabo, tem os políticos que merece.
A cultura e as atitudes têm mesmo que mudar. De cima a baixo... do mais alto dignatário até ao mais humilde dos portugueses. Sim, porque eu acho que todos temos culpa disto tudo.
Beijos, querida amiga.

manuel marques disse...

Em Portugal até os ricos são pobres.São pobres de espírito, são incapazes de criar riqueza para o país e postos de trabalho.Apenas sabem explorar,fugir aos impostos e olhar para o próprio umbigo.

Abraço.

Olhos de mel disse...

Oie minha amiga, muito bom vê-la por lá!
Um belos post! A verdade é que nos distraímos mesmo com essa programação e esquecemos do principal. Espero que o projeto dê certo.
Beijos

Olhos de mel disse...

Passando para desejar um bom final de semana!
Beijos

C Valente disse...

cada vez mais pobres quer monetáriamente quer de espirito, então na classe politica nem falar
saudações amigas ebom fim de semana

Maria João disse...

Se doente estiver a árvore, jamais o seu fruto será são.
Os políticos são fruto da sociedade que temos vindo, progressivamente, a destituir de valores e a substitui-los por ambição e poder.
É por isso que nos devemos envergonhar todos!
É por isso que é da responsabilidade de todos fazer alguma coisa!

Um beijinho