.



DIA MUNDIAL DA CONSCIENCIALIZAÇÃO PARA O AUTISMO

O autismo é um distúrbio de maior ou menor gravidade a nível de sistema nervoso , que se repercute na dificuldade de relacionamento interpessoal.

Afecta mais o sexo masculino e ainda não se conhece tanto quanto seria desejável .

Cobre várias perturbações de comportamento.

Neste momento, Bruno Viana (27 anos, com um curso de Informática), portador de Síndroma de Asperger ,  disfarça-se de Mozart e percorre as escolas para dar a conhecer  o autismo.  

Acompanha-o sua mãe, Felismina Viana. Após a actuação de Bruno, Felismina explica o que é o autismo.

A reportagem vem na revista "Visão", desta semana.

Daqui fica o meu solidário abraço a todas as pessoas a quem este drama toca de perto.

Para mostrar essa solidariedade, devemos usar uma peça de vestuário com tom de azul em 2/4/2012.

20 comentários:

manuel marques disse...

O meu abraço solidário.

São disse...

Obrigada por mim e por quam é afectado

Doce Páscoa

Mina disse...

Obrigada São! espero que tenha gostado;) foi só um pouquinho de uma hora de apresentação,de um projecto de educação e inclusão, que propusemos às escolas que infelizmente por burocracias ou algo mais que me transcende, só foi aceite pelo Municipío da Azambuja, não sendo sequer da nossa residência. O Preconceito continua, aliado á ignorância...
Bjinhos e boa Páscoa

Mina disse...

ahahah
O drama, não é viver-mos com eles, que são pessoas fascinantes e puras.
O drama é a politica e as politicas, discriminatórias, (se poder aconselho-a a ler a mensagem do senhor secretário geral da ONU) sobre o tema.

Não se trata de uma doença, não há medicação para o autismo, pode é haver comorbilidades nesta patologia para as quais esses sejam necessários.

Usualmente são usados os termos, disfunção global do desenvolvimento, perturbação neurocomportamental e mais global (PEA) que engloba todo espectro...

São disse...

MINA, tenho duas licenciaturas em Educação, área onde trabalhei profissionalmente dos 20 aos 55a nos e onde desempenhei todas as funções e cargos com excepção de ministra.

Tudo isto para lhe dizer que o funcionamento burocrático do sistema educativo - e não só - é algo impensável e indiscernível.

Depois, também existem as modas quanto a temas e teorias. Certa vez foi a do Currículo de Orientação Cognitiva, baseado na teoria de desenvolvimento de Piaget(que , além das falhas próprias, começa logo pelo erro crasso de se basear nos seus tr~es filhos!!!).

Enfim, mão desista!

Um abraço grande para vós

São disse...

Quando comecei a profissão , o autismo era imputado aos pais, principalmente à mãe.

Até hoje, foram alargando o leque, mas solução---nenhuma, infelizmente.

Pelo que me parece, o seu filho nem é dos casos mais graves: consegue estabelecer relações interpessoais embora condicionadas.


Mas vi casos impressionantes tanto de crianças como de desespero de quem as cuidava por impotência.

Por tudo isso, tenho o máximo respeito e toda a solidariedade para quem convive com estas situações.

Para vós e família, uma Páscoa de renovação e paz.

Ana Martins disse...

São, boa noite!
Os autistas são Seres especiais, inteligentes e sensíveis.
Há uns anos, dei apoio a um menino autista, ficou a saudade!

Beijinho com votos de uma Santa e Feliz Páscoa.
Ana Martins

São disse...

Obrigada pelo testemunho, mesmo.

Bem haja, minha amiga!

Mina disse...

Boa noite São

Tenho andado sem tempo para vir á internet, infelizmente tem de se aproveitar ainda as ocasiões, para no terreno se dar visibilidade ao tema.
E incomoda-me muito que vire moda, tudo faremos, para desmistificar.

Sim o drama das familias é a falta de apoios.
Porque estas crianças e adultos na maioria são cativantes e um desafio, naturalmente que se tratando de um espectro temos oscilações( até no próprio percurso) e muitas diferenças entre eles.
O meu filho tem Síndrome de Asperger dentro da síndrome não é dos mais ligeiros, tem uma autonomia (orientada) e muitas capacidades...
Beijinhos

São disse...

Bom dia, Mina!

A falta de apoios é uma realidade à qual não podemos fugir : faltam creches, jardins de infãncia,lares, ....e em caso de necessidades específicas tudo piora, desgraçadamente.

Esperemos que pessoas como a MIna consigam colocar o tema na agenda, como agora se diz, de forma duradoura e com resultados vísiveis.Porque modas não resolvem nada.

Pessoalmente, não gosto de Dias, mas ...enfim, é , pelo menos, uma forma de lembrar o assunto.

Acho uma cretinice que se tenha escolhido 29 de Fevereiro para Dia das Doenças Raras, por exemplo!!!!

Se lhe puder ser útil de alguma maneira, disponha - embora já esteja aposentada há anos.

Que a vossa Páscoa seja de renovação e paz!

Pedro Coimbra disse...

Descobrem-se blogues através de blogues.
E mais blogues virão.
Irmão de uma deficiente profunda (hipotiroidismo) passo a seguir o seu blogue.

Luís Coelho disse...

Muitas doenças graves nos afectam e quem sofre deve ter um grande apoio como o caso apresentado.

Desejo-vos uma boa e Santa Pascoa.

Mina disse...

Obrigada São

Também não sou a favor dos dias marcados, mas infelizmente eles existem e por muito que discorde, tenho que fazer uso dele, para "acordar", alertar o mundo que estas pessoas existem e tem os mesmos direitos de viver.

Quantas e quantas vezes não nos apetece ficar na quietude do nosso lar!!!Muitas e muitas vezes travamos uma luta inglória sem ver resultados.

Obrigada, pela sua disponibilidade.

Uma Páscoa cheia de afectos é o que desejo...
beijinhos

Bento Sales disse...

Oi, amiga São!
É bom haver um dia para termos consciência sobre o autismo, pois é melhor termos conceito sobre algo do que preconceito.
Seu texto é útil e importante.

Abraços do novo amigo!

Sonhadora disse...

Minha querida

Não deveria haver um dia para essas causas, mas sim todos os dias.

Deixo um beijinho com carinho e admiração.
Sonhadora

São disse...

Os Dias só têm a vantagem de nos fazer falar no tema...

Beijinhos, muitos

São disse...

Bem vindo , BENTO.

Preconveito é , tem razão, coisa muito má!

Um abraço

São disse...

MINA, os Dias realmente têm essa vantage,...só que já se sobrepõem e , às tantas, não se dá por nada

De qualquer modo, sim, a luta dever ser continuada.

Um abraço para vós.

São disse...

Só que infelizmente esse apoio, que sempre pecou por defeito, está cada vez menor, LUÍS.

Um abraço

São disse...

Lamento a situação da sua irmã, sinceramente.

Um abraço solidário, PEDRO, agrdecendo seguir o blogue . Que é da minha amiga Lídia Soares e onde eu posto por convite dela.