.



PORTUGAL, PAÍS SUBMETIDO ATÉ QUANDO?

"Talvez em nenhum outro lado , contudo, as pessoas estão tão submissas como em Portugal.

Mês após mês, o Governo implementou cortes orçamentais, aumentos de impostos e leis laborais exigidas pelos seus credores internacionais, com poucos protestos dos portugueses."


                  THE NEW YORK TIMES
                      8/6/2012

14 comentários:

BlueShell disse...

Infelizmente...como eu tenho dito...estamos a caminhar para a ditadura!
Aqui no "Burgo" já se começa a sentir...já há medo, não é conformismo...é MEDO...Por aí se começa...

Olha..tenho a minha mãe aodentada e a insulina há 2 semanas. Com um rim afetado...por causa da diabetes está a precisar de mim. daí aminha demora a responder aos teus comentários. Decculpa.

Bj

Lídia Borges disse...


Não é espírito de sacrifício, como se vai ouvindo, por aí; é mentalidade de escravo, mesmo.

Um beijo

São disse...

Isabelinha nada tens que pedir desculpa, espero é que a tua mãe melhore depressa.

Medo é o que o povo português se habituou a ter, mas iso provoca.mme um certo desprezo, sabes' Porque quando se está em democracia, temos o direito ao voto...e a abstenção é vergonhosamente alta e muita gente que vota segue a regra vigente em tudo quanto é português. a clubite, as capelinhas, esse tipo de seguimento acéfalo!!

Im abraço com votos de bom feriado.

São disse...

O povo português está totalmente domesticado pelo Poder( Inquisição, Estado Novo com apoio da Igreja).

Nem o discurso delirante de Passos Coelho, ontem, no Pontal nem as vilanias de Relvas, Cavaco, Duarte Lima, Dias Loureiro e afins o acordam deste pesado sono de laxismo.

Bom feriado, Lídia

Zé do Cão disse...

Em dia de FERIADO NACIONAL, sabe bem
passar por aqui.
Num discurso pedante, vazio, odiento, Passos Coelho, falou para os PIEGAS do seu partido, para aqueles que esperam usufruir e abocanhar os restos que estão a sobrar de Portugal. Lamento que a menina se tivesse assustado com o alvoroço na Manta Rota, todavia é bom lembrar, que muitas milhares de meninas, filhas de Zés ninguém choram por não ter na mesa ao pequeno almoço um simples copo de leite para aconchegar o estômago vazio, fruto da forma fria e maquiavélica com que somos dirigidos.
Abraço

silvioafonso disse...

.



Toda véspera do dia 23 eu
seleciono as pessoas que
têm a ver com a matéria que
será, por mim, postada no
Blog , Bar do Escritor.
Por isso eu te convido a
entender o porquê das pes-
soas chorarem por quem já
foi linda e hoje luta de-
sesperadamente para não
se perder da lembrança dos
que um dia a ela se rende-
ram.

Espero por ti, com flores
da serra no DIA 23 na
COLUNA do silvioafonso
.

http://bardoescritor.blogspot.com

silvioafonso







.

C Valente disse...

Submetidos enquanto existir governos deste quilate
Saudações amigas

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Havia o outro que dizia que o povo era sereno, e tinha razão.
Só não sei até quando vamos aguentar.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

São disse...

O discurso de Passos foi delirante.

Que memina é que chorou? Não foi de fome nem de frio nem de tristeza, certamente. Portanto, gostaria mais que não tivesse chorado, mas há crianças em muitissimo piores condições mercê das políticas do adultos que estava com ela!!

Um abraço, querido amigo ZÉ

São disse...

Os meus agradecimentos pelo convite, AFONSO

São disse...

Sim, mas fomos nós que escolhemos governantes deste calibre, desgraçadamente!

Veja-se o caso de Alberto João Jardim na Madeira, que deveria ser independente há décadas! ´

Saudações amigas, VALENTE.

São disse...

Querida ROSA, nós não somos um povo sereno, somos um povo manso e domesticado durante séculos pela Igreja e pelo Estado!!

Bons sonhos.

Maria Luisa Adães disse...

Que grande verdade, São.

Assim se vai tirando e tirando aqueles que já tinham uma vida difícil.

Fomos os mais maltratados da União Europeia e por isso os que menos têm e mais sofrem.

A humanidade, o amor, desapareceu.
Ficou um Governo que quer agradar e para isso, escolhe os mais pobres.

Até quando? Não lhe sei responder!

Maria luísa

São disse...

Estamos ambas, Maria Luísa, perplexas , sofridas e sem resposta!

Um grande abraço.