.



ASSIM VAI A NOSSA SAÚDE... POBRE NÃO TEM DIREITO A SER TRATADO

Fernando Pestana, de 77 anos, utente de um lar de Beja, está há dois anos à espera que o Hospital de Beja o atenda para "desentupir" uma veia da perna, situação que se agrava e o incomoda perante a frieza de tratamento e impassibilidade dos nossos serviços de saúde.
Só assim se compreende que, mediante consultas efectuadas no Centro de Saúde de Beja, este Centro envie três vezes, durante dois anos, sem nota de qualquer reobservação do doente, o mesmo fax, assinado pela mesma médica e com o mesmo pedido de consulta de varizes para o mesmo hospital.
Nas mesmas três vezes, o hospital devolveu os pedidos de consulta ao Centro de Saúde, informando-o da indisponibilidade para atender o utente.
Fernando Pestana diz ter enviado várias queixas a diversas entidades sobre os atrasos na marcação da consulta mas o que é certo é que, até ao momento, continua sem ser consultado.
Fonte: Portugal Diário

4 comentários:

C.Coelho disse...

É importante que estes casos venham a lume. Mas não basta virem a lume. Temos que pugnar para que não existam e este blogue dá uma boa ajuda chamando a atenção.

M.M.MENDONÇA disse...

Uma saúde para pobres e outra para ricos em Portugal? Porque não seguirmos os bons exemplos dos países nórdicos onde o estado social é forte?

NINHO DE CUCO disse...

Ser pobre. O terrível drama deste país dividido. Ou se tem tudo ou não se tem nada.

NÓMADA disse...

Eu não quero nem imaginar o que é estar muito doente ou ver gravemente doente um familiar e não ter como para ser tratado.Não devia acontecer, não devia!