.



QUANDO AS LIBERDADES SÃO QUESTIONADAS

Há muito que não ouvia falar que as liberdades estavam em perigo e que estamos, cada vez mais, condicionados nas nossas opiniões e na forma como as manifestamos. A liberdade é um bem que nunca pode ser posto em causa à luz de uma democracia pela qual muitos deram a vida e um passado de luta. Será que estamos amordaçados?
Tudo leva a crer que sim. Não é aquela mordaça que se põe às claras mas uma outra mordaça mais perigosa e menos frontal.
O Provedor da Justiça, Nascimento Rodrigues, manifesta uma clara preocupação relativamente a perseguições relacionadas com casos como o do professor Fernando Charrua e da Directora do Centro de Saúde de Vieira do Minho e outros e mais outros ainda. Os líderes da oposição apontam o dedo que logo é desapontado por uma comunicação manipulada e comprometida, por um controlo insidioso que revolta e oprime.
PORÉM...

"Quem prende a água que corre
é por si próprio enganado,
o ribeirinho não morre,
vai correr por outro lado."
(António Aleixo)
Em tempo:
O Ministério da Educação não vai aplicar sanção disciplinar ao professor. Maria de Lurdes Rodrigues considera que comentário jocoso à licenciatura do primeiro-ministro se enquadra no direito à opinião.
Fonte:Portugal Diário 24-07.07
Porém,
O arquivamento do processo não anula medidas sancionatórias
Charrua garante que a suspensão preventiva não foi imediatamente revogada como é referido», mas apenas no dia 10 de Maio. Apesar da apregoada revogação, parte do seu salário está ainda por pagar. Também não foi reintegrado nos serviços da DREN. Recorda-se que o professor de Inglês Fernando Charrua, que trabalhava há quase 20 anos na DREN, foi suspenso de funções em Abril por alegadamente ter feito um comentário ao caso da licenciatura de José Sócrates na Universidade Independente, durante uma conversa com um colega, nas instalações da DREN.

1 comentário:

ALEX disse...

O professor Charrua não é professor de inglês? Pois o arquivamento do processo foi exactamente para inglês ver.