.



NOS ÚLTIMOS SETE MESES SUICIDARAM-SE 23 AGENTES DA PSP. QUE SE PASSA?

Um agente da Polícia de Segurança Pública (PSP) suicidou-se esta sexta-feira, com a arma de serviço, em sua casa em Carnaxide.
Segundo o Sindicato dos Profissionais da Polícia (SPP/PSP), que indicou a morte do agente, este é o 23.º polícia a suicidar-se nos últimos sete meses. A morte do agente foi confirmada pelo Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, que referiu que o suicida trabalhava na 3.º Divisão da PSP, em Benfica, e se terá suicidado por volta da 01h00 desta sexta-feira. O agente, que fazia hoje 31 anos, era casado e tinha um filho.
Fonte: Correio da Manhã

9 comentários:

António de Almeida disse...

-O tema é demasiado sério para emitir uma opinião com ligeireza. Mas penso que por cá faz falta um departamento ao género assuntos internos, que fiscalize a acção dos agentes mas também verifique as suas condições de trabalho. Neste caso recomenda-se um estudo sério, envolvendo psicólogos, psiquiatras, sociólogos, representantes da hierarquia e das associações sócio-profissionais, pois só entendendo as razões, embora cada caso encerre em si mesmo particularidades, não deixarão certamente de existir traços comuns, que se não servirem para erradicar a práctica de tais actos extremos pelo menos levem à sua diminuição.

migvic disse...

Não existe diferença entre a vontade dos suicídios entre a PSP e o resto do comum cidadão.

O comum cidadão não tem pistola.

Carreira disse...

pelo que sei exite apenas um gabinete de apoio psicológico aos agentes da PSP em Lisboa.
Isto diz tudo...ou quase tudo...

Tiago R Cardoso disse...

São situações estranhas, algo que quem de direito devia ver com atenção, em vez de se preocupar com greves e manifestações.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pois diz, sim Carreira. É por isso que eu penso que os tais licenciados que não encontram colocação quando terminam o curso se calhar fazem falta. Desprestigia-se a sua formação para não os colocar onde são precisos. Questões orçamentais, amigo. A visão dos dirigentes deste Portugal é toda feita na base do orçamento.

João Rato disse...

Primeiro há que averiguar se os números querem dizer alguma coisa. Depois, se os vocacionados para a função já têm por si um perfil suicida. Finalmente ir às outras causas e bater nelas, neles! Porque elas têm sempre eles por trás!...

addiragram disse...

É um nº de tal forma impressionante que merece,melhor, exige, um estudo profundo realizado por entidade exterior à polícia e que abranja as vertentes psicológica, sociológica,etc procurando diagnosticar não só os problemas individuais, mas a "doença" da própria instituição.Depois, há que tomar medidas urgentes...
(sabe-se também que a divulgação de notícias sobre suicídios potencializa novos suicídios!)

Crítico disse...

Fiquei incrédulo com esse número que apresentas. Não fazia a mínima ideia que assim era. Realmente muito preocupante, alarmante mesmo.

aorta disse...

Há muitos psicólogos que não encontram local para trabalhar e não têm ainda condições de montar o seu próprio consultório.
Há tanta gente a precisar de apoio psicológico e tantos psicólogos a querer ajudar.
Há tanta coisa mal distribuida.
É triste, em todos os aspectos da questão.