.



HIV INFECTA SEIS PORTUGUESES POR DIA.

No ano passado foram infectados por HIV seis portugueses por dia. Segundo o relatório anual da Onusida, foram contabilizados 2162 novos casos em 2006, o que coloca o País em quarto lugar entre os países da Europa Ocidental. As relações sexuais desprotegidas são a principal causa de infecção. Em Portugal e Espanha, o uso de seringas contaminadas entre os toxicodependentes continua a ter grande peso nas estatísticas. O consumo de drogas injectáveis tem vindo a decrescer em Portugal. Já no ano passado, o relatório concluía que o número de casos reportados de HIV caiu 31% em quatro anos. No entanto, a infecção relacionada com o consumo de drogas injectáveis é uma preocupação manifestada no relatório das Nações Unidas. A epidemiologista Teresa Paixão disse que "tem havido um declínio acentuado", mas admitiu que há sempre casos associados."Entre as mulheres com mais de 55 anos, também tem havido um ligeiro aumento de casos", refere.
No Reino Unido, a infecção subiu entre os homens que têm sexo com outros homens, homens heterossexuais e mulheres que adquirem a infecção em países com alta prevalência. Os casos duplicaram, passando de 4152, em 2001, para 8925 em 2006, colocando o país no topo da lista." A transmissão entre homossexuais tem vindo a aumentar ligeiramente, bem como entre os mais jovens devido a aspectos comportamentais".

A França e a Alemanha são os outros dois países com mais infecções por HIV do que Portugal.

A África do Sul continua a registar um terço do número de novas infecções por HIV e, na Europa de Leste, 90% dos novos casos foram registados na Rússia e na Ucrânia. A Europa de Leste e a Ásia Central terão 150 mil pessoas a viver com a infecção, um número que subiu 150% desde 2001.
Fonte: DN

18 comentários:

R Lima disse...

Toda campanha assim.. merece louvor.

Abçs,



Texto de hoje: SenTido dE mUDançA...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Lumife disse...

Vários elementos de consulta sobre esta doença no meu blog SABIA QUE...?

Toda a informação é importante para esclarecimento das diversas gerações.


Um abraço

Fernanda e Poemas disse...

Minha querida amiga, li o texto com muita atenção e concorda contigo. O
" HIV " e´um flagelo, da humanidade.
Não concordas comigo que era necessária maior intervenção a nível Nacional e Internacional ?
Como está não pode continuar.
Muitos beijinhos,
Fernandinha

amigona avó e a neta princesa disse...

Uma pessoa fica assim- arrepiada!

E pensar que se os grandes do mundo quisessem podia ser outra a realidade! Beijo querida...

7 Pecados Mortais disse...

Mais um grande tema. Bem abordado, Queria acrescentar só uma coisa e vou falar entre aspas de um assunto já abordado. - "As relações sexuais desprotegidas são a principal causa de infecção." - esta frase que surge no texto contribui também para as gravidezes indesejadas. Desculpem tocar neste ponto. Foi um aparte. Os números e as situações aqui apresentadas são o reflexo da sociedade, que pensa que só acontece aos outros, só que os outros não param de aumentar...

António de Almeida disse...

-Custa-me a aceitar, que na Europa, Portugal incluído, continue a existir falta de informação sobre este assunto. Talvez seja necessário continuar a apostar na informação junto dos adolescentes, mas heterossexuais, homossexuais e toxicodependentes, estão informados, apenas por vezes não querem utilizar as precauções devidas, muito por culpa, do só acontece aos outros. Poderá ser altura de mudar de agulhas, e nesta população, em lugar de apostar na divulgação das causas, apostar nas consequências, talvez pelo choque as coisas mudem. É por vezes chocante, ouvir prostitutas afirmarem, que existe quem esteja disposto a pagar mais, por uma relação sem preservativo. É deste tipo de comportamento que estamos a falar!

Joshua disse...

Uma vez que a informação e a prevenção não são, neste domínio, como deveriam ser, plenas, o melhor seria responsabilizar o aborto como método-limite anti-concepcional de recurso (votado recentemente num referendo caprichoso): uma vez que ele instaura a desobrigação psicológica do uso obrigatório do preservativo.

Pescadinhas de rabo na boca também as há em matéria de saúde.

IsaMar disse...

não comento o teu este teu post, porque, cheguei aqui, de paraquedas, como quem quim, sou nova por aqui.Li vários post teus, que gostei muito. Por isso te coloquei nos meus favoritos para aqui vir sempre que puder. Continua esta tua luta de palavras. Há que deitar para fora a nossa indignação das coisa e tb falar do que nos agrada.

Isabel-F. disse...

assustadores estes números ...

bjs

JOY disse...

No que toca á Europa eu penso que a informação é suficiente ,existem por essa europa fora imensas campanhas de informação ao longo do ano ,as atenções devem ser dirigidas para a componente comportamental pois penso que é ai que as pessoas não interiorizaram que não acontece só aos outros e como disse o nosso amigo Pecador os outros cada vez são mais ,já em relação á Africa eu acho que se deve intensificar a luta contra HIV muitas populações vivem quase num estado permanente de isolamento informativo e ai as coisas são mais complicadas.

JOY

Tiago R Cardoso disse...

Extremamente preocupante.

Hoje apetece-me sonhar e imaginar o que já teríamos avançado no combate e descoberta da cura, senão mesmo a própria cura, se todos os milhões, milhões e milhões que são desperdiçados neste mundo fosse colocados onde deviam ser.

quintarantino disse...

Na Europa e nos EUA não se consegue compreender como se mantêm estes números em patamares tão elevados. Quer dizer, há comportamentos estranhos e demolidores que os explicam. As "wild parties" em que ninguém uso preservativo e todos o fazem com quer que seja, são um dos contributos. Não entendo como alguém minimamente lúcido se queira colocar nesta situação.
Em África terá mais a ver com determinado tipo de crenças. Uma, por exemplo, aponta que quem estiver infectado e tiver relações sexuais com uma virgem fica curado. Está-se mesmo a ver no que dá...
Mais um excelente trabalho.

Sniqper ® disse...

Um bom trabalho, um bom texto que muitas mentes irá esclarecer, porque de facto informação abunda para quem está atento, mas infelizmente ainda existe gente que sei lá porque continua a suicidar-se...

turbolenta disse...

´Números alarmantes.
Acho que , além da informação, nunca devemos "deixar andar" e pensar que o mal só acontece aos outros.
todos devemos estar.
Há bastantes campanhas de sensibilização, mas não tantas como seria o desejável.
Cada vez mais o sexo deixa de ser tabu e, cada vez mais, principalmente os jovens, acabam por ter parceiros ocasionais, com os quais , voluntariamente, não tomam as devidas precauções.Ninguém sabe quem é a outra pessoa e é um risco de alto grau,que correm, apenas porque,uma emoção e entusiasmo de momento,fazem esquecer as mais elementares regras de segurança.Basta 1 segundo para contrair o vírus.
Também concordo com o Sr. António Almeida, quando diz que muitos homens , se recusam a usar preservativo, mesmo sabendo que a parceira é prostituta.
E, contra factos não há argumentos!
Por isso:cada um, conscientemente, deve tomar muito bem conta de si próprio.
Eu bem falo aos meus filhos, bem os alerto para todos os perigos.É obrigação de todos os pais e educadores.
bom fim de semana

Silvia Madureira disse...

Até quando pergunto eu?

beijo

avelaneiraflorida disse...

Silêncio culpado,

uma mensagem, um apelo, um grito de alerta a todos os jovens, aos menos jovens, enfim, a TODOS!!!!

Por muito que "tentemos" ignorar...o flagelo existe!!!! Portanto, temos o DEVER de transmitir, passar palavra e informar todos em redor!
Nas escolas, fazemos passar alguma informação...MAS NAO CHEGA! É PRECISO MUITO MAIS!!!!

"BRIGADOS" por este post!!!!
Bjks

herético disse...

todos somos culpados. aqui.

fazes bem lembrar.

osbandalhos disse...

Chega de informação. Chega de acharmos que somos todos uns pobre coitados e que vamos endireitar o mundo. Em África pode ser, aqui não. Com raríssimas excepções, SÓ É INFECTADO QUEM QUER, entendo-se não por vontade própria mas por completa indiferença. Assim tipo automobilistas que sabem o que deve ser feito para evitar acidentes e no entanto...

Quem morre por que quer não se lhe reza por alma.