.



ANIMAIS: CIVISMO, DIREITOS, CONDIÇÕES E ENQUADRAMENTO LEGAL















Hoje apresento-vos a minha cadelinha Lara. É aquela branca gorducha. Foi encontrada, há 4 anos, em Cascais. O veterinário estimou que ela teria uns 4 meses. Foi castrada e engordou. É inteligente, e sobretudo meiga. Não é tão dotada como o Boby para conhecer palavras, abrir portas e outras coisas assim mas tem um faro e um ouvido verdadeiramente excepcionais. Sabe que o meu filho está a chegar, de carro, com uns dez minutos de antecedência. Acho isto espantoso!...


Mas sobre os animais, tema a que me dedicarei até ao final do ano, quero deixar algumas questões que me parecem pertinentes .
A questão que deixo hoje é a seguinte:

Um dos factores que poderá contribuir para que certas pessoas que gostam de animais não os possam ter, tem a ver com elevados custos dos veterinários. Países desenvolvidos como os do Norte da Europa têm políticas de apoio sanitário que permitem usufruir dos serviços de veterinários a preços reduzidos. Em Portugal, além das elevadas tarifas que os veterinários praticam, os produtos que comercializam são caros e raramente passam facturas. Há pois um déficit de fiscalização estatal sobre este sector de actividade.

Uma das formas de combater a fraude e reduzir os custos com a saúde dos animais domésticos poderia passar por abater no IRS as facturas dos veterinários. Era um incentivo para a adopção de animais retirando-os das ruas e dos canis e o Estado poderia reaver o valor dos abatimentos através do IVA sobre um maior número de facturas.
Que acham?

45 comentários:

Um Momento disse...

Muito linda a Lara:)))
E sim... há pessoas que gostariam imenso de ter um animal...
Mas os custos...
Eu que o diga...
Tenho um "Jardim zoológico" em casa;o)

Desejo-te tudo de muito bom e que o ano de 2008 seja melhor que este que quase se despede:)))

Beijo... em ti
(*)

7 Pecados Mortais disse...

Penso que seria uma medida correcta, contudo continuo a achar que o abandono dos animais não ira diminuir. Trata-se de uma questão de mentalidade e as pessoas têm que se preparar para os ter. Não se pode ter um animal de animo leve, há que medir os prós e os contras e sim, só depois tomar a decisão. O problema é que se aceitam para depois se tornarem um fardo...

Sombra do Sol disse...

Bom dia, passando para atualizar a leitura depois das festas, espero que tenha corrido tudo na paz de Deus o seu Natal. Hoje venho fazer um convite para ler uma pequena homenagem que fiz na nossa árvore de amigos, é singela, mas foi de coração. Eu Acredito no real sentido da palavra AMIGO, pois ter amigos é ser Feliz. Vivo cercado por pessoas como você, pois viver assim é ser Feliz! Faço parte da vida daqueles que acreditam que ontem é passado, amanhã é futuro e hoje é uma dádiva, por isso chamado presente e acreditam na força do Amor, acreditam que para uma história bonita não há ponto final. Muito obrigado por sua amizade, tenha um 2008 repleto de realizações e com muita saúde e paz. Abraços do amigo.
http://sombradosol.zip.net/

Alda Inacio disse...

Muito bom lutar elos animais, quem luta tem causa ganha antecipadamente e hoje vim aqui estender minha mão de amizade que nunca deixou de ser e desejar um Feliz Ano Novo para que iniciemos este novo ano sem mágoas e em paz.
Venho também convidar-te a deixar um comentário no SOS sobre imigração. Deixo aqui o meu abraço, Alda

SILÊNCIO CULPADO disse...

7Pecados Mortais
A medida de que se fala não tem como objectivo impedir que as pessoas abandonem os animais. Quem ama um ser vivo não o abandona por mais adversas que sejam as circunstâncias. Mas imagina um pensionista que, pela sua solidão, gostaria de ter um animal e não o pode ter porque o que recebe já mal dá para si. É para incentivar a adopção por pessoas que gostam dos animais que deverão ser implementadas outras medidas e não propriamente para combater o abandono.

ALEX disse...

Lídia/Silêncio
Percebo a tua saga pela defesa dos animais o que vem de encontro à pessoa que conheço forte e cheia de personalidade. No entanto, ter animais, em condições mínimas, é um luxo que não é acessível a todos. Para já para se terem cães precisa-se de espaço e nem todos têm. Os que vivem em andares é preferível não os terem todavia concordo que se deva continuar a combater a fraude no que concerne à fuga aos impostos por parte de determinadas profissões liberais e apoiar uma cultura cívica que conduzirá também à adopção de animais.

GIL disse...

Quando nos preocupamos com os animais estamos já a desenvolver a nossa parte sensível capaz de sacrificios e de abnegações. Ter animais significa responsabilizarmo-nos por vidas que dependem de nós. É um bom exercício de combate ao egoismo e, por isso, deve ser incentivado logo de crianças porque ensina as crianças a serem responsáveis e a preocuparem-se com o bem-estar dos outros.
É uma boa proposta essa do deduzir ao IRS as despesas com veterinário.
Propostas dessas é que justificavam um abaixo assinado para que fossem estudadas estas soluções.

zé (do beco) disse...

Eu acho que era uma ideia extraordinária, mas muita sorte temos se o governo não decidir tirar os nossos medicamentos do "cabaz" de produtos a abater no IRS, quanto mais incluir os dos animais.
Eu resolvi parte do problema fazendo-me sócio da Liga Nacional de Defesa dos Animais, onde pago uma modesta cota anual e tenho direito a consultas e vacinas a preços mais reduzidos. A minha Nina já foi operada a um tumor mamário e foi esterilizada na mesma operação e paguei relativamente pouco, em comparação com os preços praticados nas clínicas privadas.
Achei piada à intuição da Lara. A Nina também era abandonada e veio cá para casa com cerca de 4 meses (andava a mudar a dentição) e quando a minha filha andava na faculdade reparamos que à hora que ela saía a Nina começava a ficar inquieta. Depois acalmava e só uma hora mais tarde é que a dona chegava a casa. Ela pressentia a hora a que ela começava a vir para casa, muito antes de ela chegar.
Quanto a abrir portas e a fazer habilidades, é o máximo. Eu dedico-lhe muito tempo e ela aprende com facilidade. Por isso está sempre alerta à espera que lhe mande fazer qualquer coisa. Só na rua é que se distrai mais facilmente, mas em casa age quase como uma pessoa. Eu falo com ela o dia inteiro e desde que ela se habituou ao carro (a princípio vomitava), vai comigo para todo o lado. Eu vou às compras e ela vai comigo. Dá um passeio a pé e depois fica no carro. Tem uma caixa com almofada presa ao banco e fica lá sossegada até eu vir. Em Outubro fomos ao Porto e como nos bungalows não admitem animais, ela dormiu no carro. É um animal espectacular. Tanto em inteligência como a nível afectuoso. Compensa largamente algum incómodo que dá, especialmente quando queremos ir a algum lado onde ela não pode entrar. Mas eu sempre fui de férias (faço campismo) para Espanha e França sem problemas.
Enfim, nota-se que quando começo a falar da Nina até me perco, tal é o entusiasmo (eheheh). Só tenho pena de ter passado tantos anos até descobrir a vantagem de ter um amigo de quatro patas.
Um resto de festas felizes.

Zé do Cão disse...

Compreendo perfeitamente o amor aos "canitos". Mas já agora e muito a propósito atiro com esta.
Em Poceirão - Setubal, um utente da Segurança Social foi ao Centro de Saúde local, requisitar o médico que faz os domicilios para ír à sua casa ver o seu cão que estava doente.
Evidentemente levou uma corrida em osso, e então o dono do animal, uns dias depois a voltou ao Centro, marcou consulta e quando chegou a sua vez, ao perguntarem-lhe que doença tinha respondeu. Tenho a doença do cão.
Foi necessário explicar-lhe com muita paciencia que era preciso ter o numero de utente do canidio.

Um abraço

Dalaila disse...

Todos diferentes na sua igualdade, é tão bom conhecer-te por dentro...

São felizes os teus animais.

Beijinho grande a atá JAneiro.

Feliz ANo

zé (do beco) disse...

Voltei só para dizer que não concordo totalmente com a ideia de que num apartamento não se pode (ou não deve) ter animais. Depende um pouco do tamanho do animal, da disponibilidade que temos para ele e, no que toca a eventuais incómodos provocados à vizinhança, depende muito da educação que se lhes dá. Um cão é como uma criança e o problema está nalgumas pessoas que se já são incompetentes para educar um filho deviam ser proibidas de ter qualquer tipo de animal.
Discordo completamente que se tenha um cão preso dentro de casa durante dez a doze horas, como em casos que conheço. Mas desde que se disponha de tempo para sair para espaços abertos, onde o animal possa andar e correr por períodos de tempo aceitáveis, não vejo qualquer inconveniente. Até porque eles também adoram enroscar-se no seu canto e descansar.

Boris disse...

Silêncio, minha Silêncio
vem à minha casa lanchar
tenho lá um bom petisco
pr´o novo ano levar.

Porque não acredito mesmo
que o possa saborear.

avelaneiraflorida disse...

Querida Lídia/ Silêncio Culpado,

Compreendo a proposta...mas será dificil, quando em vez de descerem, as despesas com a saúde aumentam de forma gigantesca!!!!
Por outro lado, quem não sente amor pelos humanos ...muito menos o sentirá para tirar da rua os seres que nem imagina que existem!!!!
Agora que seria necessário rever a protecção aos animais, isso seria uma verdade inquestionável!!!!
Lindaa tua Lara!!!!!

Bjkas, Amiga!!!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Zé do Cão e Avelaneiraflorida

A proposta de apoio à saúde dos animais domésticos é distinta da protecção social, na saúde, que deverá ser um direito inquestionável dos humanos. Cada coisa no seu lugar e umas não invalidam as outras. Mas se se fala tanto do modelo de desenvolvimento dos países do Norte da Europa seria interessante conhecer o sistema de protecção de saúde e o sistema de protecção aos animais destes países.

Ou só devemos conhecer deles a flexisegurança?

E finalmente importa referir que, ao serem abatidas as despesas de veterinário no IRS, combate-se a pouca vergonha que é as tarifas praticadas pelos veterinários e as fugas ao fisco que praticam com todo o desplante.

NINHO DE CUCO disse...

Pode-se ter uma animal num apartamento. Depende do tamanho do animal e do apartamento e dos hábitos de higiene que forem ensinados ao bicho.
Muitas pessoas não têm animais porque não sabem quanto é gratificante ter um animal.
É bom para as crianças e bom para os velhos. São companheiros que nos dão tudo em troca de muito pouco.
Eu tive um cão que quando o meu pai morreu chorou três dias e três noites. Depois passou a ir todos os dias ao cemitério. Ia pela manhã e voltava ao fim do dia. Passava o tempo todo deitado na campa. Até que morreu.

sol poente disse...

Saber amar os animais é dar um passo em frente no caminho da nossa emancipação.Porque ninguém é emancipado quando subjuga, abandona e trai.

Louise disse...

Extraordinários os testemunhos aqui mencionados. Há muito quem diga que, quem tem pena dos animais, por vezes descura os humanos mas penso que não será bem assim. As pessoas que têm dentro de si crueldade para maltratar os animais só não põem mais essa crueldade em prática com os humanos se não tiverem oportunidade para isso.
As pessoas revelam-se nas suas actuações múltiplas e é desse conjunto de actuações que resulta o conceito sobre uma determinada pessoa. Disfarça-se, põe-se verniz mas o que a pessoa é está lá e, frequentemente, é na sua relação com os animais que se revela o buraco negro de cada um.
Por tudo o que disse este não é um tema de somenos importância.

Sheila disse...

Silêncio
Que linda que é a tua Lara. Parece um cão de raça, será? Não é que seja importante mas é porque não se enquadra bem naquele conceito de cão rafeiro.
Acho excelente o que tens feito pelos teus amigos mas dá para perceber que eles te retribuem.
Nem sempre os seres humanos são tão reconhecidos.
Agora não tenho cães porque estou sempre a viajar de um sítio para outro mas logo que assente num lugar não tenhas dúvidas que hei-de ter um animal.

JOY disse...

Olá Amiga Lidia ,

È sem dúvida uma boa ideia , mas como aqui já foi mencionado tenho muitas dúvidas que um governo com o nosso que ainda agora cortou 300 milhões de euros com a saúde dos Humanos se vá preocupar com os animais, por mim era óptimo tenho gato,piriquitos , e 2 tartarugas .
Querida amiga DESEJO-TE UM FABULOSO 2008 COM MUITA SAÚDE.

JOY

António de Almeida disse...

Uma das formas de combater a fraude e reduzir os custos com a saúde dos animais domésticos poderia passar por abater no IRS as facturas dos veterinários. Era um incentivo para a adopção de animais retirando-os das ruas e dos canis e o Estado poderia reaver o valor dos abatimentos através do IVA sobre um maior número de facturas.
Que acham?
-Subscrevo na integra este último parágrafo.

C.Coelho disse...

António Almeida
Se me dá licença subscrevo na íntegra o seu comentário. Houve quem não apanhasse aqui o sentido da intenção. O Estado sairia ganhador se permitisse abater as facturas de veterinário no IRS.Os canis municipais custam muito dinheiro e as condições não são as melhores. Os animais, na rua, não é edificante nem bom para a saúde pública. E os veterinários são dos mais abusadores, entre as profissões liberais, em não passar facturas e fugirem portanto aos impostos.

NÓMADA disse...

Porque será que quando se fala dos direitos dos animais haja logo quem faça a comparação com os dos humanos? Cada macaco no seu galho e cada roca no seu fuso.
Agora falamos de animais e há que levantar as questões que devem ser levantadas. Abater as despesas de veterinário no IRS não é incomum nos países desenvolvidos e o Estado só ficaria a ganhar.

O Profeta disse...

Olhos abertos de espanto
A esperança renovada
Há um novo ano que anuncia
Os passos da felicidade na sua chegada

E porque gosto de ti
Companheira de viagem
Que a minha companhia
Não seja uma miragem

E porque tocaste o profeta
Com a delicadeza da tua terna mão
No abrir das minhas portas
Ilumino teu coração


Um mágico 2008


Um beijo da luz

Joseph disse...

Como dizes o estádio de evolução duma sociedade está espelhado no tratamento que esta tem para com os animais. Felizmente desperta uma maior consciência à volta desta situação mas estamos muito longe dos parâmetros desejáveis. Somos o país das touradas, das lutas clandestinas de cães e outras actividades que envergonham qualquer ser humano que se orgulhe de o ser.
E depois nós não temos que comer mamíferos que sofrem para morrer. Há formas alternativas de alimentação.
Temos que ser menos selvagens e estou a aplicar o termo selvagens no pior dos sentidos.

M.M.MENDONÇA disse...

Lutar pelas causas dos animais é lutar pela sobrevivência da nossa dignidade enquanto seres humanos. Por quem não respeita a natureza nem os seres vivos que dela fazem parte é indigno da sua condição superior de ser.
Também concordo que a sfacturas do veterinário devam ser descontadas no IRS.

Silvia Madureira disse...

Assunto tão complicado...
eu não consigo esquecer os idosos abandonados por aí fora, eu não consigo esquecer todas as pessoas que morrem de frio...

Com uma mentalidade destas, que nem valoriza o ser humano...como valorizar os animais?

Penso que será necessária uma grande propaganda no sentido de mudar a mentalidade das pessoas...uma grande...muito grande...

beijo

Tiago R Cardoso disse...

Infelizmente talvez se chegasse lá através de medidas económicas, parece que muita gente só funciona assim... uma pena...

turbolenta disse...

Há umas coisas fofas aí em casa.
Os animais fazem muita despesa e requerem cuidados diários, tal como qualquer pessoa.
Considero os cães os animais mais espertos e amigos dos donos.
Quando a minha filha era pequena trouxe para casa um rafeiro muito pequenino e esfomeado que tinha sido abandonado pelos pais e que foi encontrada debaixo de um arbusto no recreio do liceu- em pleno Inverno,num dia chuvoso.
Veio para minha casa ,foi ao veterinário e cresecu que foi um gosto.
Brincava com os meus filhos como se fosse outra criança: jogava à bola e às escondidas. Tinha os seus aposentos nas traseiras.
Um dia, ouvi arranhar na porta da rua. Era sua excelência que resolveu vir bater à porta. Mas não entrava, Ficava sentado no tapete à espera da ordem para entrar.
Certa vez, o meu filho deitou-se no chão, de barriga para baixo e tapou a cara com as mãos. O bicho ficou nervosíssimo, a tentar, com as patitas que ele tirasse as mãos e a encostar o focinho no queixo do garoto. Quando o menino se levantou, o cão delirou. Dava saltos, abanava o rabito,pulava e ladrava de contente que estava.
Era muito esperto e bonito.
Mas muitas pessoas não pensam no trabalho nem nas obrigações a que estão sujeitas ao tomarem conta de qualquer animal.
Acho que a idéia talvez fosse aproveitável. Mas não resolveria, certamente, o abandono em tempo de férias.
E no Verão há tantos animais deixados na rua!
bom Ano

amigona avó e a neta princesa disse...

Não minha querida não vejo o Governo a apoiar esta tua fantástica ideia! Infelizmente...quanto à "discussão" em torno do cão no apartamento, afirmo BEM ALTO que NÂo tem nada que ver uma coisa com outra...não procuremos desculpas...os cães, mesmo, grandes PODEM viver num apartamento...o que importa é o carinho e o respeito...se o dono passear TODOS os dias com o animal pode perfeitamente estar o resto do tempo...é pena que MUITAS pessoas não saibam a compensação de ter um cão...de ter um amigo incondicional...é pena que a nossa consciência cívica não nos faça adoptar mais animais...há tantos nos canis...beijo amiga...

Laurentina disse...

Olha eu é que me importo com essas questões tenho duas cadelas muito malucas dentro do apartamento e o resto são cantigas oh linda...

Adorei ver-te... Boas saídas e melhores entradas

beijão grande

Marreta disse...

Pois se a saúde para os humanos está a preços exorbitantes como poderiam os preços da saúde para os animais (irracionais, embora acredite que também existem por aí alguns humanos irracionais) ser acessíveis?
De governos que não têm a menor sensibilidade social nenhuma surpresa é de esperar.
De esperar é que qualquer dia, tal como os SAP, hospitais e maternidades, comecem também a fechar canis e veterinárias.
Saudações do Marreta.

Zé do Cão disse...

O caso veridico que contei e se passou num Centro de Saúde, foi só com o intuito de fazer humor com a ingenuidade do Homem que recorreu aos serviços da Segurança Social para beneficiar de receita a favor do seu "canito". Merecendo reprovação a atitude, não deixa de ter a sua parte humoristica e foi somente essa que quis contar.
Pela parte que me toca, já há uns anos tive, assim de seguida 4 cães
que foram estimados em casa, não obstante a sorte não lhes bater à porta. 3 deles "serra da estrela", um foi-se com esgana (?) logo em pequenito, o 2º esteve internado numa clinica ali para a Alameda em Lx com a diarreia francesa, e finou-se e o 3º já adulto, emprestei-o para cobrir uma femea da mesma raça e o "animal" que mo pediu, deixou-o morrer dentro da a mala da carro asfixiado.Por último a pedido da minha mulher arranjei um setter, que adorava-mos, roubaram-nos. Resultado, cães nunca mais a não ser que tenho de deixar algum calote em algum estabelecimento.
eheheheh....
Todavia, sempre que passo por um, pela trela ou não, tenho sempre o cuidado de fazer duas coisas. A primeira é ver o sitio mais perto onde me posso recolher se ele me atacar e o segundo é tentar adivinhar o seu estado de espirito para comigo. É que os dentes do gajo arreganhados, causa-me nervoso miudinho.
Considerando-a
Bem haja por bem fazer aos "canitos"

Zé do Cão disse...

O caso veridico que contei e se passou num Centro de Saúde, foi só com o intuito de fazer humor com a ingenuidade do Homem que recorreu aos serviços da Segurança Social para beneficiar de receita a favor do seu "canito". Merecendo reprovação a atitude, não deixa de ter a sua parte humoristica e foi somente essa que quis contar.
Pela parte que me toca, já há uns anos tive, assim de seguida 4 cães
que foram estimados em casa, não obstante a sorte não lhes bater à porta. 3 deles "serra da estrela", um foi-se com esgana (?) logo em pequenito, o 2º esteve internado numa clinica ali para a Alameda em Lx com a diarreia francesa, e finou-se e o 3º já adulto, emprestei-o para cobrir uma femea da mesma raça e o "animal" que mo pediu, deixou-o morrer dentro da a mala da carro asfixiado.Por último a pedido da minha mulher arranjei um setter, que adorava-mos, roubaram-nos. Resultado, cães nunca mais a não ser que tenho de deixar algum calote em algum estabelecimento.
eheheheh....
Todavia, sempre que passo por um, pela trela ou não, tenho sempre o cuidado de fazer duas coisas. A primeira é ver o sitio mais perto onde me posso recolher se ele me atacar e o segundo é tentar adivinhar o seu estado de espirito para comigo. É que os dentes do gajo arreganhados, causa-me nervoso miudinho.
Considerando-a
Bem haja por bem fazer aos "canitos"

herético disse...

Feliz Ano Novo. tudo de bom para ti...

Sol da meia noite disse...

Concordo inteiramente com o que dizes. Penso que ter um animal tratado como deve ser é algo que não está ao alcance de todos, justamente pelas questões que focas. Mas é preferível, em consciência, não ter animais, do que tê-los e não os tratar como deve ser... até porque a dedicação e a fidelidade dum animal, é algo que não tem preço.

Beijinho

lua prateada disse...

Obrigada pela visita amiga de caminhada e palavras...

Minha lua desceu
Veio visitar seu povo
Ela veio desejar-te
Um Feliz ANO-NOVO!!!

A ti ela deseja
Saúde, paz e amor
Ao mundo...
Que cesse a dor!...

Beijinho prateado com carinho
SOL

bluegift disse...

Infelizmente, ter um animal de companhia tornou-se um luxo em todo o lado. Devia haver um maior controlo no preço exorbitante praticado por veterinários e é evidente que a 3a. idade e famílias com menos meios deviam ter desconto especial nas consultas do seu companheiro fiel, cães e gatos, claro...
A "união zoófila" ainda existe? Lembro-me que tinha consultas muito baratas.

Pascoalita disse...

Olá!
Também achei a ideia do CUBO fantástica, mas quem colocou primeir foi a Ell do Bichodeconta.

Não tem qq dificuldade, basta acederes aqui

http://www.hostdrjack.com/

e seguires os passos.

De qq forma, para colocares imagens animadas no teu Blog, essas devem ter endereço da net e não basta copiálas do teu pc, entendes?

jinhos

Boris disse...

Silêncio, minha Silêncio
já me fostes visitar
e logo eu aqui voltei
para o post comentar.

Neste país de merdosos,
se não me levas a mal,
só os ricos e famosos
podem ter um animal.

Marreta disse...

Só para acrescentar que hoje levei a minha pantera negra ao veterinário e paguei 65 euros pela vacina e um suplemento vitamínico.
Saudações do Marreta.

Sniqper ® disse...

Passando para te deixar votos de Um Feliz 2008, repleto dessa força que demosntras nas tuas palavras. São de pessoas como Tu que este Mundo precisa, as que acreditam e lutam no que consideram justo.
Beijitos

C Valente disse...

Gostei da Lara, foi uma coisa boa que lhe aconteceu a ambas. eu por cá estou servido com 2 piriquitos, um garo, um cão. meus, e mais 4 gatos que mal se abre a janela vem pidir a sua comida, donos não têm , assim nós os alimentamos.
Saudações amigas e um convite para partilhar a minha ceia de fim de ano.

Pata Negra disse...

O Farrusco anda zangado comigo, eu ando zangado com ele, tem ladrado toda a noite - o que devo fazer?

adam brown disse...

Hi, this is not so related to your page, but it is the site you asked me 1 month ago about the abs diet. I tried it, worked well. Well here is the site

GR disse...

Vivemos num país onde crianças, idosos, doentes e animais, não passam de um estorvo!
Os seres mais frágeis estão à mercê de um desgoverno cruel e desumano.
No que respeita a animais, há uns anos atrás tentou-se fazer qualquer coisa, não só contra as touradas, mais benefícios para quem tinha gastos com os animais, a nível de saúde e medicamentos, proteger e fazer novas Leis, pois as nossas, algumas são do tempo de Salazar, responsabilização dos donos quando maltratam animais ou os abandonam.
Ainda foi discutido na Assembleia da República (penso que muito mal defendido), contudo a proponente, tentou que a ouvissem. De nada adiantou!
Faltou a sensibilidade por parte de todos os partido (TODOS) até o da proponente que foi o que mais gozou com o tema.
Enquanto não se mentalizarem que os animais têm que ser respeitados, já mais poderão respeitar, todos os cidadãos mais fragilizados.

(Lindos fofinhos e tão bem estimados)

GR