.



AUTISMO SEM TRATAMENTO NA REDE PÚBLICA





Nesta viagem pelo mundo do autismo, onde temos encontrado viajantes atentos e dialogantes, uma das perguntas-chave que fica no ar é a que se refere a equipamentos disponibilizados pela rede pública (ainda que de iniciativa privada), para diagnosticar e acompanhar o percurso do autista e das suas familias.

O autista tem, como qualquer outra pessoa, valências que poderão ser desenvolvidas de forma a conceder-lhe uma maior autonomia e realização de modo a que ele contribua, também, para a construção da sociedade que deve integrá-lo e protegê-lo na saúde, na doença e na velhice.

Uma sociedade que não deve esquecer que os pais não são eternos e que, por mais extremosos que sejam, precisam também eles de espaço para realizarem os seus projectos de vida ou de simples momentos retirados à pressão do dia a dia.

A seguir transcrevo um texto de Mário Relvas que é um somatório de sucessivas interrogações.

********

«O diagnóstico é uma das principais dificuldades para o tratamento da doença. Sem especialistas na rede pública de Saúde, muitos pais recorrem a associações de ajuda aos portadores da doença.»

Brasil:J10 - Rede Globo


E EM PORTUGAL?

Está na altura de em Portugal, os responsáveis pela saúde, educação e segurança-social se debruçarem sobre esta problemática:

Qual a política para os Autistas e suas Famílias?

Que sistema de saúde temos?

A nível público como é feito, e por quem, o diagnóstico do Autismo?

Quem está capacitado para a Intervenção Precoce?

Que acompanhamento é dado aos Autistas ao longo da sua vida?

Qual o ensino especial que temos para os autistas?

"Escolas de referência"? Estão dotadas de quê?
Que formação têm os docentes/técnicos?
O que fazer no período de férias escolares?
E depois do ensino escolar obrigatório?

Como devem funcionar as redes CAO? Lares de apoio e definitivos?
Que faz o Estado no apoio aos Pais e Familiares que estão com os Autistas?

Interrogações urgentes à espera de uma resposta.

É necessário um Plano Nacional Integrado para o Autismo!


O Autismo existe e parece que quem tem "AUTISMO" não são os nossos filhos. É preciso acordar esta gente. PAIS levantem-se e deixem-se de lamúrias. Vamos à verdade. Não sejamos coniventes.

Mário Relvas

TIRADO DAQUI

52 comentários:

René disse...

Assim mesmo. Questões concretas e pontos cruciais. Sugiro ao Mário Relvas a criação dum abaixo assinado a enviar ao Governo (Ministério...... ). E se fizesse um newsletter a partir do blogue que, vários de nós, transmitiriam por mail?

Não sei. São só sugestões.

Um abraço

C Valente disse...

Vou aqui sempre apresendendo alguma coisa, tema que não domino. Obrigado
Saudações amigas e bom fim de semana

António de Almeida disse...

-Não sendo um defensor do estado social, bem pelo contrário, parece-me evidente que nestas matérias é que a intervenção dos sistemas públicos são absolutamente indispensáveis. Não sei muito bem o quê, mas parece-me que apoiar o ensino, subsidiar reabilitação/regressão, algo que uma família dificilmente conseguirá sozinha.

amigona avó e a neta princesa disse...

Tantas interrogações minha querida Lídia e tantas sem resposta! Mas se o Governo fecha Centros de Saúde, hospitais, urgências, maternidades, porque haveria de se preocupar com o autismo?!!!!!!!!Tenhamos esperança que um dia, através da LUTA, se consiga alterar o estado das coisas...bastava um querer...beijinhos amiga...

São disse...

O espectro do autismo é vasto e, penso, ainda mal conhecido.
Aqui deixo a minha solidariedade a quem sofre o problema.

Para ti, querida amiga, o meu desejo de que tudo esteja correndo como desejas , embrulhado no meu abraço fraterno e grande.

fotógrafa disse...

Um fds,cheio de alegria e com muito descanso!
abraço

Michael disse...

Estas perguntas são muito pertinentes e remetem-nos para a falta de apoios e acompanhamento. Tem que se pugnar para a concretização dum Plano para uma Rede Integrada de Apoio ao Autismo que se justifica em pleno pelo número de casos existentes.
Um abraço e bom fim de semana.

Mário Relvas disse...

O Estado social tem que ser repensado.Tem que reflectir as prioridades e os vazios de quem precisa realmente de apoio.Isto é transversal a vários ministérios.
O Estado também tem que ver, se as associações onde estão os autistas, cumprem com os cadernos de encargo estabelecidos para as parcerias com a segurança-social e ME.
Até aqui isto andou a navegar à vista, mas é preciso certificar as instituições mediante a sua problemática.Anda por aí tanto dinheirinho mal gasto que não se reflecte no bem colectivo.

Tenho as minhas ideias...

saudações e um sorriso

Menina do Rio disse...

Hoje eu vim só pra tomar um cafezinho contigo e teus amigos. O que eu tinha pra falar sobre o tema já foi dito, mas tu sabes que estou sempre por cá acompanhando o teu trabalho tão nobre.

Um beijo e um ótimo final de semana

Sonia disse...

Passei para desejar um final de semana bem agradável para você!
Abraços!

Fátima disse...

Amiga,

Tantas perguntas às quais não obtemos resposta... realmente é uma questão urgente para resolver...

:-) beijos

M.M.MENDONÇA disse...

O Estado Social tem que ser repensado e estabelecidos os vectores da sua actuação.
Há desperdicios em bolsas de formação que depois não conduzem a que se fique empregado,há desperdícios com estudos sobre o que já está estudado só para dar que fazer a empresas de amigos,há desperdícios com tanta coisa mais e depois para o que é necessário não há?
Portugal deu-se ao luxo de construir estádios de futebol uns em frente aos outros quando países desenvolvidos como a Noruega, e mesmo a Itália, chegam a ter os estádios utilizados por clubes rivais para obterem uma maior racionalização de meios.
Somos o país do desperdicío. Ricos na miséria e esbanjadores nos recursos.
Só para causas como esta é que não há dinheiro?
Abraço

O Sentir dos sentidos disse...

Passei te admirar pelo conteúdo dos teus comentários em blogues amigos.Vim até aqui conhecer o teu trabalho, e me deparo com esta problemática que envolve os orgãos governamentais e/ou privados no que se refere à pessoas Altistas.

Louvável este teu ato de protesto, no que concordo plenamente.

Beijo...

Agulheta disse...

Lídia. Venho agradecer a visita e deixar abraço e carinho de amizade,bom fim de semana
Lisa

Mário Relvas disse...

M. Mendonça,

não há para esta e para outras causas sérias...Coisas e loisas!

Despeço-me com amizade, pois vou estar ausente da net.

Saudações e um sorriso

G.BRITO disse...

Acho muito bem que se levante todo este conjunto de questões que estão muito bem formuladas, de forma a traçar um quadro/plano de proposta de acções futuras.
É através de propostas concretas que se procuram soluções concretas.
Abraço

O Profeta disse...

Esta é a alma que voa de um Profeta
Ao encontro do teu sentimento
Este é o sal de alva espuma
Que te ofereço e diadema de espanto…

Olhos de alma, da tua alma
Quero-os no cais da minha chegada
Espero por ti em manto de ternura
No encontro da minha caminhada


Bom fim de semana

Mágico beijo

Meg disse...

Não estando ainda verdadeiramente a par do ponto da situação, ocorreu-me que por 1974/75 começõu um longo e árduo para a criação das Cercis. Estive ligada ao processo de uma Cerci no Norte. Foi ula luta com muita carolice a empurrar as outras iniciativas.
Que tiveram êxito e são hoje já o futuro de muitas crianças qoe lá foram acolhidas e acompanhadas por todo o apoio compatível.
Não será um caminho a seguir?

Um abraço

São disse...

Venho deixar-te um abraço de feliz fim de semana, linda!

musqueteira disse...

...ontem, visitei uma clinica em lisboa para exactamente dar entrada a um filho de um amigo entregue ao autismo. bom fim de semana silêncio culpado.

RU2X disse...

As questões aqui colocadas são pertinentes e importantes.
Continuamos num país onde as preocupações sociais com os desprotegidos e com aqueles que mais necessitam apenas são faladas durante durante as campanhas eleitorais, para que aqueles que estão desesperados acreditem que podem ser ajudados. Ganhas as eleições tudo é esquecido, independentemente das cores politicas que formam os governos.
É necessário ter voz e fazermo-nos ouvir, para agitar as águas e atingirmos os nossos objectivos. Não sei e gostava que o Mário se pronunciasse acerca de associações ou grupos de pressão que façam lobby em Portugal, para que o autismo passe a estar nas agendas dos nossos governantes como uma causa importante, para a qual é preciso arranjar soluções.
Um abraço e espero que se comecem a ver progressos nesta luta por uma causa desconhecida para muitos,mas que causa sacrificios e tira a qualidade de vida àqueles, que têm de cuidar sem qualquer apoio de um ser que tem uma doença, em nada menos problemática do que outras doenças que aparecem constantemente nas páginas dos jornais e dos outros meios de comunicação social de massas.
Estou solidário com o Autismo.
Raul

Mary disse...

Eu apoio todas as causas e todos aqueles que, pertencendo a grupos especiais, têm dificuldades em ver os seus direitos reconhecidos.
Uma excessiva aposta em modelos-padrão e as classificações que se fazem de todos aqueles que não se inserem nesses modelos é francamente desastrosa do ponto de vista humano, social e até económico.
No caso, do autismo, como noutros, o que se verifica é que pessoas que poderiam ser produtivas são desperdiçadas, as suas famílias sacrificadas, não se tratam nem se previnem as patologias nem sequer se criam condições de sobrevivência, com qualidade de vida, após o desaparecimento dos pais que os resguardam.
É dramático e intolerável.

Robin Hood disse...

Silêncio
Neste Reino nada vai bem e apoiar os diferentes não parece ser uma preocupação do Estado de direito tal como ele se nos apresenta.
É muito positivo que se divulgue a causa dos autistas, melhor, pior,o que importa é que se divulgue e se interrogue.
Continuação de bom trabalho

José Miguel Gomes disse...

Autismo e muito, muito mais.
O serviço público somos nós, todos deveríamos ter a particular atenção de olhar para o lado e ajudar quem necessita... Mas os que são eleitos, esquecem-se, talvez por não necessitarem do serviço público...
É uma pôrra, é o que é...

Fica bem,
Miguel

Louise disse...

É aconselhável que a palavra autismo seja gritada e mantida na frente de todos os olhares.
Os autistas são diferentes mas têm capacidadas que têm que ser desenvolvidas e enquadradas socialmente.
Os governos têm que encontrar as soluções que urgem para este e outros problemas.
Continua, Silêncio, insiste sempre. Não te cales.
Bjs

Sheila disse...

Tem sido uma lição e tanto esta passagem pelo autismo. Na realidade tenho já uma ideia formada sobre o autismo. Não é preciso ter uma ideia profunda basta não desconhecer nem confundir com outras doenças do foro neuro-psiquiátrico.
Quanto às condições de apoio ao autista, o problema não é diferente do apoio a todos os que precisam porque vivemos num Estado que ainda não encontrou as desejadas soluções para problemas concretos.
Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

René
Vamos ver o que diz o Mário Relvas. Estas postagens têm por objectivo apoiar a causa que o Mário encarna e reforçar a visibilidade do Aromas de Portugal.

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

C.Valente
Obrigada pela visita. Mesmo sem dominar o tema tomar contacto com ele é já uma ajuda.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

António Almeida
Obrigada pela opinião. Ambos concordamos que tem que haver apoio e que esse apoio seja eficaz.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona
Pois, minha querida, tudo isso que dizes mas o Estado tem que cumprir as suas obrigações. Poder-se-à discutir o modelo económico e social que lhe está subjacente mas as soluções têm que ser reais e ser mesmo soluções.

Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

SÃO
Vamos fazendo o que podemos para desmistificar.
Obrigada, minha querida

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fotógrafa.
Igualmente para ti.
Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Michael
Concordo. Mas, como diz o Mário Relvas, o caminho faz-se caminhando.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mário Relvas
E que tal essas ideias aqui num post para serem discutidas?

Um abraço e um sorriso

SILÊNCIO CULPADO disse...

Menina do Rio
A tua visita é sempre um prazer para mim e isto é dito sem preocupações de cortesia.Vem d edentro.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sonia
Obrigada e igualmente para ti.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fátima
Sabermos que há estas questões sem resposta já é uma primeiro passo na procura da solução.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

O sentir dos sentidos


Bem-vindo ao Silêncio Culpado. Agradeço as palavras de apoio e irei conhecer o teu espaço logo que me seja possível.

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

M.M.MENDONÇA

O País não é rico e os recursos terão que ser racionalizados.

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

M.M.MENDONÇA

O País não é rico e os recursos terão que ser racionalizados.

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

G.Brito
Agradeço sugestão. Porém o Silêncio Culpado não um blogue dedicado em exclusivo ao autismo. Nem podia ser porque não tenho conhecimentos para isso.
O Aromas de Portugal será o caminho certo para reforçar um trabalho já feito e encontrar soluções futuras.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

São
Tem uma boa semana com tudo a correr bem.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Raul
Obrigada pelo teu contributo que é sempre rico de substância.
Relevo esta passagem que subscrevo inteiramente:

"Continuamos num país onde as preocupações sociais com os desprotegidos e com aqueles que mais necessitam apenas são faladas durante durante as campanhas eleitorais, para que aqueles que estão desesperados acreditem que podem ser ajudados. Ganhas as eleições tudo é esquecido, independentemente das cores politicas que formam os governos.
É necessário ter voz e fazermo-nos ouvir, para agitar as águas e atingirmos os nossos objectivos. Não sei e gostava que o Mário se pronunciasse acerca de associações ou grupos de pressão que façam lobby em Portugal, para que o autismo passe a estar nas agendas dos nossos governantes como uma causa importante, para a qual é preciso arranjar soluções."

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Agulheta
Sê bem-vinda e obrigada.

Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Profeta
Sempre a tua poesia mágica.
Vou ver se ponho as visitas em dia e me desloco ao teu espaço maravilhoso que recomendo vivamente a todos os visitantes.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG
Não sei muito sobre os caminhos porque não estou ligada a uma causa na especialidade.
O que sei é que a paisagem humana, deste País da UE, me mostra realidades que não são compatíveis com o progresso.
Populações deprimidas no interior do País, pessoas a dormir nas ruas, um milhão de deficientes que não têm os necessários apoios, o desenraízamento cultural e afectivo, a falta de soluções para problemas concretos e que nos afligem.
Fala-se em projectos megalómanos e não se olha para as situações deprimentes que magoam e ferem a nossa dignidade.
Olha, vou escrevendo onde posso acreditanto que poderei, eventualmente, ajudar a cimentar uma consciência colectiva. Muitos espaços e comentadores do mundo virtual, de que tu és um exemplo de relevo, são vozes que se levantam, de forma consciente e informada, e em que eu acredito como valor que um dia há-de dar fruto.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MUSQUETEIRA
Queres falar-nos mais um pouco sobre isso?

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mary, minha pequena, o problema está aí: Na capacidade de aceitarmos a diferença como forma de enriquecimento do património humano através da sua diversidade.
Porém, esse enriquecimento processa-se através de maiores exigências de apoios e enquadramentos e os dirigentes preferem os caminhos mais fáceis.
Os que produzem resultados rápidos com menor investimento.

Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Robin Hood
Pois que está mal nós sabemos mas temos que fazer por melhorar. E um Robin Hood é por natureza um lutador por causas.
Colocar o selo e o link e comentar os blogues solidários é já uma grande ajuda.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Miguel
Temos que não nos acomodar perante o que acontece para que o que aconteça não seja resultado da nossa acomodação.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Louise
Obrigada pela tua presença sempre oportuna e sempre informada.
E sempre presente nas causas solidárias.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sheila
Tu que no teu espaço te dedicas a informar sobre patologias também poderias, eventualmente, dar voz ao autismo e ao hiv através de post. É só uma sugestão, minha amiga.
O teu blogue é muito valioso do ponto de vista de informação médica.

Abraço