.



DEMOCRACIA PROCURA-SE



Na luta pela liberdade, pela justiça e pelos direitos mais elementares muitas pessoas, ao longo dos tempos, têm perdido a vida.

Acredita-se num mundo novo e numa justiça social que liberte do peso da opressão e das desigualdades chocantes.

Muitos são os símbolos dos mártires sacrificados para alcançar a democracia que respeita os direitos de todos os cidadãos e lhes dá a almejada igualdade de oportunidades.

Olhando as democracias ocidentais, exemplos vivos do progresso e da humanidade, muitas interrogações nos ficam sobre os modelos ditos democráticos, na maioria dos países que podemos tomar por paradigma.

Nas ruas continuam pessoas a dormir, privadas de todos os direitos, inclusive o duma identidade social só possível através dum trabalho que assegure os mínimos básicos de subsistência.

A insegurança perante o sistema e perante um crime organizado que não é contido, a par duma sociedade de consumo que evidencia as diferenças e cria necessidades, pesa e vai cansando os que viram no estado democrático o sonho duma vida possível.

Perante uma justiça paga a peso de ouro para que o cidadão possa ser devidamente defendido, que o mesmo será dizer que deixa fora os que não podem pagar, e perante um sistema de saúde que onera com taxas moderadoras um pensionista que viva sozinho com 500 euros mensais, a democracia revela-se um fardo inútil do qual nos libertamos falando e reclamando para os ouvidos moucos do poder esteja ele onde estiver e sejam quais forem as formas que o assumem.

A liberdade que cada um traz em si aprisionada por uma comunicação que manipula e serve direitos que não são os seus, vai-nos fazendo recordar canções e símbolos que romantizaram os nossos conceitos num mundo demasiado cruel para os sustentar.

Pelas ruas morrem-se de todas as mortes sejam ou não naturais. Morre a prostituta às mãos do proxeneta deixando uma família por sustentar, morre o sem-abrigo que já não tem rosto, morre o criminoso ou o velho sobrante e morrem todos aqueles que continuam vivos com a morte dentro.

Perdem-se os laços solidários em prol dum individualismo exacerbado. Cultiva-se o eu e mata-se o nós. Escondem-se as lágrimas porque é feio chorar. Tratam-se as depressões que atingem já mais que 25% da população portuguesa.

Busco a minha esperança nos rostos sem alegria que reagem com fúria ao menor sinal de hostilidade. Nunca se falou tanto e se justificou tanta coisa que não tem justificação.

Os passos pesam-me na procura duma democracia que dizem que existe e que é preferível tê-la do que não ter nenhuma. Eu também acredito que tem que haver uma democracia e uma liberdade que nos permita escolher. Será que escolhemos isto? A maioria decerto não escolheu. Mas é como se estivesse escolhido porque há uma legitimidade institucional que desafia as leis humanas.

Se não a tivermos o que nos resta é uma ditadura, essa sem qualquer liberdade. Mas a liberdade é esta?

Olho e não vejo porque tenho os olhos cegos de olhar. Já não diferencio o sol da penumbra e já nem sequer sei onde votar.

Como acreditar nestes políticos, todos eles com rabos-de-palha, todos eles mentirosos à luz duma liberdade que dizem defender?

Mas eu quero a liberdade e a tal democracia que confere uma livre participação de todos os cidadãos na escolha dos seus destinos. Se alguém a encontrou que me diga porque eu quero abraçá-la.

107 comentários:

Pata Negra disse...

É verdade que a turma tem quase toda nota negativa na cadeira da democracia mas daí até ficarmos satisfeitos por ter uma negativa alta...
É assim que os donos da nossa democracia se têm justificado. Em matéria de democracia somos, de facto, melhores que a Birmânia ou a Nigéria!
Mas o voto de quatro em quatro é apenas uma das raízes do tronco da democracia - quantas vezes adulterado com adubos de propaganda e de poderio económico!
Mas os direitos do homem não começam na liberdade de expressão - quantas vezes abafada pelo ruído dos poderosos e comprometidos meios de comunicação!
Os direitos do homem começam no pão e no tecto, na educação e na saúde - e nesses a nossa democracia tem evoluído negativamente!
Democracia é participar, é sairmos de nós, da célula familiar, da organização partidária, é dar voz a quem não a tem. Mas os alienados pela desgraça, a revolta convertida ao absentismo trouxe-nos aqui: ao teu post Silêncio! Qual silêncio? Vou fazer barulho!
Abaixo o regime! Viva a revolução!
Um abraço. Fui muito longo não fui? Estarei a ficar velho de mais para gritar!?

jose disse...

Tudo
Jo 4:29;
Vinde, vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito,
porventura não é este o Cristo?

NuNo_R disse...

OlÁ...

Queremos uma democracia que não é a nossa...

Mas espero que a mesma ainda possa acontecer num futuro próximo...

Se não acontecer, somente nos poderemos culpar depois pelo "baixar dos braços" e por desisitir de lutar por uma sociedade onde todos possam viver de forma "igualitária" e com os mesmos direitos.

Bjs

João Videira Santos disse...

não há justiça, nem liberdade que não se conquiste com sangue, suor e lágrimas...

musqueteira disse...

viva silencio culpado!...a solução da democracia está precisamente na opcção do voto. e porque não se vota em Portugal? pois é... esse estado depressivo para irem às urnas de voto decretarem suas vontades, parece que esgotou a paciência deste Povo. e aqui ao lado...Espanha se ergue! e nós ficamos a ver o Mar a enrolar na areia,e de braços cruzados atentos aos jogos de futebol.

JOY disse...

Olá Lidia

Penso que todos temos claramente a noção de que vivemos debaixo de uma democracia virtual,enquanto continuarmos a ver a classe média a desaparecer que quanto a mim é o sustentáculo e o barómetro da democracia ,e virmos um governo que apesar dos acontecimentos e dificuldades e constragimentos que nos vão impondo dizer que não estamos tão mal como isso ,quando uma pequena parte previligiada tem direito a tudo e uma enorme maioria direito a quase nada ,quanto amim estamos perante uma Ditadura encapuçada . Temos culpas nisto ? temos ! se baixarmos os braços e permitir que isto aconteça sem utilizarmos os pouco meios que estão ao nosso dispor .A blogosfera é sem dúvida uma dessas armas .
Minha querida amiga mais uma vêz,parabéns por este excelente texto.

Abraço forte
Joy

São disse...

Como sempre, Lídia, a tua reflexão traz pistas profundas para quem estiver disposta a não olhar pela rama para o que nos rodeia!!

Querida, tens um agrado esperando por ti lá em casa.
Para ti, a minha ternura.

Jorge P.G disse...

Também muito gostava de a encontrar por cá, a essa velha dama tão maltratada pelos filhos dos que a arrancaram um dia das garras dos tiranos.

Belo texto!

Um abraço para ti, Lídia.
Jorge P.G.

Odele Souza disse...

Teu texto, excelente como os que aqui estamos acostumados a ler.

E pego-me no comentário de João Videira, tão pequeno, tão conciso, tão verdadeiro: "não há justiça, nem liberdade que não se conquiste com sangue, suor e lágrimas..."

E que bom seria se nossos direitos nos chegassem sem que lágrimas precisássemos derramar, sem que por eles precisássemos lutar...

Um abraço Lídia.

Rafeiro Perfumado disse...

Eu actualmente não me sinto em total liberdade, pois apesar de vivermos em democracia, quem nos governa comete demasiados "pecados" para que possamos estar despreocupados.

meg disse...

Lídia, eu volto, porque estou engasgada depois de ler o teu ytexto.
Que raio de democracia é esta que pôs uma importante parte das "pessoas" portuguesas a viver com menos de 10 euros por dia, onde as pessoas se matam como pardais, mais um esta noite no Bairro Alto, segundo uma residente porque se faz negócios de droga à sua porta (com a maior naturalidade).
Ontem passei numa localidade de grande criminalidade, onde se faz uma feira semanal, tive de parar no semáforo e pelo retrovisor vi 3 (três) polícias encostados a um carro patrulha em alegre cavaqueira.
É para isso que vão para as feiras?
Desculpa, não entendo!

Mas a culpa deve ser minha, pois se me roubaram um carro quatro vezes em 9 meses!!!! devo estar traumatizada.

Um bom fim de semana
Um abraço

E fico-me por aq
QUANDO É QUE APANHAM OS BARÕES DA DROGA????

Boris disse...

Silêncio, minha Silêncio
a democracia morreu
caiu nas mãos da desgraça
e depois enlouqueceu.

Beijinhos

Alexandre disse...

Está tudo subvertido! Pode haver liberdade, sim, mas apenas de olhar e desejar porque ter é impossível para a maioria da população.

Tudo continua nas mãos das grandes famílias que sempre tudo tiveram, não tenhamos ilusões que nada mudou nos últimos anos nem nada mudará nos próximos!!!

Um beijinho grande!!!

amigona avó e a neta princesa disse...

Belo texto Lídia! Mas acredito, sinceramente, qua estamos a viver uma curva apertada na estrada da Democracia! Noto algum desânimo da tua parte que é o objectivo daqueles que são contra a democracia.Tens a certeza que são todos iguais, amiga? Tens conhecimentos de TODAS as lutas, protestos que se vão fazendo por esse País fora e que a maioria da comunicação social ignora?

O voto tem muito que se lhe diga...o que fazem as donas de casa? Quem constrói a sua mentalidade? Qual o seu peso na votação? E os idosos, tão esquecidos no resto dos dias mas neste até têm os bombeiros por sua conta (nem sempre para os levar ao hospital!)...esperança...esperança e LUTA...só lá chegamos através da LUTA...
Beijos, querida...

Arnaldo Reis Trindade disse...

Lindo texto, lindo blog, exemplo mais uma vez de cidadania da tua parte amiga.

Amei teu blog, vim aqui pra te avisar que respondí ao teu comentário no meu blog e que o teu já está na minha lista de amigos do blog.

Parabens e beijo

Maria Clarinda disse...

(...)Mas eu quero a liberdade e a tal democracia que confere uma livre participação de todos os cidadãos na escolha dos seus destinos. Se alguém a encontrou que me diga porque eu quero abraçá-la.


Tá tudo aqui....eu também faço do teu apelo o meu!
Jinhos mil

O Guardião disse...

A Democracia não é o apanágio de quem nos governa, ou então teríamos justiça, saúde ao alcance de todos, educação a sério, trabalho, melhor redistribuição da riqueza e menos corrupção. Só falei disto, mas podia dizer muito mais coisas, tal o défice de consciência democrática que abunda na cabecinha dos nosso governates.
Cumps

Teresa Durães disse...

a democracia do ocidente já provou que não resulta. é necesssário mudar

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra
Excelente a tua dissertação.
Sem retirar importância ao exercício democrático de votar, a verdade é que o voto cada vez menos exprime a vontade da maioria.
E a opinião é muitas vezes formada por uma comunicação que serve os interesses de quem a sustenta.

"Os direitos do homem começam no pão e no tecto, na educação e na saúde", dizes tu. Pois é por isso, e por ver o actual estado destes direitos que me questiono sobre a democracia.
Abraço.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra
Só mais um pormenor:

Há que romper o Silêncio Culpado. Este espaço é para isso. Força!

Abraço

A. João Soares disse...

Cara Silêncio Culpado

ATENÇÃO. O VÂNDALO VOLTA A ATACAR
Há entre nós um bloguista desonesto, criminoso, que, além do anonimato, usa variados nomes fictícios e, o que é muito mais grave, está a falsificar as nossas identidades. Já colocou comentários em meu nome, em que o link ia direito à minha ficha.
A ua actuação foi tão inconveniente que o bloguista Beezzblogger colocou em A Voz do Povo o post
Vergonhoso e eu coloquei em Do Miradouro o post Um alerta Importante.
A sua actividade pérfida de indivíduo sofrendo de dupla personalidade, serenou chegando ao ponto de começar uma operação de charme, usando sempre do anonimato, por vezes com nomes fictícios.
Mas já voltou de novo a atacar pessoas de quem parecia ser amigo, embrulhando-as num grupo que, segundo a sua fobia, considera comunistas.
Convém tomar precauções contra as suas investidas, por ser capaz de usar os truques mais nojentos.
Como tenho activada a moderação de comentários, recuso aquilo que me pareça suspeito e, desde já peço desculpa se eliminar algo bem intencionado de algum visitante anónimo. Para evitar erros desse género, peço que assinem os comentários anónimos com uma identificação que eu reconheça.

Cumprimentos
A. João Soares

António de Almeida disse...

-Não vou ser original mas citar um personagem com o qual até nem simpatizo muito, "a democracia é o pior dos sistemas, á excepção de todos os outros". Penso que vivemos numa plena democracia, afirmar o contrário seria a meu ver faltar ao respeito aqueles que deram a vida lutando pela liberdade, escolhemos quem nos governa, bem ou mal a escolha é nossa. Uma democracia apenas deve assegurar igualdade de oportunidades, e não outras que dependem da obtenção de resultados individuais ou colectivos. Mas falta organização a Portugal, já os romanos diziam que não nos governamos nem deixamos governar, pelo menos desde o sec XIX que este país desperdiça oportunidades e acumula erros sucessivos.

M.M.MENDONÇA disse...

Lídia
Para haver democracia têm que ser garantidos os direitos dos cidadãos que passam pelas liberdades individuais, a saúde, o direito à informação (isenta) e o acesso, pelo menos, aos mínimos indispensáveis à sua subsistência com dignidade. Será que é isso que acontece? Não creio. E manifestações de rua não me agradam sobretudo quando são manipuladas por minorias que pretendem controlar um poder que não conseguem através de eleições.
Beijos

Mac Adame disse...

Ando à procura da mesma coisa. Mas não encontro. A democracia é chão que já deu uvas. Cada vez mais, de democracia só lhe resta o nome. Abraço.

Agulheta disse...

Amiga Lídia.
Nos últimos tempos se fala muito em democracia e V~e-la! onde ela mora,só se for na imaginção de todos nós,agora que passados estes anos todos gritei falei que me fartei,e muitas vezes foi a má da fita,os mais novos tem de lutar pelos seus direitos,a saúde a uma educação melhor e emprego melhor..Quem sabe fazer um novo "Maio de 68" pode ser para o povo acordar de vez.Bom trabalho gostei,desculpa este desabafo.
Beijinho e BFS LISA

SILÊNCIO CULPADO disse...

José
Bem vindo ao Silêncio Culpado.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Nuno
A democracia está pervertida quando não podemos escolher, quando os diferentes são discriminados e quando a igualdade de oportunidades não é cumprida.Mas o que resta desta democracia e do espaço de acção que ainda nos fica poderá ser suficiente para a regeneração. Assim o queiramos.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

João Videira Sntos
O pior não é conquistar a justiça e a liberdade com sangue suor e lágrimas. O pior é dar o sangue, o suor e as lágrimas e continuar a não as ter.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MUSQUETEIRA
A democracia exerce-se através do voto mas quando a abstenção ronda os 50% que expressão real da vontade dum povo tem o partido vencedor? Podem dizer-me que quem não quer saber aceita que decidam por si. Acredito.Mas não me satisfaz.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

JOY
Estudos recentes dizem-nos que Portugal é o País da UE com maiores clivagens entre ricos e pobres e que esse fosso continua a aumentar. Mesmo os Estados Unidos não têm uma assimetria tão acentuada.
Bolas, né?

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

SÃO
Obrigada pelas tuas palavras e pelo agrado que incluirei com especial carinho na minha galeria.

Abraço

Silvia Madureira disse...

De facto, existem muitas pessoas que sofrem porque não têm nada e o nosso país parece não dar resposta.

De facto, embora nada percebendo de política verifico que os casos mais graves do país são olhados como se fossem excepções...

De facto, passamos por pessoas em decadência e de tão habituados que estamos a ver seguimos em frente sem um olhar de solidariedade.

De facto, vive-se num corre - corre em busca não sei de quê mas perdendo tudo.

Palavras pessimistas de facto. Mas se olharmos à volta com olhos de ver será que se consegue ser optimista?

Eu vou esperando...que o mundo me faça acreditar que pode ser melhor.

beijo grande

lua prateada disse...

A luta pela liberdade e de que maneira, quanta luta!...

Sobrevoei nas asas do vento
Parei em teu cantinho
Deixando aqui cair
Todo o meu carinho.

Deixando também a paz
Que de mim emana
E te desejando
Um lindo fim de semana.

Beijinho prateado

SOL

SILÊNCIO CULPADO disse...

JORGE
Entre o jogo das palavras e dos conceitos muito fica por realizar.

Abraço

susitour.com disse...

Slêncio Culpado:

Cada dia que passa, olho para os meus flhos e questiono-me como será o futuro para eles. Será que vão fazer parte de uma nova geração capaz de reinventar um novo sistema que não seja a democracia, nem a ditadura...onde palavras como a pobreza,desigualdade, injustiça,insegurança, opressão passem a ser meras teorias caducadas...Porque o sistema democrático já deu o que tinha para dar... e está mais que provado que também este é ineficaz,quando a corrupção parece ter voz mais alta entre os politicos, que dizem velar pelos interesses do povo... e fecham os olhos para situações dramáticas derivadas do desemprego,da subida disparatada do preço dos alimentos básicos,para não falar do aumeento de violência, entre outras coisas negras...
A nossa Liberdade não é como gostariamos que fosse.
A nossa Liberdade só pode ser vivida verdadeiramente, quando for descoberta a fórmula perfeita que nos livre de todas as nódoas do mundo...
Vejo o mundo pouco livre, muito negro... e com poucas perspectivas para mudar... um futuro pouco risonho para os nossos filhos viverem.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Amiga Lídia, "Democracia procura-se",
infelizmente é muito triste ver-se em Portugal que este título assenta que nem uma luva...
Estamos a cada dia que passa piores, em todas as situações!...
Querida Lídia bom fim de semana,
Beijinhos de muito carinho,
Fernandinha

Sei que existes disse...

E será que não estamos nós a viver num tipo de ditadura que nós é imposta de forma subtil?
E será que não estamos todos nós, adultos, a sermos coniventes com essa ditadura, ao deixarmos simplesmente que tudo se passe sem tentarmos verdadeiramente lutar para ques seja feita justiça e os nossos direitos e deveres (sim, porque também temos devres!...), como cidadãos, sejam cumpridos?
Beijocas grandes

Louise disse...

Lídia
A democracia nem sequer existe na blogosfera onde as pessoas querem impôr as suas visões a qualquer preço e a qualquer custo.
jinhos, miga

fotógrafa disse...

Amanhã o sol será o mesmo mensageiro da luz, mas as circunstâncias, pessoas e coisas, poderão estar diferentes.

Hoje significa o teu momento de agir, semear, investir as tuas possibilidades afectivas em favor daqueles que convivem contigo.

Hoje é o melhor período de tempo na direção do tempo sem fim...
Bom fds
abraço

meg disse...

Lídia,
Voltei para ler o teu texto. Eu gostaria de ser capaz de o ter escrito. Mas não sou, porque seria muito mais dura. Eu não me contento com esses panos quentes das cantigas e dos poemas. E a cada dia que passa a revolta aumenta porque não tenho solução à vista.
Vejo o meu país a morrer! Está moribundo, mas o que mais me revolta é que se destruiu um, mais do que um país, em nome "DISTO"?
Com a idade que tenho nunca na vida ouvi falar nem vi tanta fome como agora, no séc. XXI.
Destruiram Angola e Moçambique.
Havia gente muito rica? Havia, claro!
Mas não havia fome porque só quem não quisesse trabalhar o não fazia.
E o que há cá? Pornograficamente ricos, ao lado de gente de mão estendida e sem trabalho.
E assino o teu texto,na totalidade, muito especialmente os quatro últimos parágrafos.

Mas não deixem morrer gente à fome!

Um abraço, Lídia, mas não posso falar nisto ser "ferver".

herético disse...

a igualdade tem uma irmã siamesa - a igualdade. não sobrevivem uma sem a outra.

excelente e oportuno texto.

abraço

Perdido disse...

O problema é que, historicamente, há duas democracias e nós precisamos de uma terceira.

A democracia que faz mais sentido é a dos gregos, mas no fundo é uma aristocracia. Explico-me: na cidade grega, quer os hilotas, quer os escravos, estavam excluídos do exercício do poder público. Entretanto o "demos", a minoria da população com direitos usufruía de uma partilha verdadeiramente "democrática" do poder.

Nos tempos modernos, mais precisamente desde as monarquias constitucionais e, depois, das repúblicas, a democracia instituiu-se como uma forma de legitimar o poder político da classe dirigente. Lenine intuiu a verdadeira natureza da democracia como uma ditadura do capitalismo (e propôs-se mudá-la para as mãos do proletariado.

Na candura de costumes em que vivemos impingiram-nos a ideia de que o voto é a arma do povo. Como assim? Não quero mais estes. Em quem vou votar, nos outros? Venha o diabo e escolha! Se querem governar que governem, mas não com o meu apoio. O meu exercício de democracia, as minhas armas são a abstenção e a denúncia.

Votar, só se for num Estado off-shore. É lá que o Estado Português e os senhores do BCP têm os olhos e a massa postos. Se aquilo dá dinheiro, porque é que não há-de governar-nos o Estado Off-shore.

Olhos de mel disse...

Oie linda! Belo post! Tambem ando a procura dessa tal liberdade e ainda não encontrei, principalmente a chamada democracia. Mas vou continuar tentando.
Bom domingo! Beijos

SILÊNCIO CULPADO disse...

Odele
"...não há justiça, nem liberdade que não se conquiste com sangue, suor e lágrimas..."
Acredito que sim, que só a luta e a persistência nos farão levar a bom porto. Ajudemos pois aqueles que lutam e se empenham por uma sociedade mais justa e solidário e que cada um de nós dê também o seu melhor para o conseguir.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Rafeiro Perfumado
Pois é amigo. Os exemplos devem vir de cima e nem sempre são os melhores.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG
A insegurança, e a falta de recursos que permitam uma vida minimamente aceitável no que se refere às necessidades básicas, é a realidade presente com que temos que conviver. O desemprego e a subida desenfreada dos bens de primeira necessidade não permitem o acesso a uma vida digna.
Estudos revelam que cerca de 55% da população portuguesa já esteve em situação de pobreza nos últimos anos. Enquanto isso a riqueza concentra-se numa minoria que não pára de vê-la aumentada.
Mas para mim o pior não é a situação em si que muitos poderão argumentar com a marginalidade ou a falta de interesse em dar a volta por cima. O pior para mim é o não cumprimento da igualdade de oportunidades, a desertificação do interior do país e a pobreza entre os idosos.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Bóris

Ora nem mais, meu amigo.


Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Alexandre
Também estou convenvida que nada mudou nem mudará nos próximos anos. Pelo caminho que as coisas levam, vira o disco e toca o mesmo.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona
Não existe desânimo da minha parte. Sou uma lutadora inata e a democracia é uma orientação de vida.
E por ser a democracia uma orientação de vida tenho que respeitar o resultado das eleições.
Tens dúvidas em que ficará tudo na mesma? Eu não tenho.
Por isso, e porque vejo a comunicação comprometida com o poder, questiono neste espaço virtual e peço aos amigos que também o façam para que haja o esclarecimento necessário a uma escolha consciente.
Não pretendo fazer política nem apontar caminhos partidários. Apenas pretendo uma maior consciência social em torno dos factos.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Arnaldo Reis Trindade

Fico muito contente em ter-te por amigo. Procurarei manter o nosso convívio constante embora tenha que te confessar as minhas dificuldades em responder a tantos amigos que visitam.
Perdoar-me-às algumas falhas mas, dentro do possível, procurarei corresponder.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Maria Clarinda
Nós, todos nós, também temos que fazer por isso.
A democracia conquista-se com empenho e perseverança.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Guardião
A democracia não é apanágio de quem governa e há um déficit de consciência democrática na cabeça dos governantes.
A democracia é apanágio dum povo que, através de leições livres, elege o governo com déficit de consciência democrática.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Teresa Durães

É necessário mudar e percebermos o sentido da mudança.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

A.João Soares
O mundo virtual espelha as pessoas do mundo real. Por isso é composto de diferentes sensibilidades e pensamentos. Uns bons e outros não.
Pouco me importa se alguém se esconde nesta ou naquela máscara ou até se faz uso de várias delas. Também me é indiferente se os meus comentadores fazem parte de grupos de amigos ou de interesses. Cada um é uma realidade que fica impressa nos comentários que faz (e que eu não modero nem apago) e nas atitudes que toma.
Tenho recebido de vários visitantes alertas para outros bloguistas e seus comportamento menos próprios.
Porém jamais entrei em grupos, me deixei manipular, ou alterei uma conduta que é a minha. Houve quem deixasse de me visitar por eu receber e estimular visitantes com quem estavam em lítigio. Porém houve também aqueles que compreenderam a minha posição e que continuam a visitar e a comentar ao lado de pessoas "inimigas no mundo virtual". Por estes últimos tenho uma admiração sem limites pela grandeza de alma que revelam. Os que não aceitam esta minha forma de estar estão também no seu direito e não os levo a mal por isso. A liberdade é exactamente isso, o saber conviver com diferentes posições.
O Silêncio Culpado é um projecto de vida e não de morte. É um projecto solidário e que questiona os acontecimentos do mundo presente. Sem linhas ideológicas nem discriminações. Procurando arranjar força nesta base que o sustenta.
Se o quiserem destruir, e quem o quiser, eu aqui estou de peito aberto e tal como sou.
Obrigada pela visita que eu esperei durante muito tempo pela admiração que tenho pelo que escreve e pelos comentários que fui deixando nos seus espaços.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

António Almeida
Concordo inteiramente com a sua opinião e relevo a seguinte passagem:
"Uma democracia apenas deve assegurar igualdade de oportunidades, e não outras que dependem da obtenção de resultados individuais ou colectivos. Mas falta organização a Portugal, já os romanos diziam que não nos governamos nem deixamos governar, pelo menos desde o sec XIX que este país desperdiça oportunidades e acumula erros sucessivos."

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

M.M.MENDONÇA
Os direitos e as liberdades individuais estão a ser muito esquecidos e a assistência médica e medicamentosa é uma maiores feridas das governações.
As manifestações de rua são curiosas porque não encontram correspondência na expressão eleitoral.
Que fazer? Não respeitar o resultado das eleições?
São estas questões que gostaria ver aqui debatidas.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mac Adame
A democracia supõe liberdade de escolha. Será que há liberdade para escolher?

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

AGULHETA
Vou lançar mais umas achas para a fogueira.
Sem políticas de emprego, com listas de espera nos hospitais, com insegurança nas ruas e uma comunicação social comprometida com o poder, onde está a democracia?
Nas manifestações de rua? O povo não deu carta branca a Sócrates para governar durante 4 anos? E não se prepara para lhe renovar a carta? Devemos fazer tábua rasa das eleições e impor a vontade das minorias que se manifestam nas ruas?
Não estou a questionar se são ou não legítimas as manifestações. Acho que são. Estou é a interrogar-me.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sílvia Madureira
O cenário não é animador mas nós não podemos perder a esperança.
Há que procurar o caminho e, sobretudo, há que nos despirmos do excesso de individualismo que nos faz olhar com olhos egoístas o cenário que temos à nossa volta.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Lua Prateada

A luta pela liberdade. A eterna aspiração do homem. Mas continua a liberdade a ser um ponto distante, talvez ainda mais distante pela ilusão que temos de que está mais perto.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

SUSITOUR.COM
Eu acredito na vida e na capacidade de regeneração. Por isso acredito também que as grandes etapas da história da humanidade se constroem por ciclos. Talvez estejamos num fim de ciclo.
Tenho esperança que um dia haverá um mundo mais justo construído a par e passo com as nossas mãos e uma visão mais consciente.
Há um espaço da comunicação que ainda nos resta como espaço de informação e que nos há-de ajudar a abrir os olhos.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fernanda
Estamos piores sim. Todos os números o indicam. Há mais pobreza e maiores diferenças entre os que tudo podem e os que nada têm.
Mas um dia o sol há-de nascer.
Acredita, amiga.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

SEI QUE EXISTES

Concordo que exista uma ditadura subtil empossada por uma comunicação que serve interesses dos diferentes poderes e pela falta de liberdade de acção de quem luta pelos mais legítimos direitos e encontra todas as portas fechadas e uma justiça que se esconde através da interpretação conveniente das leis.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Louise
É verdade que a democracia não existe na blogosfera. Mas se ela não existe no mundo real como pode existir na blogosfera? As pessoas da blogosfera não são as que encarnam o mundo real?
Há que lutar, Louise, para que haja maior tolerância e maior compreensão entre as pessoas.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fotógrafa
Obrigada, amiga, pelas tuas palavras poéticas que nos elevam da mediocridade dos dias que não sabemos olhar com esperança.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG
Obrigada por teres voltado. E obrigada por expores o teu pensamento de forma tão frontal e desenvolvida.
É verdade que existem, cada vez mais, maiores clivagens entre ricos e pobres e muita miséria encapotada. Os campos davam às populações rurais muitos alimentos ainda que com enormes sacrifícios. A desertificação e o envelhecimento da população oferece-nos uma paisagem humana desoladora.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Herético
Um abraço e obrigada pela tua visita.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Perdido
Obrigada pela tua visita e pelo comentário bastante elucidativo sobre o teu pensamento.
De facto temos dificuldade em rever-nos nos valores actuais como sendo os mais correctos para a felicidade humana e para a justiça social que lhe está subjacente.
Porém nunca deixei de votar porque entendo que devo exprimir as minhas opções. Nem que seja através dum voto em branco.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Olhos de Mel

"Tambem ando a procura dessa tal liberdade e ainda não encontrei, principalmente a chamada democracia. Mas vou continuar tentando."
Eu também vou tentando, com denodo e sem baixar os braços.

Abraço

Arnaldo Reis Trindade disse...

Será uma honra que apenas leia aos meus comentários, se não for possível respondê-los não há problema, espero apenas que os leia. Já é uma honra que pessoas com você leiam meu blog e leiam os comentários que faço no teu blog.


Abraço.

Å®t Øf £övë disse...

Lídia,
Eu já não acredito que se viva numa democracia neste nosso país. Penso que andamos todos enganados, e que na realidade vivemos numa ditadura mascarada de democracia, o que nos leva a pensar que temos a capacidade de escolher o rumo deste país, quando na verdade estamos é a ser completamente manipulados.
Bom resto de domingo.
Bjs.

Isabel-F. disse...

quase que jurava já ter comentado este post ...

mas não devo ter confirmado se o comentário tinha saido mesmo:

democracia: mas que democracia? o que é isto que se passa no nosso País? quantas pessoas estrão hoje a passar fome mesmo?


beijinhos

AJB - martelo disse...

quase todos os intervenientes nesta política dita democrática têm deixado rastos de pouca relevância, outras mais de dano...mas, que não haja incerteza do caminho a seguir que não seja o de poder exprimir a vontade livre...é por aí o caminho.
bj

G.BRITO disse...

Lídia
O sistema político que temos já se parece pouco com um sistema democrático. Alternativas através de contestações fomentadas por minorias?
Ter dois partidos com o mesmo projecto e escolher um deles?
Procurar uma 3ª.via?

Beijo

amigona avó e a neta princesa disse...

Voltei a passar...sei que não baixas os braços Lídia...assim o fizessem muitos dos que por aqui passam mas, às vezes, é muito fácil criticar, lamentar, mas ver - de fora! Não fazer nada a não ser esperar o milagre! E, nestes milagres, eu não acredito! Beijos querida amiga e boa semana...

Mário Relvas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Arte Autismo e www.arteautismo.com disse...

Lídia , minha querida e estimada amiga , passei aqui para te deixar um beijo e um abraço com todo carinho do mundo.
Com saudades....
Ray

Menina do Rio disse...

Quantos anos pode um povo viver
Sem conhecer a liberdade?
Quanto tempo um homem deve virar a cabeça
Fingindo não ver o que está vendo?
The answer, my friend, is blowing in the wind...

Lidia, deixo-te um beijo de boa semana

Olá!! disse...

Desejo a todos uma óptima semana e que a democracia seja encontrada em breve...
Beijossssssss

Templo do Giraldo disse...

Ca estamos de novo

Depois de terminada a queima das fitas, e aquelas noites bem passadas, e bem regadas, estamos de regresso ao mundo activo do blogger.

Deparei que continuas aqui com o teu "sitio" bem movimentado como ja nos habituas-te.
Em breve voltarei com mais vagar para saber o que aqui se tem passado.

Um abraço.

O Guardião disse...

Os partidos dizem que são o garante da democracia e todos podemos constatar que fora deles a intervenção cívica é quase impossível. O sistema organizou-se de modo a que isso aconteça, e por isso são sempre os mesmos (partidos) que se apresentam a eleições.
Que fazer se não gostamos deles? Votar em branco? Só isso?
Será que democracia se reduz a votar de tempos a tempos, porque a tribuna está reservada apenas a quem joga que "joga num desses clubes"?
Não gosto do sistema vigente, que acho que é uma partidocracia, mas se o quiser mudar tenho que formar eu mesmo um partido!... Continuo a não gostar da ideia.
Cumps

C Valente disse...

Existe os martires e anti-herois, mas infelizmente e á custas dos honestos, os charlatoes, e outros que tias tomam o poder e governam-se e o povo continua bna miséria
Saudações amigas

Mary disse...

A democracia tem donos. O poder manda nos que não o têm.
Bjs

susitour.com disse...

Silêncio culpado:
Voltei a passar por aqui para agradecer a sua resposta ao meu comentário. Seria uma grande honra para mim se pudesse colocar o link(Silêncio culpado) no meu blog, se não encontrar nenhum inconveniente da sua parte. Aguardo pela sua resposta.

Um abraço

ManDrag disse...

Salve!
Será que as alternativas de organização política duma nação se poderão restringir apenas à opção entre Democracia e Ditadura? Será que a criatividade humana não conseguirá idealizar e modelar um outro formato de organização e administração política em que impere o respeito pela dignidade de todas as criaturas, humanas ou não?
Eu creio que sim, que seremos capazes de muito melhor que isto. Virá o dia...
Salutas!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Arnaldo Reis Trindade

É um gosto tê-lo aqui e o seu blogue revela uma consciência cívica e uma cultura geral que, infelizmente, não são muito frequentes no mundo em que vivemos.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Å®t Øf £övë

Impõe-se uma consciência cívica solidária e aderente aos problemas que nos afectam.
A comunicação social tem feito um mau papel. Para vender e ganhar audiências e servir quem a sustenta, tem-nos privado duma informação essencial à aquisição dessa mesma consciência cívica.
Mas, felizmente, estamos muito longe da verdadeira ditadura. Se assim não fosse nem liberdade teriamos para opinar como o estamos a fazer.
Mas concordo que exista uma espécie de ditadura na forma como as mensagens são manipuladas com vista à formação de uma opinião que sirva os interesses vigentes.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Isabel
A democracia tem que respeitar a igualdade de oportunidades, o direito a um tecto, à saúde e a uma alimentação adequada.
E está a falhar.

Abraço

Carmim disse...

Andamos todos tão saudosos da tal liberdade...

Passo para avisar que mudei de casa, mas continuo neste mundo dos blogs. =)

Um beijo.

SILÊNCIO CULPADO disse...

AJB.MARTELO

Apesar das dificuldades que obstam a uma democracia plena também não tenho dúvidas de que o caminho a seguir é o de exprimir livremente a vontade.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

G.Brito
Não nos podemos acomodar. Temos que procurar lutando por corrigir o que está mal através duma participação activa e consciente e dentro do quadro democrático que nos permite essa liberdade.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

AMIGONA
Eu percebo a tua inquietação porque a desistência seria uma forma de acção corrosiva que desembocaria em soluções que ninguém deseja.
Lutar informando e questionando é já contribuir para que certos desvios democráticos sejam repensados e corrigidos.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

RAY
Obrigada, minha querida, pela tua visita.
Um beijo especial para ti e também para o nosso autista e grande pintor chamado Filipe.

meg disse...

Lídia, ainda estás com o mesmo post, mas com muito para dizer ainda.
Não tenho aparecido porque me meti em aventuras maiores que o meu pé e pronto. Tenho alegria em casa e falta-me o tempo para até convidar os amigos.
É o que te venho fazer, porque tenho um feeling que vais gostar.
Depois desta aventura, vou postar assim uma coisa levesinha e em dois ou três dias ir ler o que os meus amigos escrevem.
Porque gosto de ler, não de passar e dizer olá.
E vou correndo, que alguém me está a chamar.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MENINA DO RIO

"Quantos anos pode um povo viver
Sem conhecer a liberdade?
Quanto tempo um homem deve virar a cabeça
Fingindo não ver o que está vendo?"

Perguntas sábias, minha querida amiga, e às quais é preciso encontrar resposta.

Abraço

Hermínia Nadais disse...

Quem dera encontrar também essa democracia por que tanto luto... para ver os pobres menos pobres ao lado dos ricos mais humanizados!
Que belos sentimentos!... Bem haja!

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Lídia, passei para reler-te e deixar-te um beijinho de muita ternura,
Fernandinha

Nilson Barcelli disse...

Excelente texto cara amiga.

A liberdade agradece...

Beijinhos.

SILÊNCIO CULPADO disse...

OLÁ
Se houver muitas pessoas como tu a democracia encontra-se concerteza.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Templo do Giraldo

Olá amigo. Muito gosto em ver-te. Que saudades da queima das fitas. Mas já vai longe...


Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

GUARDIÃO
Tu podes não gostar da ideia de formares um partido mas eu gosto.

Já sabes, se mudares de ideias, que tens aqui uma apoiante.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

C.Valente
É como dizes, amigo.
Sê benvindo e um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MARY
Deixa-me ver... a democracia tem donos... será?
Deve ser. Por isso não é democracia.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

SUSITOUR

Minha querida estás em casa. Será um prazer encontrar o link do Silêncio no teu espaço.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MANDRAG
Quem me dera que tivesses razão e que seja possível que a criatividade humana consiga idealizar e modelar um outro formato de organização e administração política em que impere o respeito pela dignidade de todas as criaturas.
Por isso lutarei sempre. É aquela esperança que não morrer.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG
Eu apanhei uma gripe daquelas que me tem posto a meio gás.
O teu post merece um comentário que ainda não fui capaz de fazer como gostaria. Mas lá chegarei, prometo.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Nilson Barcelli

Obrigada pelo encorajamento.

Abraço