.



O VALOR DA VIDA.


Não duvide do valor da vida, da paz, do amor, do prazer de viver, enfim, de tudo o que faz a vida florescer. Mas duvide de tudo que a compromete. Duvide do controle que a miséria, ansiedade, egoísmo, intolerância e irritabilidade exercem sobre nós.
Quando somos abandonados pelo mundo, a solidão é superável; quando somos abandonados por nós mesmos, a solidão é quase incurável.
Sábio é o ser humano que tem coragem de ir diante do espelho da sua alma para reconhecer os seus erros e fracassos e utilizá-los para plantar as mais belas sementes no terreno da sua inteligência.
Ser livre é não ser escravo das culpas do passado nem das preocupações do amanhã. Ser livre é ter tempo para as coisas que amamos. É abraçar, entregar-se, sonhar, recomeçar tudo de novo. É desenvolver a arte de pensar e proteger a emoção. Mas, acima de tudo, ser livre é ter um caso de amor com a própria existência e desvendar os seus mistérios.
Se os seus sonhos são pequenos, a sua visão será pequena;
As suas metas serão limitadas, os seus alvos serão diminutos;
A sua estrada será estreita, a sua capacidade de suportar as tormentas será frágil.
Os sonhos regam a existência com sentido.
Desejo que não tenhamos medo da vida, tenhamos sim medo de a não viver.
Não há céu sem tempestades, nem caminhos sem acidentes.
Só é digno do pódio quem usa as derrotas para alcançá-lo.
Só é digno da sabedoria quem usa as lágrimas para irrigá-la.
Os frágeis usam a força; os fortes, a inteligência.
Sejamos sonhadores, mas unamos os nossos sonhos com disciplina,
Pois os sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas.
Sejamos debatedores de ideias!
Lutemos pelo que amamos!

Lúcia Dias

16 comentários:

Eduarda disse...

Um texto estranhamente soberbo, que nos entra e faz reflectir.

Tenho que destacar que de facto a pior solidão é aquela que colhemos.

bj

Raul Almeida disse...

O corpo de um indigente numa aula de anatomia e o controverso jovem estudante de medicina que quis na morte compreender os mistérios da vida, dos auto-excluídos da sociedade.
Encontrou "Falcão" e toda a sabedoria de vida, que deambulava pelas ruas e bancos de jardim.
Ao olharmos qualquer sem-abrigo, dormindo em caixas de cartão e vestindo trajos andrajosos não nos podemos esquecer que esse ser humano tem uma história de vida e que só porque o nosso destino assim o quis não estamos no seu lugar.
Grato por me recordar neste excerto uma extraordinária lição de sabedoria, em que a morte representa tantas vezes o fechar de um livro não lido.
Abraço.

São disse...

Gostei desta canção de esperança.

Bom dia.

JOY disse...

Olá Lidia,
Um Texto inspirador e que aplica a tudo o que estamos a passar neste momento, temos de ter coragem de viver e de lutar contra quem nos impede de concretizar os nossos sonhos.

Beijinhos
Joy

manuel marques disse...

A nossa vida em grande parte compõe-se de sonhos. É preciso ligá-los à acção ...

Beijo.

Teresa Durães disse...

infelizmente não concordo com tudo. quando somos abandonados pelo mundo perdemos a nossa bússola

Jose Sousa disse...

Penso que é a primeira vez que venho até seu espaço. O que li, aqui, gostei e vou ser seu seguidor. Seja meu também em:

www.congulolundo.blogspot.com
www.minhalmaempoemas.blogspot.com
www.queriaserselvagem.blogspot.com

Um abração e tudo de bom.

C Valente disse...

A vida,um bem precioso
Saudações amigas

Maria João disse...

É certo que a vida não é linear, nem pouco mais ou menos o que desejamos, Há que saber vivê-la com autenticidade, serenamente, transformando os obstáculos em desafios e os precalços em fontes de resiliência.
Este é um texto para refectir, sem dúvida. Para olharmos dentro de nós mesmos e aí nos descobrirmos e entendermos melhor quem está ao nosso lado. A vida.... bem, com diz António Gedeão:

"
Quando te sentires perdida
fecha os olhos e sorri.
Não tenhas medo da Vida
que a Vida vive por si."

Um abraço

caixadepregos disse...

Lídia,
não há mesmo maior fortuna do que a vida em toda a sua dimensão e em cada ser é irrepetível...

abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Lúcia

O teu texto é lindo. É um texto onde nos devemos abastecer de forças. Basta pensarmos que começamos e acabamos em nós e que está nós a capacidade de encontrarmos o valor da vida.

Abraço

Zé Povinho disse...

A mar a vida e ter esperança no futuro e em nós mesmos.
Abraço do Zé

. intemporal . disse...

.

.

"Eu gosto de viver. Já me senti ferozmente, desesperadamente, agudamente infeliz, dilacerada pelo sofrimento, mas através de tudo ainda sei, com absoluta certeza, que estar viva é sensacional."

(Agatha Christie)

.

.

. um abraço, Lúcia .

.

.

jardinsdeLaura disse...

Belo texto! Gostei de o ler e sobretudo partilho a sua mensagem

Cata- Vento disse...

Uma verdadeira lição de vida. Bem-hajas, Lídia, por tê-lo publicado aqui ao meu alcance. Vou copiá-lo e colocá-lo em lugar bem visível porque todos o devem ler.
"Quando somos abandonados pelo mundo, a solidão é superável; quando somos abandonados por nós mesmos, a solidão é quase incurável."
E quantos (as) já o terão feito porque as expectativas de vida, de tão fragilizadas, definharam?
Bem-hajas!
Muito, muito, obrigada.

Beijinhos

O Árabe disse...

Assim deve ser! Acima de tudo, a razão maior é a Vida! :) Boa semana.