.



OS CARRASCOS DE PORTUGAL



Este grupo de criaturas fez aprovar hoje o Orçamento de Estado para 2013 na Assembleia da República.

Será a via directa para a tragédia grega , só que com um ano de atraso.

A vida do "melhor povo do mundo" vai ser ainda mais uma descida aos infernos.

E que faz ,  além de escrever desabafos inconsequentes no facebook(!!) , a múmia eleita para Belém, chamada Cavaco Silva? Nada, rigorosamente nada!

Este 31-10-2012 é verdadeiramente um Dia de Bruxedos !!

24 comentários:

O Puma disse...

Nunca a canalha

foi tão canalha

edumanes disse...

Obrigado pela visit. Tudo aqilo que leu, naquele pequeno texto que eu escrevi. É uma minúscula ponta do Iceberg. Havia muita fome, muito trabalho e muito mal pago e muita repressão. Que os nossos filhos, e os filhos dos filhos que nossos netos são. Lutem para que esses senhores que hoje no parlamento aprovaram o Orçamento do Estado para o ano de 2013, não conduzam o país à miséria com no passado aconteceu.
Boa noite e voltem sempre.
Obrigado
um abraço
Eduardo.

edumanes disse...

Corrijo as palavras: Visita, aquilo e como!Que estão incompletas!

Tony Madureira disse...

Sem comentários!

São disse...

Mas acabarão por deixar o Poder, PUMA. Só espero que antes de destruirem o país!

Abraço, amigo .

São disse...

EDUARDO, a minha raiz é toda do Baixo Alentejo e ainda hoje tenho lá família e amizades.

Minha mãe trabalhou no campo e sei perfeitamente o que se lá passou, até porque também vivi, por exemplo, em Ponte de Sor.

Só temos que lutar, sim, e sempre!

Bom feriado

São disse...

Não valia a pena a errat, que deu para perceber tudo o que escreveu.


Um dos melhores livros sobre a realidade alentejana, além dos de Manuel da Fonseca, é de Saramago"Levantado do Chão".

Tudo de bom

São disse...

Mas com luta!!

Bom feriado, TONY.

O Profeta disse...

São mudas as neblinas nesta ilha
É de pobreza o pão que alimenta o meu sentir
Oiço o mar com os meus próprios dedos
Parti do desencontro dos meus derradeiros medos

Parti e deixei no cais mil dúvidas
Lembrei tempos que corri feliz pelas amoras
Nesses dias bebi sofregamente a vida
Nesses dias a minha alegria era incontida

Um radioso fim de semana


Doce beijo

São disse...

Bom final de semana

lua prateada disse...

Quanta verdade e ainda escreveu pouca...onde vamos parar...? ninguém (nós ) faz nada e um só a quere e a fazer de nada adianta, somos um povo que chegou ao ponto de se deixar huilhar até ..nem sei onde por 12 pessoas que vivem MAIS QUE Á RICA...QUANTA VERGONHA e nada se faz...
Bjito prateado...

SOL

São disse...

Pois é, cara LUA, o povo português é demasiado manso e permite-se dar ao luxo de elefer vigaristas condenados em Tribunal.

Resultado: quem não se respeita, não se faz respeitar...e aqui temos o triste resultado.

Os políticos não são todos iguais, mas neste momento será indispensável que separem as águas os que estão do lado de quem está a ser completamente espezinhado.

Bom fim de semana.

Luis Eustáquio Soares disse...

e eis o carrasco do neoliberalismo,
são, filho dileto do carrasco do capitalismo, ambos, pai e filho, carrascos de toda alteridade, da latina, da africana, asiática, ibérica.
é preciso ir além do capital. um poema-mundo, pós-capitalista, todo nosso.
b
l

São disse...

Tem razão, meu amigo.

E como estamos em transição de ciclos planetários, a mudança ocorrerá de certeza!

Temos , porém, de ter consciência da necessidade de nos oprmos a estas criaturas ávidas de Poder!

Passe pelo "são" e recolha o Prémio dardos, porque o merece pal qualidade de escrita e coerência de pensamento.


Só não indiquei nomes, par não ferir ninguém

Nem haja!

Pérola disse...

Estamos entregues à bicharada.
Que nos resta fazer?

Beijinho

São disse...

Lutar!

Lutar como se lutou cobtra a ditadura!

Beijinho

O Profeta disse...

Cinco letras…
Cinco pontas de cadente perdida na aurora
Na loucura de alguns instantes escrevo
Descalço vou adiante num ir longe, embora

Solto das mãos murmúrios sussurrantes
Do basalto explode um bando de pombos bravos, alguns negros
Há um livro branco apenas com a palavra ausência
Há uma carta de marear para um rumo de mil segredos

Flores de solidão crescem em pedaços de fria lava
Um espantalho saltou-me do bolso a remexer
Uma sombra desceu a janela e tocou-me
Cerrei olhos para sentir o que não queria ver

Luminoso fim de semana


Doce beijo

São disse...

Mas não te importa a destruição deliberada do teu país?!

Bom fim de semana

Duarte disse...

Falta muito pessoal na fotografia, estes são os que dão este passo, mas já se está a gatear há muito!...
Aqui caminhamos na mesma direcção.
Um grande abraço e o desejo de melhores dias.

São disse...

Assim é, amigo.

A Europa está a ser deliberadamente desfeita, porque ninguém acudiu à Grécia atempadamente.

Abraço grande

António Jesus Batalha disse...

Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais,mas gostaria que não se sinta constrangido a seguir, mas faça-o apenas se desejar, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa encontrar o seu blog.
Deixo a minha benção e muita paz e saúde.

O Profeta disse...

Tacteei minha sombra caída
Os ramos de uma magnólia cedem ao vento
Ergui num deserto um castelo de raivas
Segui numa distância infinita ladrilhada de mágoas

Já não posso dar-te a mão, cheguei tarde
Entre ruinas procuro o sentido, a razão
Já não canto aos deuses, não rezo
Já esqueci o sabor do desprezo, não desprezo

Tracei um círculo de solidão
Ausente do meu nome está o chamamento
Jazem mudas as folhas de silêncio
Errantes brumas ao sabor do vento

Bom fim de semana


Doce beijo

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá,
Somos (des)governados por um grupo de interesseiro apoiados por aquele que destrui o nosso aparelho produtivo e destruía a economia quando foi primeiro ministro.

ag

Maria Luisa Adães disse...

Se trata, como diz, de uma descida aos Infernos e ficar por lá, vagueando no desespero e solidão
de quem nada tem!

Maria Luísa