.



DESAPARECIMENTO DE INGLESA-CRIME PERPETRADO POR HOMICIDA REINCIDENTE?

O desaparecimento da mulher inglesa na freguesia de Colares desde quinta-feira poderá estar relacionado com desavenças ligadas a terrenos.
No local, uma fonte da GNR admitiu a hipótese do desaparecimento estar relacionado com terrenos, uma vez que a mulher tinha comprado há uns anos uma parcela de terreno à família do suspeito para evitar a saída dos seus cães da propriedade.
Segundo a fonte da GNR, junto à residência da idosa, no Pinhal da Nazaré, ainda se pode observar uma "poça de sangue" e partículas de chumbo no portão que indiciam que poderá ter sido utilizada uma caçadeira.
A imprensa de hoje adianta que o suspeito é um homem que alegadamente também terá assassinado na quinta-feira o cunhado na localidade de Azenhas do Mar, concelho de Sintra.
Um morador disse à Lusa que o alegado homicida "esteve preso já há uns anos por ter morto um casal de idosos, não sendo por isso de estranhar esta situação".
Fonte: Sapo 20-08-2007
Em 22-08-07
A Polícia Judiciária (PJ) continua as buscas para encontrar o corpo da idosa inglesa desaparecida quinta-feira em Colares e para deter o seu alegado homicida. Terça-feira a PJ efectuou buscas por terra e mar, com o auxílio de equipas da Polícia Marítima e da Força Aérea para tentar encontrar o corpo da idosa britânica, alegadamente assassinada pelo mesmo homem que matou o cunhado na localidade de Azenhas do Mar, quinta-feira passada. O alegado homicida encontra-se a monte, utilizando presumivelmente uma carrinha Toyota Hiace de cor cinzenta.
Em 24-08-07
O alegado homicida de duas pessoas na localidade de Colares, Sintra, foi esta sexta-feira presente a tribunal que determinou que ficasse em prisão preventiva.
Na semana passada, o alegado homicida, um jardineiro de 47 anos, terá morto com tiros de caçadeira, o seu cunhado, na localidade de Azenhas do Mar, e posteriormente a sua vizinha, uma britânica de 67 anos, na localidade de Pinhal da Nazaré, Colares.
Quinta-feira, foi encontrado um corpo na localidade de Nafarros, que aguarda reconhecimento. Fonte policial disse à Lusa que «deverá mesmo ser a britânica».
Fonte: Portugal Diário 24-08-07

6 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

Seria necessário explicar como é que o fulano estava solto.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pois é exactamente por estar por explicar como é que o fulano estva solto que fiz esta postagem.

migvic disse...

Um dia, se quiser praticar um crime, quero ser julgado e condenado em Portugal.

Luisa disse...

Julgariamos que estes crimes por desavenças com terras eram coisas do princípio do sec. passado. Mas não: mesmo aqui junto à grande cidade, ainda acontecem crimes destes. Ou esse suspeito é um tarado que gosta de matar velhos?
Esta tua conta só permite comentários dos utilizadores do blogger. Esse que visitaste é um blog que nasceu para experiências. O meu blog principal é do Sapo, http:ecosdotempo.blogs.sapo.pt

Crítica&denúncia disse...

Meu amigo, este Blog traz um nome muito sugestivo para os tempos atuais e esta questão de terras temos no Brasil também. Sabes que um pedaço de qualquer coisa vale mais que vidas humanas. Abraço de Alda

NINHO DE CUCO disse...

Existe aqui uma falta clara de acompanhamento por técnicos sociais de forma a permitir a reinserção social do indivíduo e detectar se ele é ou não um perigo para a sociedade quando se dá o primeiro crime, ou seja, quando cumpriu pena pelo assassinio de 2 idosos. Ele continuou a ser um perigo e voltou a matar em contextos diferentes.