.



A VERDADE Á MEDIDA DOS INTERESSES DOS SENHORES DA BANCA?



Não é segredo para ninguém os lucros fabulosos da nossa Banca em tempo de crise. Aliás esses lucros são exactamente mais fabulosos porque existe a crise.

Lucros conseguidos, não raras vezes, à custa do sangue e das lágrimas de muitas famílias, que se vêm enroladas em créditos mais facilitados do que o aconselharia uma análise cuidada à taxa de esforço exigida ao cumprimento dos encargos. Lucros obtidos de forma lícita, mas não moral, sobrecarregando com taxas, acima da média dos países da UE, as operações com cartões Visa e Multibanco em estabelecimentos comerciais. Lucros obtidos com cobranças a particulares, a propósito de tudo e de nada, e que vão das taxas de manutenção a transferências, pagamentos e outros serviços que solicitamos, ou não solicitamos.


O Banco faz o que quer e lhe apetece com a postura de patrão, dono de bens e almas, a quem não basta a especulação dos mercados financeiros para saciar a sua sede de lucro.
E os governos aceitam, de forma complacente, passando a mão pela cabecinha destes novos donos do País, com os desvelos de pais extremosos que fecham os olhos às diatribes dos filhos.

A comunicação social, ao serviço de uns e sob a égide dos outros, trata de baralhar as notícias para que não se perceba bem do que se está a falar.

Um exemplo ilustrativo é o das anunciadas taxas por operações de levantamento em caixas Multibanco. Os Bancos pretendem sugar o dinheiro da população mais empobrecida, menos culta e mais fragilizada, que é quem mais usa o dinheiro vivo das magras pensões e dos parcos rendimentos de trabalho.

Para termos uma ideia da forma como se deitam cá para fora os rumores destas medidas, comparemos estas duas notícias recentes:

JN
MULTIBANCO PERMITE POUPANÇA DE MILHÕES”

“Os portugueses pouparam, em tempo, o equivalente a 86 milhões de euros num ano, ao fazerem operações bancárias nas caixas automáticas em vez de irem aos balcões, e os bancos economizaram 299,3 milhões de euros, conclui um estudo do Banco de Portugal.”

DN
SISTEMA DE PAGAMENTOS CUSTA 1138,7 MILHÕES
“Cada vez que um consumidor faz uma operação com um cartão Multibanco, o banco perde cinco cêntimos. É que cada transacção de débito tem um custo unitário de 23 cêntimos para a instituição financeira, enquanto apenas gera um proveito de 18 cêntimos. (…)
Os proveitos totais gerados por este sistema ascendem a 722 milhões de euros, o que se traduz num custo líquido para o sector de 416,7 milhões de euros. Por outras palavras, os proveitos só cobram 63,4% dos custos”.

Por aqui se vê como se agarra a notícia pelo ângulo conveniente. E como o nosso Estado permite que circulem notícias contraditórias sobre o mesmo assunto, e com base no mesmo relatório, sem pedir contas a ninguém pelas inverdades.

Consulte aqui e veja como é.


http://dn.sapo.pt/2007/12/13/economia/multibanco_custa_cinco_centimos_oper.html


Jornal de Notícias - Multibanco permite poupança de "milhões"

37 comentários:

Smile disse...

Como sempre as verdades escritas de uma forma clara e objectiva... Os meus parabéns *** :-)

Aproveito tambéms para te informar que há uma blogagem colectiva que se realiza amanhã, dia 17, em prol da menina Flávia (passa no meu blog e vê)

Joseph disse...

Sim, senhor, esta está muito boa. Afinal os levantamentos nas caixas multibanco são lucro ou prejuízo? O que está em causa não é saber se dão lucro ou prejuízo ma ssim sacar mais ao utilizador. Há muitos Jardins Gonçalves a precisarem de ajuda!

Boris disse...

Que porra esta, desculpa lá. Mais taxas para dar de comer aos bancos? A noticia está muito bem documentada mas se não se fizer nada eles vão-nos f...... cada vez mais. Desculpa lá mas eu hoje estou malcriado. Isto revolta-me, porra. São sempre os mesmos!

Paulo Vilmar disse...

Silêncio!
OS Bancos nunca perdem! Mas, sempre, em todo o mundo, vão sempre querer mais~. Aqui, paga-se altas taxas, só para manter uma conta bancária. Eles, os Bancos, nunca tiveram tanto lucro quanto agora, neste mundo globalizado, onde existe, de um lado os grandes conglomerados e do outro, nós.
Belíssimo texto, estimo melhoras aos teus.
Beijos,

Maria Clarinda disse...

POIS!!!!!!!!!

ALEX disse...

É assim que esses senhores funcionam e .... quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão. Mas eu acredito que, a caminharmos a toda a velocidade para sermos sugados até ao tutano, enquanto esses senhores se riem do alto dos seus impérios, estamos à beira de uma revolta popular que poderá conduzir a uma ditadura. Não é isso que desejo mas seria conveniente que quem nos governa veja bem o que está a fazer.

Tiago R Cardoso disse...

Como sempre as coisas podem ser vistas de diferentes ângulos dependendo da posição onde estamos.
Neste caso o que eu vejo são os lucros, mesmo sendo necessário os bancos, penso que lucros daqueles acabam por ser um afronta ao povo.

C.Coelho disse...

Os lucros da Banca são escandalosos mas mais escandalosa ainda é a lei que lhes permite tomar benefícios que estão na linha divisória do lícito.Os Bancos tornaram-se autênticos vampiros e, há muito, que andam a estudar essa taxa de levantamento nas caixas multibanco. Nada lhes chega. Vivem do sangue e do suor dos pobres e oferecem as oportunidades aos ricos.

Louise disse...

Estas duas noticias dos links são o máximo porque foram produzidas na mesma altura e dão versões opostos do mesmo assunto. Considero que ambas estão certas e que, pesados os custos e os benefícios, não têm que ser aplicadas taxas aos levantamentos. Como muito bem referiste essas taxas sobrecarregan os mais pobres e, sobretudo os idosos que pagam tudo em dinheiro e que trazem os magros cobres das pensões todos para casa.

quintarantino disse...

Eles, já agora, mais valia ficarem-nos com o dinheiro todo.. ops... já ficam!!!

JOY disse...

Obviamente que estamos parante contra informação,por cada noticia que surge acerca da poupança que o banco faz com a adoção de qualquer mediada que faz aumentar os lucros logo surge outra a dizer que essa mesma medida tem determinado custo regra geral superior ao lucro gerado ,logo pergunta-se se é verdade como é possivel a apresntação destes lucros fabulosos que vão ajudar a que as acções subam.Os bancos portam-se como autenticos vampiros e é lamentavel que o governo seja conivente com esta situação e várias outras situações como a do BCP por exemplo.
Excelente alerta este texto.

JOY

Dalaila disse...

pagaremos qualquer dia até o própio dinheiro que temos na mão

Sofia disse...

Esses não sabem o que é espírito natalício. Só dão um chouriço a quem lá deixar um porco.

Capitão Merda disse...

Apetece-me dizer que a banca é um dos grandes cancros das democracias!

António de Almeida disse...

-O problema dos bancos é quando cartelizam as prácticas, se existir concorrência entre eles o consumidor sai a ganhar. Mas fazem o que querem, será verdade em grande parte, mas não totalmente, se colocarem taxas na utilização do multibanco, sempre que possivel passarei a visitar o balcão, há uns dias escrevi, enviaram-me um cheque de 10 mil Euros para casa, era naturalmente um crédito ao consumo, com taxa elevada, o qual naturalmente rasguei de imediato, acontece que sei exactamente o valor das anuidades dos meus cartões, das taxas de juro, spreads e demais produtos, tenho visto muita informação publicada em revistas, jornais, mas apenas 17% dos portugueses, segundo notícia recente da A.F. têm conhecimento dos custos que eles proprios pagam! Os lucros dos bancos podem até ser obscenos, as suas prácticas menos claras, por vezes até eticamente questionaveis, mas os portugueses são também muito culpados pela situação.

ruy disse...

A comunicação está ao serviço da mesma causa. As oligarquias financeiras controlam os bancos e naturalmente os meios de comunicaçaõ social.
abraço,
ruy

Sheila disse...

É uma autêntico escandalo o que se passa com as instituições bancárias. E a comunicação que lhes serve.E o marketing com que nos enganam. Um governo a sério tinha que pôr regras nisto.

M.M.MENDONÇA disse...

Há só um único responsável por esta situação: o governo que se está marimbando nas dificuldades do Zé Povinho. Um governo da mentira e do faz de conta que está a dar continuidade às políticas dos antecessores de forma ainda mais agravada.
E isto acontece porque nós deixamos.

René disse...

Temos que pôr fim a esta política de trapacice e do arrasa tudo. Há pessoas com imensas dificuldades em Portugal. As ruas enchem-se de pedintes nestas capitais onde se acumula a miséria e se morre incógnito. E enquanto isso nós vamos alimentando Jardins Gonçalves e abdicando do essencial para que outros estejam cada vez mais ricos.

GIL disse...

Apesar de eu ser socialista e votar PS concordo com tudo o que aqui é exposto em relação aos Bancos. Entendo que o Estado deve actuar no sentido de travar abusos especulativos e algo ilegítimos.

NINHO DE CUCO disse...

Subscrevo inteiramente o comentário do Joy se ele me permitir. Se os Bancos acumulam lucros é porque o sistema o permite. Ainda querem mais?

NÓMADA disse...

Oito milhões de lucros diários não chegam aos nossos banqueiros. Ainda querem mais e hão-de querer sempre mais enquanto os deixarem.

Carol disse...

Eles roubam e a culpa é nossa...?! Se calhar, até é! Bora lá sacar o dinheiro do banco e enf~´a-lo debaixo do colchão!

Com a "confissão" que deixaste no meu espaço é que eu não contava... Parece que tenho que modificar qualquer coisa no nome do meu blogue...

avelaneiraflorida disse...

Silêncio Culpado/ Lídia

E quantos mais lucros não vemos passar à nossa frente todos os dias...da forma mais ilicita????

Onde ficam os sentimentos??? Onde fica o ser-se humano?????

cada vez mais este mundo materialista me pesa...
Que a tua voz continue a erguer-se!!! Nós aqui estaremos TAMBÈM!!!

7 Pecados Mortais disse...

Já passei por lá (Banca) como trabalhador e sei que estes senhores têm sempre lucro. Podem é dizer e noticiar cá para fora, é que os lucros, são menores, só que a notícia é dada com uma informação deturpada da verdade, ou seja, o banco teve prejuízo, isto é claro, não passa de uma mentira ou falsidade de um verdade mais que constatada. Cada ATM (Multibanco) dá lucro aos bancos quer na poupança de idas de clientes aos balcões que "roubam" tempo ao banco, que por sua vez não está a fazer render o seu dinheiro com propostas de crédito. As ATMS sempre foram dados contabilizados nos lucros dos balcões e respectivamente para o Banco em geral. Já no meu tempo, os Bancos se faziam anunciar que iriam cobrar uma taxa ao cliente por utilizar a ATM. Não foi para avante na altura, por discordância de algumas entidades bancárias, mas temo que irá surgir. Quando surgir, voltam todos a ir aos balcões, fazer perder o tal tempo que os Bancos tanto reclamam a si próprios como um objectivo de aumentar os lucros. Só que desta vez, tudo estará preparado, pois o Banco vai cobrar aos clientes (já o faz) todas as operações feitas ao balcão. Portanto, vai haver uma fase em que o Banco vai "perder" o seu tempo, mas logo o vai retomar, pois a taxa aplicada na ATM será sempre mais baixa do que a aplicada no Balcão. Assim, o cliente tem duas opções, é pôr o pouco dinheiro que tem debaixo do colchão ou aumentar os lucros ao Banco. Esta situação, por outro lado, vai fazer com que o Banco se "livre" dos cliente não desejados, assim como eles referem, para aqueles que têm sempre pouco dinheiro nas suas contas. Ficarão os capitalistas que por ventura estarão excluidos destas taxas, porque aos Bancos lhes convém e o pobre continuará a pagar o aumento do lucro destes senhores. Noutra prespectiva, quem tem Crédito Habitação e outros financiamentos, irá também pagar estas despesas. Irá faze-lo porque não tem outra solução. Poderá mudar de Banco, mas temo, como referi, que toda a Banca passará a usar esta política, mais cedo ou mais tarde, não havendo assim, hipótese de evitar mais um aumento da riqueza de aqueles senhores, que transmitem a ideia ridícula que têm tido prejuízo. Haja paciência para tanta incompetência. O estado permite estas situações e funciona como eles, taxas, impostos, que favorecem sempre os mais protegidos e não os que são pobre e tentam sobreviver...Haja paciência...

Cati disse...

Os lucros dos bancos são uma vergonha... já cheguei a equacionar não ter dinheiro no banco, mas é irreal... e eles aproveitam-se disso!!!

Quanto aos multibancos... eu confesso que já não consigo viver sem o multibanco, mas colocaste aqui uma pergunta pertinente: saímos a perder ou a ganhar?

Um beijo grande!

PS - desculpa a ausência... demasiado trabalho!

Compadre Alentejano disse...

Estou convencido que se o Multibanco não desse lucro para os bancos, eles jamais teriam tido o sucesso que tiveram.
Eles são como o TYio Patinhas, só vêem cifrões...
Saudações
Compadre Alentejano

O Guardião disse...

Eles só não sacam mais porque não podem. O multibanco dá imenso lucro, basta ver quantos postos de trabalho destruiram, quanto poupam em salários e em descontos para a Segurança Social. A comunicação social neste, como noutros assuntos, segue a voz do dono.
Cumps

Marreta disse...

Banca e Seguros são os meus ódios de estimação, juntamente com as oficinas automóvel.
É triste, mas até ao presente não posso dizer que tenha encontrado um banco ou uma seguradora sério e respeitador para com o cliente (neste caso eu).
O banco privado menos mau foi absorvido há algum tempo pelos senhores cor-de-rosa. Actualmente o menos prejudicial à saúde do desgraçadinho parece-me que é a CGD.
Todo e qualquer motivo é bom para tentar sacar comissões e taxas sobre qualquer serviço por mais insignificante que seja.
O marketing destas entidades é simplesmente selvagem, só faltando entrarem pela porta de casa adentro com uma mala de dinheiro para oferecer.
O cliente na maior parte das vezes é tratado com indeferência e arrogância como se o dinheiro que lá está depositado nos cofres, estivesse por esmola ou fosse mesmo deles.
Quando emprestam dinheiro impõem uma série de exigências que quem pretende o crédito não tem hipóteses de contornar.
Até mesmo dentro da mesma instituição bancária a selvajaria existe com os vários balcões a gladiarem-se entre si para ver quem consegue esmifrar mais o zé.
Um triste cenário que tem sujeitado diversas famílias (também por culpa destas) ao endividamento compulsivo e enchido os bolsos já bem recheados destas entidades que somam lucros astronómicos ano após ano.
Saudações do Marreta.

Alice Matos disse...

Olá...

Obrigada pelo teu comentário...

Convido-te a trazer o selo que fiz em homenagem à Flávia e que ainda não tinha postado quando me visitaste.

Beijinho

andre wernner disse...

É verdade e essa ferida sangra e dói muito no cidadão que se deixou levar pela ilusão de bons negócios. Bons negócios para os senhores banqueiros, obviamente.

No Brasil de hoje não é diferente. Segundo recente pesquisa, é a modalidade de negócio de melhor remuneração na atualidade. Mas, a bem da verdade, sempre foi. Tanto é que pôr muito tempo se dizia que o Brasil “era o país dos banqueiros”, tal o número de bancos em atividade e também os lucros fabulosos.

Como você bem disse, o lucro dos bancos é lícito. Porém, é imoral! Mas, contra esses abusos nada se pode fazer. Os banqueiros têm ás leis a seu favor e às benesses do Poder!

Enquanto povo... Bem, o povo espera pôr eternos dias melhores e que sabemos, de antemão, jamais virão. Banqueiros e políticos se defendem. É lamentável, mas é a grande verdade.
Abs

Sol da meia noite disse...

Costuma-se dizer que o mal de uns é o bem de outros...
Talvez aqui se aplique.

Gostei das palavras deixadas no meu cantinho. Fizeram-me pensar. Obrigada.

Beijinhos

Laurentina disse...

Autenticas sanguesugas do povo autorisados pelo poder instituido.
A mim isto dá-me um raiva...

beijão grande

martelo disse...

tal como as guerras criam grandes fortunas tambem a banca se serve das vítimas, daí que os considere absolutamente desprezíveis... são miseráveis em muitas situações!
bjo para a "Lídia"...

PiresF disse...

A questão da taxa por operação em terminal, começou a ser falada à mais de 1 ano, entretanto correram petições na blogosfera que depois foram noticia nos jornais e, pelo que sei, os bancos voltaram atrás.
Quanto à noticia, aliás, noticias, não restam dúvidas que depende sempre da visão de quem escreve ou de quem paga para que se escreva o que interessa. No caso do DN, basta não ter em conta os números de postos de trabalho que os bancos reduziram, para inflacionar os números.

O Puma disse...

E logo hoje

o chefe anunciou um salário mínimo

de miséria.

é preciso abrir os olhos.

C Valente disse...

Na ceia de Natal ergo a minha taça começando por agradecer as vossas carinhosas palavras, de a amizade e compreensão e estimulo, que me tem proporcionado ao longo deste tempo.
Há meia noite ao brindar aos presentes , faço um brinde a todos os meus amigos e amigas deste mundo virtual com votos de saúde e paz.
Saudações amigas C valente