.



SER DIFERENTE

A natureza e Deus, para quem acredita, deram, a cada ser humano, diferentes características e diferentes oportunidades.
A sociedade dos homens determinou quais as características que deverão ser valorizadas segundo determinados padrões a que deverão obedecer. Serão esses padrões justos? Serão esses padrões imutáveis?
Naturalmente que não. Ser diferente não é uma inferioridade mesmo quando a natureza impede que cumpra comportamentos comuns. Quem não tem uma zona de interdições no seu código genético?
Mas ser diferente pode significar a superação do ser humano no seu mais sublime transcendente. Este vídeo, oferta dos meus amigos Luiz Santilli e São Banza, mostra-nos, de forma tocante, a capacidade de desafiar os limites mesmo quando se sofre duma incapacitação que, aparentemente nos limita.
Que este vídeo sirva para que todos comecemos a olhar a diferença como uma potencialidade de enriquecimento do património humano com contributos de distintividade e de elevação.

83 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

Dando continuidade ao tema a "Igualdade de Oportunidades", o Silêncio Culpado vai dar início à apresentação de todo um conjunto de situações que, pela sua especificidade, colocam as pessoas em situação de desvantagem. E vai mostrar que há mais vida para além da diferença.

Por vezes uma vida mais rica que aquela que desfrutam muitos dos que se inserem nos padrões normais.

A capacidade de superação, nas pessoas portadoras de incapacitação, poderá ser notável como nos mostra este magnífico vídeo.

Porém só através da igualdade de oportunidades os diferentes poderão demonstrar o seu valor.

Se os excluirmos à partida, admitindo a sua inferiorização, nunca teremos pessoas que desafiem os seus limites.

Teremos, sim, seres estigmatizados e frustrados que contribuem para uma sociedade doente e não para a sua elevação.

Apoiar as pessoas diferentes, e conceder-lhe iguais oportunidades, é contribuirmos para o nosso desenvolvimento e maturidade como seres humanos.

Um abraço a todos

Zé do Cão disse...

é emocionante para nós.
e foi emocionante para os espectadores.
Coisa linda e só demonstra que a vida é bela.

Raul disse...

Vi pessoas com lágrimas nos olhos a assistirem ao bailado.
Lembrei-me dos portadores de alguma incapacidade em Portugal, e muito em especial os atletas para-olimpicos portugueses,que têm ganho imensas medalhas e do apoio que o estado não lhes dá. Entretanto gastam-se milhões em estádios de futebol e até nos damos ao luxo de oferecer um estádio novinho em folha à Jordânia. O comité olimpico tenta arranjar os minimos para que atletas portugueses possam lá estar e salvo uma outra excepções medalhas quase nada. Tenham vergonha senhores governantes ou melhor "senhores governados",porque o poder que têm serve para se governarem a vós mesmos e aos vossos amigos ou familiares.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Zé do Cão
A vida vale sempre a pena mas, para isso, é preciso acreditar e para que acreditemos é necessário que a sociedade e as instituições nos incutam força ao invés de discriminarem.

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Raul

Fiquei com as tuas palavras a martelarem-me aos ouvidos quando, ao telefone, me disseste: será que em Portugal alguém aceitaria, numa academia de dança, um canditado com uma deficiência de locomoção ainda que ligeira?

Claro que a resposta é não.

Porém uma pessoa sem uma perna é capaz de aprender a dançar duma forma tão maravilhosa e mostrar ao mundo que a perfeição existe quando, dentro de nós, temos força para a procurarmos.

Subscrevo a tua revolta relativamente às opções e aos constrangimentos deste País.

Um abraço

Carla disse...

que as verdades nunca sejam escondidas, só porque não são agradáveis à vista

Isabel-F. disse...

Já conhecia este vídeo ...

é simplesmente impressioanante ... uma verdadeira lição de vida.

bjs

ABEL MARQUES disse...

Silêncio/Lídia

Este vídeo comove e transporta-nos até ao infinito onde tudo é possível.

Demonstra também que os estigmas não se justificam

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Carla
As verdades quando não são agradáveis, mesmo que não sejam escondidas, são silenciadas.

Cabe a cada um de nós romper esse silêncio.

Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Isabel
É realmente impressionante e uma autêntica lição de vida. É das coisas mais belas que eu jamais vi.
Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Abel Marques

Os estigmas são subdesenvolvimento e menoridade mental.

São também a vergonha, de quem tem vergonha, perante o aproveitamento das diferenças na exploração das desigualdades.

Um abraço

António de Almeida disse...

-Já conhecia estas imagens, curiosamente quando as vi não lhes prestei a merecida atenção, mas é de louvar a arte e engenho que o ser humano arranja para ultrapassar as dificuldades.

DS disse...

Infelizmente não consegui ver o vídeo, tentarei mais tarde. Mas concordo com o que dizes, a diferença é uma riqueza tão grande, que os homens, por serem ainda tão pequenos, não a conseguem vislumbrar.
Bjos!

C.Coelho disse...

Silêncio

Este vídeo é sublime. Ao vê-lo compreendi a força e a mensagem em toda a sua plenitude.

Se um bailarino consegue, sem uma perna, dançar com tanta beleza, arrojo e equilíbrio, é porque é sempre possível ultrapassar o que nos diminui e voarmos em direcção à perfeição e ao sublime.

Apoiemos todas as pessoas com deficiência porque essa deficiência não é uma limitação se for transformada.

Lindo, post, Silêncio.

SILÊNCIO CULPADO disse...

António Almeida
Arte e engenho e uma criatividade divinal.
Um abraço

luma disse...

E mesmo sabendo de toda essa incapacitação e não esmorecendo diante de tal bloqueio vemos pessoas sairem-se melhores que outras, ditas normais e essas "normais" aos cantos reclamando de sua condição. É exemplo de vida, exemplo de determinação, superação, tudo!! Boa semana! Beijus

SILÊNCIO CULPADO disse...

DS
Este vídeo é lindissímo. Quem não o vê fica mais pobre. Se não conseguires diz-me e eu mando-to por mail.

Beijinhos

SILÊNCIO CULPADO disse...

Luna
É sublime, sim e dá-nos forças para acreditar, lutar e ajudar no sentido de que todos se realizem como seres humanos.
Um beijinho

SILÊNCIO CULPADO disse...

LUMA
É verdade tudo isso. E, assim, junto minha voz à tua para fazer ouvir os que ficam em desvantagem ou são injustiçados.
Um beijo

Mário Relvas disse...

Silenciosamente...

Um vídeo que já conhecia e que é sempre uma alegria ver de novo.

A deficiência está tão próxima de todos nós que só um ceguinho da vida não pensa que ao cair da escada, ou no "banheiro", poderá ficar assim.

Depois há a deficiência que não tem amputações visíveis...

Mas na sequência de um comentário no "Aromas" te digo que o importante é saber viver com esta situação. O meu blog pretende desmistificar o autismo.Pretende que pais, educadores e MÉDICOS em geral se debrucem um pouco sobre a realidade do autismo e suas diversas perturbações, deixando de lado a pequena teoria que lhes transmitiram, ou ouviram...
É no contacto directo, sem fatalismos, que progredimos.É nas partilhas entre pais, ,familiares, profissionais da área que podemos crescer e de mãos dadas arrepiar caminho!

De resto, também espero que algum dos "acessores" de quem de direito conheça um pouco mais antes de desbaratar dinheiro sem objectivos primordiais.

Os comprimidinhos, as pastilhas pouco ou nada ajudam em determinados casos.

Saudações e um sorriso

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mário Relvas

Eu quero ajudar a desmistificar o autismo porque acredito nas valências das pessoas diferentes. Quero dedicar-me a este tema para o qual terás que me ajudar e ter alguma paciência com a minha ignorância.

Um abraço

Louise disse...

É bom olhar e ver fluir a oportunidade de chegar mais longe, sempre mais longe, sem medo das limitações.

Este vídeo, duma beleza avassaladora, diz-nos que tudo é possível. Assim existam condições.

Compadre Alentejano disse...

É um vídeo fantástico. Prova que, quando o deficiente quer, a sua deficiência é ultrapassável.
Conheço um amigo, amputado de um braço que,em pequeno, quando se metiam com ele, costumava dizer: o meu defeito está à vista, agora o teu, deve estar na cabeça...
Um abraço
Compadre Alentejano

O Guardião disse...

Conhecia o víceo, mas vi-o mais uma vez pela sua inegável qualidade e pelo belo exemplo que ele representa. Também continuo a ler sobre os idosos, e o texto anterior, de alguém mais velho do que eu, mostra bem que "velhos são os trapos". Quem me dera encarar a vida assim, daqui a uns anos.
Cumps

AJB - martelo disse...

não digam que se pode "amputar" a arte...ela existe na vocação.

Michael disse...

É duma sensibilidade atroz este vídeo.

Ninguém é perfeito em tudo e há imperfeições maiores que outras e nem sempre as que são mais evidentes são mesmo as maiores.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Louise
Ainda bem que assim entendes porque nós podemos sempre ir mais longe quando nos são dadas oportunidades.
É a falta de oportunidades que nos castra e não as condições aparentemente limitativas.

Menina do Rio disse...

Tocante! eu fiquei embasbacada...Tenho que admitir que ele é realmente diferente, mas de uma diferença superior.Não há limites para o ser humanos, a não ser os limites que ele próprio cria. maravilhoso!

Querida, deixo-te um beijo e o meu carinho. Obrigada por estares em minha vida!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Compadre Alentejano
A deficiência é ultrapassável e, por vezes, surgem valências que se situam acima das capacidades normais mas têm que ser criadas condições para que essas valências se revelem.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Guardião
Nem idosos, nem incapacitações nos devem impedir de viver descobrindo e contribuindo para a sociedade humana.
Há que criar condições para que todos tenham acesso à vida e para que todos contribuam de forma positiva para o todo.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Martelo
A alma não se amputa.
bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Michael

Há imperfeições visíveis e outras não tanto mas por vezes bem maiores.

bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Menina do Rio

Eu também achei tocante e fiquei embasbacada a primeira vez que vi o vídeo.

Ele é superior apesar da diferença.

Beijinhos

Divinius disse...

Todos os dias se abrem e fecham barreiras era bom que se abrissem sempre mas existe algo que nos limita é a incapacidade de deixar de acreditar que se pode mudar muita coisa,mudar o todo talvez seja utopia e digo talvez porque quem tem muitas certezas mais erra...
O universo nunca dá certeza de nada porque a lógica nem sempre impera...
A realidade é sempre a de cada um...
A vida é de todos...
(Talvez até isso nem sempre)
Abraço grande*

SILÊNCIO CULPADO disse...

DIVINIUS
O que nos limita é efectivamente a incapacidade de acreditar que se pode mudar muita coisa. Por isso têm que nos ser dadas condições para que acreditemos.

Abraço grande

G.BRITO disse...

Silêncio
Ora bem, aqui temos um tema que também tem muito que se lhe diga.
Começo por pôr a questão do que é ser diferente. Não ter uma perna? Ser mudo? E quem tem pernas e não consegue correr? E quem não é mudo mas não consegue expressar-se? Também é diferente? E quem é um génio?
Porque é que as escolas só estão preparadas para a padronização segundo conceitos que até podem não ser os mais correctos?
Quanto ao vídeo já o conhecia e gostei de o rever.
Abraço

Olhos de mel disse...

Embora sejamos seres da mesma espécie, temos nossas individualidades, mas cada ser traz sua beleza, sua riqueza de caráter, sua força e sua gloria no expressar, no sentir, no sonhar... ainda que tenhamos algumas dificuldades, temos vida e somos filhos do mesmo Pai.
Uma verdadeira lição de vida!
Beijos

Kalinka disse...

Boa Noite

Belo tema - ser diferente!!!
Parabéns pela ideia.

Queres espreitar mais umas fotos minhas? Então, vem! Aproveita e vê quais as 12 palavras que escolhi; acho que são 12 palavras que "mostram" um pouco do meu "sentir"...

Pelo kalinka, recebi mais um «miminho», felizmente sou muito mimada por todos vocês.
Beijinhos.

SILÊNCIO CULPADO disse...

B.BRITO
É diferente tudo o que não se enquadra na norma. O homem foi feito para falar e ter duas pernas. Claro que há muitas outras diferenças. Como dizia George Orwell todos os animais são iguais mas há uns mais iguais que outros.
A sociedade valoriza aqueles a quem atribui características de inteligência e beleza, segundo a norma.
É discutível? Pois é! É exactamente por ser discutível que estamos a discutir e a tentar perceber se com todos esses limites que se atribuem ao ser humano ele não é capaz de os ultrapassar em certas circunstâncias. As experiências indicam que sim. Nem todas as vezes mas em vezes suficientes para justificarem que se invista em apoios especiais nomeadamente a nível da escola.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

OLHOS DE MEL
Nós temos a snossas individualidades e também as nossas limitações mesmo quando nos enquadramos na norma. E há quem não se enquadre na norma e as supere.
bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Kalinka
Seja bem vinda à discussão.
Já fui ver e comentar o seu post.

Obrigada

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Para complementar o assunto, gostaria de lembrar que a superação dos artistas não se deu por obra dos Céus!
Foi fruto de um trabalho incansável de preparação e de sublimação das potencialidades de cada um dos dois.
As pessoas pensam que ficar de joelhos rezando vai resolver as agruras do dia a dia!
O vídeo trás também essa mensagem,
de que cada um deve lutar com suas próprias forças e energia que a vida lhes deu, para a superação de suas dificuldades e não simplesmente esperar que as coisas aconteçam por milagre!
As bengalas só são úteis para quem sabe usá-las!
Luiz Santilli Jr.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Santilli
Claro que todos, per si, têm que lutar por essa superação e que, sem isso, jamais a conseguirão. Porém aqui em Portugal, e suponho que no Brasil, que academia de dança aceitaria uma pessoa sem uma perna? Como pode alguém lutar num ambiente hostil e sem uma mão que se lhe estenda?
Quantas potencialidades ficarão, por isso, perdidas?
Querer é poder, mas será que chega?
Sei dum caso de uma rapariga portuguesa, com uma lesão cerebral grave, que tem ganho prémios internacionais de equitação e tudo isto porque um empresário português lhe ofereceu um puro sangue e um picadeiro para treinar, ao conhecer o seu gosto por cavalos.
Claro que ela tinha a tal força necessária à superação mas, sem essa ajuda, a força teria sido inútil.
Um abraço

M.M.MENDONÇA disse...

O vídeo deixou-me boquiaberto com a capacidade de superação que atingiu a genialidade contra todas as previsões e circunstâncias.
Todos nós temos potencialidades a serem desenvolvidas uma vez identificadas e uma vez motivados para o fazermos.
Dificilmente alguém sozinho rompe as suas cadeias e se lança na aventura duma aprendizagem sem limites se não tiver condições.
Até mesmo uma pessoa dita normal terá dificuldade se, não impossibilidade, para o fazer.
Claro que se não houver vontade individual por mais que se malhe nada se consegue mas essa vontade também tem que ser desperta e apoiada.

São disse...

Minha querida, dois agradecimentos: o primeiro a nosso caro Luiz Santilli por me ter dado a conhecer este exemplo de coragem e perseverança, o outro a ti pela tua sensibilidade e por o teres colocado à disposição de toda a gente!
Bem hajas, Lídia!!

Joseph disse...

Este vídeo merece realmente ser visto. É simplesmente espantoso e demonstra que é sempre possível ir mais além mesmo quando tudo indica que estamos em desvantagem.

Gui disse...

Penso que sobre este bailado não é preciso dizer nada. Penso que não é caso para nos deixar emocionados mas sim maravilhados. O homem tem muita força...se quiser. Um beijo.

Belzebu disse...

Tenho dificuldade em encontrar as palavras certas para comentar este vídeo. Ele prova que a diferença, está só no nosso olhar!

Aquele abraço infernal!

Sheila disse...

Fiquei com um nó na garganta ao ver este vídeo que desafia a nossa imaginação.
A beleza e a magnitude provam que afinal, como tu dizes, ser diferente não é ser inferior.

Bjinhos

SILÊNCIO CULPADO disse...

M.M.MENDONÇA
Meu amigo, eu também fiquei estupefacta com esta actuação.
Realmente, e como tu dizes, há aquela máxima revolucionária que afirma:"Tu sozinho não és nada juntos temos o mundo na mão". Porém, e como diz Santilli, se nada fizermos para essa superação ela não acontece por si só.
Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

SÃO
Gosto em ver-te amiga. Realmente o nosso Santilli é excelente e proporcionou-nos algo que podemos partilhar com os outros e que é uma enorme lição de vida.

Bjinhos

SILÊNCIO CULPADO disse...

JOSEPH
As desvantagens podem transformar-se em mais valias. Assim haja força interior.

Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

GUI, meu conterrâneo

Realmente o homem tem muita força e é uma maravilha.
Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Belzebu
A diferença existe maso olhar que a detecta não a pode remeter ao estigma e ao preconceito.

Diferente também quer dizer superior.

Bjs

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sheila
Pois é. Ser diferente não é ser inferior mas, frequentemente, funciona como se fosse.
Temso que mudar essas formas d eolhar.

Bjs

Boris disse...

Silêncio, minha blogueira
grande maravilha é esta
este bailado é uma festa
por ser dançado à maneira.

Que importa que este bailarino
não tenha uma perna p´ra dançar
se ele conseguiu se superar
e contradizer o seu destino?

René disse...

Verdadeiramente fenomenal.

Não tenho palavras.


Uma pessoa é superior quando é mesmo que a natureza ou a vida lhe roubem uma parte de si.

Um abraço

Budas disse...

Queria avisar que deixei de escrever no meu blog posso ir a oytros blogs fazer comentários mas ja não vou mais escrever no meublog


budas

amigona avó e a neta princesa disse...

Minha querida Lídia ontem ainda tentei estar aqui mas a net embirrou comigo! Hoje estou de passagem para deixar um abraço. Amanhã é dia 6 e tenho um dia difícil...logo que possa venho comentar. Como sabes fui professora durante VÁRIOS anos de pessoas "diferentes": crianças e adultos. Sabes que não me lembro deles por isso, mas sim pela sua ENORME dedicação à vida e extrema generosidade? Aprendi muito com eles e fizeram-me, seguramente, um ser humano melhor...beijos amiga...

René disse...

Este vídeo é um vídeo da esperança de que exista um amanhã em que se possa superar as nossas insuficiências e ascender à perfeição.
É um bailado perfeito num ambiente mágico onde a diferença se transforma em amor e em entrega.
Não sei que mais dizer de tão maravilhado que estou.
Abraço

Rafeiro Perfumado disse...

A diferença está toda na forma como encaramos as particularidades de cada um... Beijo.

Carminda Pinho disse...

Este vídeo é emocionante, Lídia.
Mostra que tudo é possível desde que a vontade seja imensa.
Obrigada.

Beijos

Marreta disse...

Fabuloso e genial, são os adjectivos que me ocorrem no momento. E ainda por cima vindo de um país como a China.
Saudações do Marreta.

Mário Relvas disse...

Silêncio,

a grande deficiência da humanidade é considerar os outros deficientes.
Poque não diferentes e complementares.Seres únicos que nos merecem dedicação total.Recebemos deles a mais alta recompensa: o AMOR!
-----------
O Autismo não é um apêndice

O autismo não é algo que uma pessoa tenha, ou uma concha na qual ela esteja presa. Não há nenhuma criança normal escondida por trás do Autismo. O Autismo é um jeito de ser, é pervasivo, colore toda experiência, toda sensação, percepção, pensamento, emoção e encontro, todos os aspectos da existência. Não é possível separar o Autismo da pessoa. E se o fosse, a pessoa que você deixaria não seria a mesma com a qual você começou.
Isto é importante, então tire um momento para considerar que : Autismo é um jeito de ser. Não é possível separar a pessoa do Autismo .

Por conseguinte, quando os pais dizem:

"Gostaria que meu filho não tivesse Autismo"
O que eles realmente estão dizendo é:
Gostaria que meu filho autista não existisse, e eu tivesse uma criança diferente em seu lugar"

Leia isto novamente. Isto é o que ouvimos quando vocês lamentam por nossa existência. É o que percebemos quando vocês nos falam de suas mais tenras esperanças e sonhos para nós: que seu maior desejo é que, um dia, nós deixemos de ser, e os estranhos que vocês possam amar vão surgir detrás de nossas .
(...)

Se esta busca te excita, então nos acompanhe, na resistência e na determinação, na esperança e na alegria. A aventura de uma vida está toda diante de você .

Português do Brasil
Fonte: Eduardo Henrique Corrêa da Silva

saudações e um sorriso

Mário Relvas disse...

E surgiu um Movimento do Orgulho Autista:

Movimento diz que autismo não é doença

Problemas de comunicação. Comprometimento da sociabilidade. Alterações comportamentais. Essas são as três principais bases para identificar uma pessoa com autismo - síndrome descrita nos anos 40 que pode se manifestar de formas severas, em que a pessoa parece totalmente alheia ao que se passa ao seu redor, a níveis brandos. Mas e se essas características não constituírem um problema, e sim uma forma diferente de pensar, tão válida quanto qualquer outra?

Como eu dizia no comentário anterior, ser diferente, olhar o mundo de outra forma, não implica ser-se deficiente e coitadinho.

Coitados daqueles que se julgam perfeitos.

saudações e um sorriso

PiresF disse...

Confesso que já vi este vídeo algumas vezes e sempre o revejo com um misto de satisfação e apreensão. Na verdade, os humanos, são capazes das coisas mais extraordinárias, infelizmente, nem sempre boas.
Gostei da mensagem que deixas como preambulo.

Abraço.

SILÊNCIO CULPADO disse...

BORIS
Gosto de te ter por aqui com as tuas quadras que, de forma pragmática, dizem tudo o que há a dizer.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

René
Também senti a superioridade implícita na diferença.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

BUDAS
Não te conhecia mas tenho todo o gosto que me visites. E já agora, que leias os comentários e dês a tua opinião.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

AMIGONA
Espero que corra tudo bem contigo e que a net não te pregue mais partidas. Preciso da tua solidariedade para os debates que se vão seguir.

Um beijinho, amiga

SILÊNCIO CULPADO disse...

René
Estás mesmo maravilhado para voltares ao fim de pouco tempo.

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

RAFEIRO PERFUMADO
Pois é. A forma como encaramos a particularidades de cada um é que é o busilis.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Carminda Pinho
Tudo é possível desde que a vontade seja imensa e haja apoios para que ela se desenvolva.
Um beijinho

SILÊNCIO CULPADO disse...

MARRETA
É realmente fabuloso e genial.E diga-se de passagem não me surpreende que venha da China. Basta vermos alguns circos chineses para acreditarmos em todas as superações e mais algumas.
Beijinhos

SILÊNCIO CULPADO disse...

MÁRIO RELVAS
Eu entendo o que me queres dizer. Nós quando amamos alguém, amamos com as características que esse alguém possui. Desejarmos que a pessoa que amamos seja diferente pode ser sentido quase como uma traição a uma dedicação plena e a uma entrega emocional muito grande.
Porém, não sei se vou dizer disparate, mas eu acredito que queremos sempre o melhor para aqueles que amamos e, certamente que, uma maior aderência às realidades do meio ambiente trará mais defesas aos portadores de autismo.Nesta perspectiva, não se trata de amar menos a pessoa por ser como é, mas sim de procurar que, dentro daquilo que ela é, consiga a tal superação que realiza e é desejável.
Penso que é difícil para alguém que está de fora, como é o meu caso, estar a opinar sobre isto. Por vezes receio parecer tonta ou insensível mas, à minha maneira, estou a tentar perceber e a procurar que os outros também percebam.

Um abraço e um sorriso

Sofia disse...

O vídeo é fantástico e deixou-me os olhos raiados de água por pura emoção! Estas e outras oportunidades deviam ser dadas a todos quantos são diferentes em Portugal e no mundo. Penso que humanizar a sociedade é o que mais necessitamos e a menor das preocupações de quem nos governa.
Já agora, acrescento que, esta tarde, na TVI, o programa da Júlia Pinheiro foi exactamente sobre os problemas que afectam pessoas com deficiências e a sua família - bastante interessante! Pelo menos, levou o Director da Segurança Social a admitir que ainda temos um longo caminho a percorrer no que diz respeito a trazermos mais dignidade e condições de vida a todos quantos padecem destes problemas. Agora, o que me parece importante referir, é que é justamente para estas situações que os portugueses pagam os seus impostos. É para estas situações que temos vontade e gosto em contribuir. Pena é que as prioridades de quem governa sejam outras.

Já agora, tenho no meu blog um post sobre uma outra situação de desigualdade que afecta milhares de pessoas no país e que nos leva a adiar indefinidamente as nossas vidas.

Um grande abraço e os meus parabéns pelo bom trabalho que tem levado a cabo.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mário
Deixa-me ainda enfatizar o que já disse: ser diferente não é ser inferior e muito menos coitadinho.
Escolhi exactamente este vídeo que demonstra que uma incapacitação, em tudo desaconselhável à dança, não foi impeditiva da superação porque o ser humano é muito mais que isso, que esse limite ou padrão que lhe atribuem.

SILÊNCIO CULPADO disse...

PIRESF
O ser humano é capaz de coisas extraordinárias, nem sempre boas mas algumas são mesmo muito boas e é nestas que temos que acreditar.
Um abraço

Mary disse...

Silêncio/Lídia
Tenho demorado a vir comentar porque eu sei o que é ter uma incapacitação. Eu tive um acidente há 6 anos. Não fiquei sem uma perna mas coxeio e isso tem-me trazido vários dissabores.
As diferenças pesam que nem chumbo, Silêncio.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sofia
Irei de seguida visitar o teu cantinho e conhecer a situação que descreves.
Efectivamente há um longo caminho a percorrer mas termos consciência dele é já torná-lo mais curto.
Beijinhos

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mary
Entendo o que me dizes mas entendo também que essa baixa auto-estima que te leva sempre a teres pena de ti própria é a principal inimiga da tua libertação.
Sei que dizer isto não muda, amiga, mas precisas de alguém que te ajude a superar esses momentos difíceis e dar vazão à tua força, generosidade e capacidade para ir mais além.
Volta sempre, miúda.
Bjs

parvinha disse...

Ainda temos um longo caminho a percorrer, muito longo mesmo!

Nota-se no dia-a-dia...

Devia haver mais informação, tal como se faz neste blog, para mudarmos mentalidades.

Lídia um bem haja para ti.

Muitos beijinhos

Mário Relvas disse...

Silencio,

claro que queremos sempre o melhor para o nosso filho e para os outros em igualdade de circunstâncias.No entanto temos que dar graças a Deus pela situação não ser pior e olharmos para o lado.Temos que ter alento para nos confortarmos, tendo capacidade para confortar os outros.

Fica bem