.



ASSUMIR O HIV




Eu tinha uma tia velha que me dizia quando eu tinha algo de desagradável que deveria dizer aos meus pais: quanto mais depressa o fizeres mais depressa ficas descansada. Seja qual for a reacção que os teus pais tiverem verás que depois de te confessares sentirás um enorme alívio.

E foi assim que, ao longo da minha vida, fui praticando esta máxima. O tempo amadureceu-me e ensinou-me que as confissões poderão ver suavizadas a sua parte dolorosa se, quem as faz, souber encontrar o momento e forma de as fazer.

Não quero dizer com isto que um infectado pelo HIV se deva retratar perante seja quem for e, em especial, perante um companheiro que traiu e que está ressabiado. Nunca aconselharia ninguém a sofrer quando esse sofrimento não traz qualquer benefício a ninguém.

Assumir o HIV é, na minha perspectiva, assumir que se tem essa patologia e que, doravante, tem que se viver e agir de acordo com ela. Parece-me, pois, de todo desaconselhável que um portador se abstraia da sua realidade. Não quero, no entanto, significar com isto que essa mesma realidade o deva acompanhar como uma perseguição.

É sempre possível reconstruir e viver com base em novas realidades que, pese embora os seus handicaps, não têm por isso que ser menos completas e mais restritivas. Porém, insisto, quanto mais depressa o infectado assumir, perante si próprio, o HIV mais depressa encontrará o caminho do futuro noutra direcção.

É difícil, para qualquer um de nós, colocar-se na situação de outros. Especialmente numa situação tão contingente quanto aquela que nos é imposta pela doença e pela incapacitação. Porém, estou em crer que, se um dia tal me vier a acontecer, eu tenha a força suficiente para lidar com a situação de forma nobre, sem aceitar a compaixão nem impor a outrem as consequências dos meus actos (erros?).

Entendo assim que alguém que contraia o HIV, em relação extraconjugal, não deverá contar ao companheiro como quem põe a corda ao pescoço e pede perdão. Deverá sim procurar viver sozinho e dar a conhecer depois o motivo da separação. Se a pessoa, com quem vive, for capaz de amar e perdoar pedir-lhe-á que volte. Se não o fizer deverá aceitar, como natural, essa decisão e procurar outros incentivos e outros caminhos que dêem sentido à vida.

O início duma nova relação deve sempre ser feito na base da sinceridade de forma a não criar situações dolorosas para ambas as partes. Assumir o HIV é a forma mais fácil para não ser discriminado. Se quem é portador do HIV se envergonha da situação e lida com ela como se fora crime na sua interacção com os outros, como pode esperar que os outros a compreendam e a aceitem como natural?

Também não se deverá partir do princípio que, ao portador do HIV, são devidas todas as atenções e honrarias porque, “coitado”, está doentinho.

O HIV tal como qualquer outra patologia, ou incapacitação, não deve colocar o indivíduo em situação de excepção. Todo o indivíduo tem direito a ser integrado, a ter afectos e a ter a sua própria identidade ainda que essa identidade seja a de uma pessoa com sida.

Penso que será desta postura e desta luta que resultará o homem novo que ressurgirá destes encostos da vida. É através duma postura de verdade e de verticalidade que edificará um futuro para si e para aqueles que pisam o mesmo trilho.

Só acreditando na vida teremos vida. E a vida é um percurso desconhecido no campo da ciência e das probabilidades. Novas oportunidades estão sempre a surgir e, mesmo nos momentos mais difíceis, elas estão lá.

É preciso saber encontrá-las. Porque a felicidade existe e é possível mesmo quando o sol se esconde.

Não fiques no teu lugar. Vem ao SIDADANIA falar sobre um problema que nos aflige e é de todos nós.

114 comentários:

Mary disse...

Lídia
Tu realmente sabes pôr as coisas no devido lugar. Aqui há vida, força e energia para vencer a doença.
E tudo isto sem dramatismos.
Gosto

isabel disse...

outro estigma, outro "coitadinho", que vai sofrer nas malhas do preconceito. do sistema.

outro texto excelente!

M.M.MENDONÇA disse...

Lídia
Há sempre vida e há sempre esperança e há sempre um caminho para percorrer.
Tu és uma mulher positiva, com mensagens positivas sempre a puxar para cima quem está em baixo.
Contigo aprende-se a viver.
Abraço

tulipa disse...

Vim dizer que voltei a mostrar os meus dotes de fotógrafa amadora.

Nenhum barco ao mar,
Nenhum corpo para desejar,
Uma brisa a soprar,
chegam os ventos do mar,
Que fazem sonhar...

Boa semana.
Beijokas.

Isabel-F. disse...

Parabéns Lídia.

Concordo em abosluto com os pontos que aqui focas e subscrevo-os ...

beijinhos

Louise disse...

Concordo em tudo com o que aqui é focado.
Só assumindo o HIV o infectado terá condições para superar a doença.
A ideia do amor lamechas ao coitadinho deverá ser banida para dar lugar a uma forma de estar que não seja subalterna nem se alimente da caridade afectiva.
Só assim o estigma será erradicado.
Bjs

Mário Relvas disse...

Lídia,
considero que na vida devemos enfrentar as coisas de frente."Pegar o touro de caras"!
Adorei o texto.Está fantástico. Só faria uma coisa diferente.Primeiro contaria à mulher antes de sair de casa.Não pelo melodrama, ou pela pieguice a ver se pegava, mas pela verdade que deve ser dita no momento.Também porque a relação extra-conjugal pode ter sido recente, mas também poderá ter ocorrido há 12 ou mais anos...

Parabéns ao Sidadania pela acção preventiva sobre a SIDA,e acolhedora para quem entrou nela.

Saudações e um sorriso

Miguel Barroso disse...

O pior na vida é não ternos obstáculos, por graves que sejam e doam.

A SEIVA

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mary
Há um ditado que diz: não adianta chorar sobre loiça partida. Há que enfrentar com coragem o que a vida nos reserva.
Também gostei do teu post.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Isabel
Nem coitadinho nem estigmatizado porque contra isso lutaremos.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

M.M.MENDONÇA
Deixar cair os braços, não. Lutar, lutar sempre e nunca perder as referências e os valores.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

tulipa

Lindo. E obrigada pela visita.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Isabel
Obriga, amiga e sê sempre bem-vinda ao Silêncio e às causas que também defendes com convicção.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Louise
Isso mesmo.
Adorei a expressão "caridade afectiva".
A dignidade acima de tudo.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mário Relvas

Aplaudo de pé o teu comentário que subscrevo na íntegra.
Também sou de opinião que se deve informar o companheiro antes do afastamento mas isso exige uma coragem que a pessoa, na altura, pode não ter. Nós achamos que teremos porque não estamos na situação.
Porém a verdade acima de tudo e só com verdade e com dignidade poderemos caminhar em frente no mundo das compensações.
Abraço e sorriso

alice disse...

agradeço o comentário que deixou no blogue da isabel caldeira, que me permitiu ler este texto tão importante. foi muito bom visitá-la. um grande beijinho.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Miguel Barroso
Bem-vindo ao Silêncio Culpado.
Amigo os obstáculos aparecem sempre duma forma ou doutra. Não conheço vida que os não tenha.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Alice
Bem-vinda a Silêncio Culpado. Logo que possa irei conhecer o seu espaço.
Obrigada pelas palavras.

Abraço

NuNo_R disse...

oLÁ...

Também participei nesta iniciativa.
e digo que é preciso ter uma coragem enorme para enfrentar e assumir uma doença com esta , que é bastante discrinada pelo mundo inteiro, fruto de um desconhecimento e desinformação total sobre a doença.


Bjs

ABEL MARQUES disse...

Interessante esta abordagem. Em todas as circunstâncias da vida deve haver a preocupação de se ser correcto para com os outros.
Apelar ao coitadinho não adianta até porque o HIV não é propriamente uma doença como as outras. Na maioria dos casos a pessoa que a contraiu teve comportamentos de risco quer a nível de sexo quer de toxicodependência.
Cabe-lhes portanto assumir as consequências dos actos que praticou.
À sociedade em geral, e aos amigos em particular, caberá ajudar a enquadrar quem se infectou de modo a que não se sinta discriminado e possa fazer a sua vida.
Abraço

Valsa Lenta disse...

As nossas decisões, hoje, vão decidir e influenciar positivamente/negativamente o nosso amanhã.
A verdade deve prevalecer... para bem de quem a diz e bem de quem a ouve.
É difícil. O importante é tentar sempre!

Excelente post... uma vez mais.

Felicidades

António de Almeida disse...

-Bom trabalho o do Raul, na divulgação/informação desta praga.

O Guardião disse...

A situação é difícil, mas a verdade também o é. É preferível a dor da verdade que a incerteza da mentira.
Bom trabalho.

Cumps

Michael disse...

Um belissímo texto. A verdade acima de tudo ainda que doa e não seja fácil assumi-la.
Abraço

ANTONIO DELGADO disse...

Concordo co aquilo que o o Guardião deixou expresso sobre a tua postagem. Um familiar contraiu HIV e foi um drama para a familia mais directa, sempre a esconder a patologia e todas as vezes que tinha de ir para o hospital não dizia a ninguém...Deve de ser muito duro ter de viver desta forma.

Um abraço

António

Paulo disse...

Parabéns Lidia pelo post maravilhoso que nos dedicas, a nós e a todos, infectados e afectados, à população em geral. Lado a lado, caminho na tua sombra, que me protege e ampara. Como disseste um dia, a barra é pesada, mas transporta-se e a vida prossegue, atenta a que olhemos em frente, permanentemente. Muito Obrigado.

Olá!! disse...

Excelente como sempre Lídia, hoje fiz uma pequena abordagem ao tema, não porque me tenham pedido, mas pelo respeito que tenho por quem padece desta ou de qualquer doença.
Tenho o maior respeito por quem é solidário e a maior simpatia por quem padece...
Deixo-te um beijo de agradecimento pelo teu comentário de ontem que fiz em honra de uma pessoa que, infelizmente, já teve dias mais alegres.

herético disse...

inteligente e pedagógica. por isso venho. sempre...

abraços

Louise disse...

Lídia
Todos os textos que publicaste sobre o Hiv - também no Sol Poente e nos 7Pecados - são muito bons e todos eles com uma nota positiva e uma mensagem de esperança.
Concordo plenamente que quem é infectado com o Hiv deverá erguer a cabeça e seguir em frente sem bancar ao coitadinho e assumindo as suas responsabilidades pelo que lhe aconteceu.
Todavia não devemos discriminar nem ter medo mas antes ajudar as pessoas a erguerem-se e a reconstruirem, dentro do possível, uma vida que valha a pena.
Bjs

Oliver Pickwick disse...

Há sapiência no conselho da sua tia. No entanto, acredito que muitos não assumem que são portadores do HIV, temendo as reações das pessoas, as quais eu presumo as mais diversas, tais como: repulsa, piedade, temor, preconceito, dentre outras. Portanto, muitos refugiam-se na [pseudo] segurança da omissão. Foi assim com a lepra e a peste negra em outros tempos.
Artigos como estes, associados a outros procedimentos, resultarão no médio e longo prazo, na aceitação bilateral relativa ao HIV.
Parabéns por mais este.
Um beijo!

Meg disse...

Lídia desculpa a forma mas foi noite inteira!

Aos amigos comunico que, inesperadamente,
fui obrigada a mudar de residência.

Peço desculpa pela forma como o faço
mas trata-se de uma emergência que espero seja a última.

Aproveito para mandar um abraço do
vosso Amigo Romério para todos

E a Meg espera-vos aqui a partir de agora

http://recalcitrantemor.blogspot.com/

17/4/08 04:38

G.BRITO disse...

"a vida é um percurso desconhecido no campo da ciência e das probabilidades. Novas oportunidades estão sempre a surgir e, mesmo nos momentos mais difíceis, elas estão lá."
Isto é verdade e uma grande verdade. Tenho um amigo que há 15 anos atrás me dizia que não veria crescer o filho, então com 5 anos, devido a um enfizema pulmonar. Era um caso desesperado com os pulmões com 30% de recuperação.
Fez um transplante e está óptimo.
Tudo é possível se acreditarmos.
Abraço

biazinha disse...

Eu sempre apostei na verdade acima de tudo, entretanto, aconteceu um caso desses com um amigo da minha mãe. Ele assumiu ser portador da síndrome e teve que mudar de cidade tamanha discrimniação e falta de respeito que sofreu or parte das pessoas. A pessoa em questão é um professor universitário, mas nunca foi de instituição pública. O que aconteceu? Os caminhos se fecharam pra ele na vida acad~emica, e ele vive cada vez mais isolado e deprimido, mudando de cidade pra cidade. Tem 50 anos e é aposetnado por depressão. Absurdo? Sim, mas é a pura realidade.
Sou a favor que a pessoa assuma contanto que ela tenha estrutura pra enfrentar o que está por vir, caso contrário, só a ignorância liberta.
Bjuxxx.

biazinha disse...

Eu sempre apostei na verdade acima de tudo, entretanto, aconteceu um caso desses com um amigo da minha mãe. Ele assumiu ser portador da síndrome e teve que mudar de cidade tamanha discrimniação e falta de respeito que sofreu or parte das pessoas. A pessoa em questão é um professor universitário, mas nunca foi de instituição pública. O que aconteceu? Os caminhos se fecharam pra ele na vida acad~emica, e ele vive cada vez mais isolado e deprimido, mudando de cidade pra cidade. Tem 50 anos e é aposetnado por depressão. Absurdo? Sim, mas é a pura realidade.
Sou a favor que a pessoa assuma contanto que ela tenha estrutura pra enfrentar o que está por vir, caso contrário, só a ignorância liberta.
Bjuxxx.

Jorge P.G Sineiro disse...

Concordo com os pontos focados!

Um abraço.

São disse...

Mais um contributo importante na luta contra a SIDA!
Bem haajs, querida!

C.Coelho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
C.Coelho disse...

As probabilidades de se vir a contrair o vírus da Sida são muito mais elevadas do que as de se ganhar o euromilhões ou o totoloto. No entanto nós preferimos acreditar que antes somos bafejados pela sorte do que pela ausência dela.
É uma forma de escondermos a cabeça na areia.
Por isso é importante que haja quem nos desenterre a cabeça e nos obrigue a encarar a realidade.
A SIDA existe e quando somos apanhados nas suas garras quase nunca estamos preparados para o que a nova situação passa a exigir de nós.
Abraço

Sheila disse...

Não podemos abstrairmo-nos da realidade da SIDA e pensarmos que essas coisas só acontecem aos outros.
Estarmos informados de forma a prevenir as situações de risco é a única maneira de evitar o alastramento da pandemia que, só em Portugal, apresenta 3 ou 4 novos casos/dia.
Apoiar cultural e psicologicamente os infectados e conduzi-los na sociedade e na família são outras obrigações do Estado e de nós todos.
Abraço

Mário Relvas disse...

Silencio,

assumir o HIV é prevenir o contágio.É ter consciência que se deve ter cuidados.O pior é que por vezes pensamos nisto depois de se ter lá entrado.De qualquer dos modos é muito positivo que quem é sabedor da sua doença deverá ter todas as precauções para com os outros, nas matérias sexuais e afins..
De resto, quem tem a doença deverá ser tratado sem qualquer preconceito, uma vez que a doença não se pega através de beijos e abraços que fazem muita falta a quem sofre este estigma.

E mais uma achega para o debate.
Na realidade não se deve esquecer a hepatite C e outras infecções que poderão surgir aglutinadas.
Abraço
--------------

"Dados de diversos estudos alargados indicam que cerca de um terço dos indivíduos infectados pelo HIV estão também infectados pelo vírus da hepatite C (HCV). Os indivíduos co-infectados pelo HCV/HIV parecem ter um percurso acelerado da progressão da doença hepática, e, um novo estudo sugere, que podem existir deficits neurocognitivos comparativamente com os indivíduos infectados somente pelo HIV."
AidsPortugal

Agulheta disse...

Lídia.
Grande tema focas neste espaço,pois muita gente pensa que só por abraçar e acariciar,fica com a doença,a informação ainda não chega a muita gente,nós Bombeiros tivemos formação para esta e outras doenças,estamos vacinados contra Hépatite,sempre que actuar é com luvas.
Beijinho de amizade Lisa

meg disse...

Lídia,
Aos amigos comunico que, inesperadamente,
fui obrigada a mudar de residência.
Peço desculpa pela forma como o faço
mas se trata de uma emergência que
espero seja a última.
Aproveito para mandar um abraço do
vosso Amigo Romério para todos

E a Meg espera-vos aqui a partir de agora

http://recalcitrantemor.blogspot.com

SILÊNCIO CULPADO disse...

Nuno
Todos não somos demais para informar sobre uma doença que está a registar, em Portugal, cerca de 3 novos casos dia.
Há que prevenir estas situações. A prevenção não implica nada do outro mundo. Basta estar informado.
E os atingidos pela doença precisam ser amados e integrados.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Abel Marques
Isso é verdade no que diz respeito à doença poder ser por desrespeito às precauções devidas.
Mas isso torna, para o próprio, a situação duplamente dolorosa. E, por outro lado, o que está feito está feito.
Se nós soubessemos as consequências de tudo quantos acidentes seriam evitados.
Agora o que importa é informar para que se verifique uma diminuição drástica do número de infectados.
E perceber que as precauções se limitam a duas ou três regras muito simples e que, por isso, não há que ter medo nem fazer do infectado um bicho papão.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Valsa Lenta

Porque as nossas decisões hoje vão influenciar positiva ou negativamente o amanhã, devemos estar devidamente informados dos riscos que corremos com determinados comportamentos.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

António Almeida

Obrigada pelo acompanhamento que é sempre importante.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Guardião
A verdade é sempre o caminho mais fácil por mais que nos doa.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Michael
É isso mesmo. A frontalidade é o caminho.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

António Delgado
Deve ser muito duro viver dessa forma até porque um infectado não é um criminoso.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Paulo
Caminharemos sempre de mãos dadas e lado a lado. Ninguém sabe o que lhe reserva o amanhã.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

OLÁ
Tu és uma grande guerreira e o teu post diz muito.
O teu espaço é muito visitado e levará outras pessoas a tomarem contacto com esta realidade.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Herético
Não tão inteligente nem pedagógica quanto o meu amigo cujo espaço recomendo vivamente aos meus visitantes.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Louise, minha amiga
Sempre pronta a dar uma mãozinha.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Oliver Pickwick
Não podemos permitir que pessoas sejam estigmatizadas e excluídas do convívio entre os amigos e familiares próximos como se fossem portadores de "doença maldita". É demasiado retrógrada e desumana uma posição como essa.
E ninguém sabe para o que está guardado...
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MEG

Espero que esteja tudo bem.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

G.BRITO
A esperança é sempre a última a morrer e eu acredito sempre em novas possibilidades.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Biazinha

Bem-vinda ao Silêncio Culpado. O caso que contas é muito triste e muito amargo.

Não há direito que aconteça uma situação como essa.

Beijinhos

SILÊNCIO CULPADO disse...

Jorge
Estás o máximo com esse novo visual. Obrigada pela visita.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

São
Obrigada minha amiga solidária. É sempre reconfortante encontrar-te aqui.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

C.Coelho
Infelizmente o risco é grande e mesmo os que não têm comportamentos considerados de risco podem vir a ser confrontados com a doença. Imagine-se alguém casado, e fiel ao parceiro, que é contagiado porque o parceiro o foi numa relação extra-conjugal.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mário Relvas
Um bom contributo este teu comentário. Concordo com o que dizes.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Agulheta
Pois é isso que é tramado, a falta de informação.
Bombeiros?
Giro!


Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

SHEILA

Toda a informação é pouca e o teu espaço tem informação que deveria ser de leitura obrigatória.

Abraço

Sophiamar disse...

Assumir uma postura que não seja a do diálogo só encaminha para um sofrimento maior. É através do diálogo e da leitura que o portador de HIV pode ter acesso a informação que lhe permitirá uma vida condigna sem ter medo de cair nas malhas da segregação.

Beijinhossss

Pata Negra disse...

Não somos nós que temos de esconder, são os outros que têm de aprender a ver!
Parabéns Silêncio! Curvo-me com a tua energia!

amigona avó e a neta princesa disse...

Lídia, minha querida, que sabedoria tinha a tua tia velha!!!Tenho andado por aí a ler os teus textos e não consigo deixar de me sentir grata por partilhares connosco os teus pensamentos...muito obrigada minha querida amiga...este (como outros) é,de facto,um problema muito grave...mas o caminho apercorrer é, também, muito longo...beijos...

Joseph disse...

Lídia
Deste excelente texto ressalvo esta passagem:

"O HIV tal como qualquer outra patologia, ou incapacitação, não deve colocar o indivíduo em situação de excepção. Todo o indivíduo tem direito a ser integrado, a ter afectos e a ter a sua própria identidade ainda que essa identidade seja a de uma pessoa com sida."

É isto mesmo: a dignidade sem comiseração.

Abraço

René disse...

Lídia

Dizes:
Assumir o HIV é a forma mais fácil para não ser discriminado.


Será?
É um princípio e um bom princípio, isso sim. Mas ainda há muito trabalho a fazer para que a segregação passe a ser residual.
Um beijo

Maria disse...

Tenho-te "pendurada" nem sei há quanto tempo. Já te li e reli, apetece-me ir embora, depois apetece-me pensar mais no assunto, depois desisto...
Tens um dom especial de aborar questões que mexem comigo. Muitas, e muito. Assumir o HIV SIM, mas eu não conseguiria escrever este texto. Tenho amigos (já não tenho, já foram embora) que assumiram, há muitos anos, há quase 20, que tinham HIV e por isso foram segregados. Sei de pessoas que perderam o emprego por assumirem que são portadores de HIV. Nesta sociedade de falsos valores e falsos pudores já tenho dúvidas de tudo.
Gostava de viver numa sociedade que agisse de uma forma normal e natural perante os portadores de HIV. Não vivo, ainda. Nem sei se a verei, algum dia.
O teu texto é excelente. Os meus amigos partiram cedo demais....

Beijos

São disse...

Minha querida, vim para te desejar feliz fim de semana com quem estimas.
Abraço apertado.

O Profeta disse...

Total é a loucura do querer
Breve é chama da doce paixão
Total e insubmissa é a verdade
Que emana do teu terno coração

Sigo os passos da tua procura
Queda-se teu corpo nu em melodia incompleta
És instante da bondade dos Deuses
O canto de uma ribeira que o sol desperta

Um majestoso fim de semana



Mágico beijo

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Lídia, tenho visitado o Raul com uma certa regularidade...
Votos de um bom fim de semana!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

musqueteira disse...

viva silêncio ocupado...vou estando atenta aos seus escritos. estive fora esta semana...já cá estou de volta.

fotógrafa disse...

Com chuva ou sem…(Pelo menos aqui pelo norte vai ser com), espero que tenham um fds divertido…inventem!
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

SOPHIAMAR
É através do diálogo mas espera-se também que, nese diálogo, o interlocutor esteja também à altura da franqueza.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Pata Negra
Os outros têm que aprender a ver, a aceitar, a não descriminar e a ajudar.
Todos fazemos parte dum todo.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Amigona
Às vezes encontramos pessoas assim. Ensinam-nos valores que nos acompanham por todas a vida.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

JOSEPH
Claro que sim, amigo, têm direito a tudo isso e há pessoas maravilhosas que têm muito para dar. Vê o Raul e o Paulo.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

René
Claro que assumir o HIV não chega para não se ser discriminado. Mas nós o que é que andamos cá a fazer? Não é a lutar contra a discriminação?
Todos um bocadinho e verás se a discriminação não acaba!...

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Maria, minha querida, tão doloroso o que dizes.
Sabes que eu, até há bem pouco tempo, não tinha ideia que ainda persistissem discriminações tão violentas? Isso é desumano Maria. Cada um tem as suas próprias palavras para dizer amor, revolta ou solidariedade. Mas seja qual for a forma de dizer o que conta é o grito e esse é sempre igual.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

São
Bom fim de semana também para ti minha amiga.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Profeta
A tua poesia é mágica e desafia todos os limites da imaginação poética.
A tua poesia está sempre presente criando traços de união.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fernanda
O Raul precisa ser visitado e apoiado na sua luta.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Musqueteira
Vale a pena acompanhar não só aqui mas no Sidadania onde se encontra informação de monta.
Vale a pena aprender para os outros e para nós, para quando nos julgamos imunes ou para quando for preciso.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Fotógrafa
Obrigada pela visita e bom fim de semana amiga.
Abraço

Zé Povinho disse...

A verdade é purificadora, ainda que nos custe e cause muita dor.
Bom fim de semana
Abraço do Zé

Boris disse...

Silêncio, minha Silêncio
que bem que sabes escrever
que bem que sabes amar
quem está na Terra a sofrer.

Silêncio, minha Silêncio
vou seguir-te até morrer
não só na causa da sida
como em tudo o que souber.

Os portadores desta doença
têm sido mal-amados
por serem incompreendidos
por outros mal informados.

Um homem não tem direito
a julgar um seu irmão,
deve ter-lhe amor do peito
e, neste jeito, o perdão.

Há pessoas valiosas
bafejadas pelo mal
enquanto outras ditosas
são puro traste real.

O valor duma pessoa
não se pede a tão má sorte
o valor duma pessoa
ultrapassa a lei da morte.

Quero com isto dizer não
a todo aquele que despreza
e quero com esta negação
construir outra certeza.

Todo o homem é meu irmão
e não é a sida que impede
que seja da minha condição
e morra de amor à sede.

Sérgio Figueiredo disse...

Lídia.

Mais uma vez um post pertinente. Para mim o principio está no reconhecimento e na sinceridade. o HIV é intransmissivel, mas para isso a prevenção, a precaução, a sinceridade, é a parte fundamental para contribuir num bom relacionamento sem perigo. Há também o aspecto da educação. O portador tem como "obrigação" e como dever "moral" respeitar os seus convivas, não escondendo o que, apesar de para muita gente ser objecto de decriminação social, a verdade e até "educar" nas necessidades preventivas.

Bom Fim-de.Semana

Beijo

Miki disse...

Afinidade…
Não é sentir, nem sentir contra…
Nem sentir para…
Nem sentir por…
Nem sentir pelo…
Afinidade é sentir com!

Um fim de semana cheio de alegria e harmonia.
Beijo

SILÊNCIO CULPADO disse...

Zé Povinho
Sou pela verdade mas as pessoas a quem essa verdade é dirigida também devem estar à altura dela. Sem prejuízo de dar primazia à verdade, que defendo em absoluto, há que criar condições para que quem a pratica não sofra exactamente por isso.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Bóris

Os teus versos apaixonam-me, comovem-me e não sei mais que te diga.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Sérgio
Tudo isso. O problema do HIV é essencialmente um problema de educação quer na prevenção quer na forma como interagimos com as pessoas infectadas.
Não é um bicho-papão. A falta de informação é que é.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

MIKI
Que bem que dizes: afinidade é sentir com.

Abraço

contradicoes disse...

Excelente abordagem sem dúvida e com a devida profundidade. Julgo que a razão porque muitos dos portadores do HIV ocultam o seu problema pelo facto da sociedade na sua grande maioria continuar a marginalizar o infectado e isto porque tendencialmente relaciona o acontecimento com envolvimento de prostituição ou toxicodependência, esquecendo-se que por exemplo no período em que Leonor Beleza foi Ministra da Saúde, muitos hemofílicos acabaram por ser infectados com a SIDA porque o lote de sangue usado nas transfusões estava contaminado. E como vivemos num país de brandos costumes e de ausência de justiça
para os colarinhos brancos,
os infectados na sua maioria já faleceram e ninguém foi por isso responsabilizado criminalmente. Mas isto foi só um aparte porque o importante é a abordagem que sem duvida é pertinente porque devemos todos contribuir para modificar este estado de coisas. Um abraço
do Raul

avelaneiraflorida disse...

Querida Lídia/Silêncio,

quero pedir desculpa por alguma "ausência" nestes últimos tempos! Tem sido complicado...
Mas hoje voltei para rever todos os Amigos!!!
e mais uma vez encontro uma voz especial neste espaço!
Brigados, pela presença constante!!! pelo apelo! pela Força de QUERER!!!!
Bjkas!!

ANTONIO DELGADO disse...

Venho-me curvar, mais uma vez, perante esta tua bela postagem e desejar um bom fim de semana, a ti a a todos os leitores e comentadores deste Espaço Solidário.

Cordialmente
António Delgado

Paulo disse...

"Quando eu morrer, voltarei para buscar, os instantes que não vivi junto do mar" Sophia de Mello Breyner

O Silêncio Culpado, personificado pela Lídia, é um mar de emoções. Revejo-me neste mar, onde as emoções proliferam em cascatas ascendentes, rumo à plenitude da Vida. Há muita vida para além da Sida, e por isso, todos estamos aqui.

Peter disse...

Permite-me destacar o seguinte parágrafo:

"O HIV tal como qualquer outra patologia, ou incapacitação, não deve colocar o indivíduo em situação de excepção. Todo o indivíduo tem direito a ser integrado, a ter afectos e a ter a sua própria identidade ainda que essa identidade seja a de uma pessoa com sida."

Bom fds

Mário Relvas disse...

Muitos dos que padecem das chamadas doenças segregadoras devem perguntar como olhavam os portadores de HIV ,antes de o terem contraído.
Na realidade somos muito solidários e revoltados quando nos bate à porta aquilo para o qual nunca ligámos.O ostracismo começa em nós.O que fazemos para aceitar os outros como eles são?Não podemos dizer mais que A SOCIEDADE É SEGREGADORA, sem reflectirmos que a sociedade somos todos nós.O que fazemos por mudar esta situação?

Saudações e um sorriso

Templo do Giraldo disse...

Pois é minha cara, acho que todos deviamos fazer um despiste para ver se somos ou não portadores do virus do HIV. Cada vez mais é um problema que tende em assombrar a nossa sociedade. è de facto um problema que pouco tem em relação a sua cura.

Mais uma vez conseguis-te por o tema em debate muito complexo, mas ao mesmo tempo muito importante, não podemos ignorar que este problema existe.

Bom fim de semana, e um abraço do templo.

meg disse...

Bem hajas pelas palavras, só para te dizer que encerrei o assunto e voltei ao trabalho. Por vós, principalmente.
Depois volto com mais tempo, Lídia

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Raul (Contradições)

Um bom contributo e um bom lembrete.
É verdade o que dizes sobre o poder ficar-se infectado sem ser por via sexual ou por troca de seringas. Mas a esmagadora maioria dos infectados estão nestes dois universos.

Um abraço

Jeff disse...

É simplesmente ser sincero consigo mesmo e assumir uma postura de respeito, pois assim não existe essa pessoa que possa te distratar!

Bom final de semana e aproveita o feriadão!

SILÊNCIO CULPADO disse...

Avelaneiraflorida

Obrigada pela visita sempre estimada e sempre desejada.

Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

António Delgado

Bom fim de semana e obrigada pela visita.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Paulo
Obrigada pela visita, pelas palavras e, sobretudo, pela mensagem positiva.
É acreditando, lutando e tendo prazer na força que arrasta a vontade de viver, que podermos ir mais longe na forma solidária com que olhamos os que nos rodeiam.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Peter

Obrigada pelo destaque que resume a minha mensagem.

Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Mário Relvas
Tocaste num ponto sensível: como é que os actuais infectados viam os portadores de HIV antes de terem a patologia.
Endosso esta pergunta ao Raul e ao Paulo com a certeza duma resposta particularmente interessante.
Porém acredito que, tal como eu não discrimino e me solidarizo, também muitos deles assim sentiram antes de saberem que estão infectados.
Outros haverá que fizeram uma volta de 360º. É a vida.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Templo de Giraldo
Este problema existe e não podemos ignorá-lo. A cada 10segundos morre, no mundo, uma pessoa com sida.
Em Portugal 3 a 4 novos casos são detectados. Fazer de conta que não é nada connosco é, além de desumano, uma autêntica temeridade.
Abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Meg
Força e assim, tal como Caeiro, poderás dizer:
"COMO UMA CRIANÇA antes de a ensinarem a ser grande,
Fui verdadeiro e leal ao que vi e ouvi."

abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

JEFF
Obrigada. Só a verdade constrói.
Bom fim de semana.
Abraço

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida amiga Lídia, deixo-te um beijinho de ternura,
Fernandinha

A Flôr disse...

A verdade e o diálogo sempre, em todos os actos e em todos os relacionamentos... VERDADE SEMPRE!

Infelizmente a nossa sociedade ainda tem muitos preconceitos sobre a Sida e outros problemas do género... mas a Sida pode chegar a qualquer um de nós, ou de alguém muito próximo de nós...

Com a forma magnifica com que expões estes temas (ainda tabús em Portugal, infelizmente), ajudas um pouco a que deixe de assim ser... parabéns por mais este post!

Gostei de tornar a passar por cá.

Flor :D

samson disse...

Quero dar graças ao Grande Templo Orunmila ele deu para mim e meu namorado, Vivemos em pequena cidade em Maryland , Estados Unidos , meu namorado e eu tenho que saber que nós éramos ambos HIV positivo e tentar viver nossas vidas em medicamentos prescritos da nossa clínica . Um dia, enquanto navega na net me deparei com este anúncio que mostrava as boas obras do Grande Templo Orunmila em como ter curado pessoas diferentes ao redor do mundo com apenas ervas e orações fortes espirituais de intercessão durante a dosagem. Decidi experimentar e ver por mim mesmo, entrei em contato com o Templo e eu estava muito bem vindos e eu me senti feliz e seguro , eu segui os passos do pai espiritual , que me falou e namorado e lançar mais luz sobre como podemos podia ser curada . Eu segui todas as instruções com fé e acreditar que ele iria trabalhar para mim. Após duas semanas de dosagem ervas , eu fui para o hospital como instruído pelo pai espiritual para a minha maior surpresa meu resultado do teste eo do meu namorado foi negativo . Eu estava tão cheio de alegria que eu exclamou em lágrimas de alegria. I garantir para este templo que você vai ter curado desta HIV / AIDS Você pode ligar para a minha linha de telefone pessoal 1 (920) 931 2971 ou deixar uma mensagem de texto me , Nós testamos e confirmou os nossos eus negativos três vezes e agora Agora o meu namorado e eu estamos planejando nosso casamento sem ninguém saber que fomos uma vez positivo. Eu gosto de você entrar em contato com o templo para o seu próprio milagre muito greatorunmilatemple@gmail.com . boa sorte